Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Marissa Mayer revoluciona o Yahoo!

A presidenta do grupo de tecnologia transformou a companhia ao focá-la exclusivamente na telefonia móvel

Marissa Mayer, durante conferência na CES. AFP

Ele não dispõe de hardware, ao contrário de seus concorrentes, mas isso não parece importante. Pelo contrário, pode dar mais flexibilidade. O Yahoo! não precisa atualizar sistemas operacionais nem mandar telefones para o conserto. Em vez disso, tenta ser o companheiro de viagem perfeito para todos os aparelhos. Essa é a ambição de Marissa Mayer.

Em uma cuidadosa apresentação, o Yahoo! foi, pela primeira vez em muitos anos e graças à determinação de Mayer, o protagonista da CES, feira de tecnologia realizada em Las Vegas. A executiva tem um único objetivo: o smartphone. E concentrou todo seu trabalho nele desde que assumiu o cargo, em 2012.

Em sua apresentação, Mayer falou sobre como fazer um site útil e ao mesmo tempo divertido. “Queremos fazer o que amamos, aproveitar o poder da web e entregá-la como uma experiência resumida, como a que se encontra em uma revista bonita e elegante”, disse Mayer, em um vestido azul-elétrico, ao estilo da série de TV Mad Men.

 

Mayer primeiro transmitiu confiança, e conseguiu devolvê-la aos seus funcionários, que a perderam com as constantes mudanças de comando. Além disso, também conquistou o mais difícil: o respeito dos operadores financeiros de Wall Street. Essa primeira tarefa não lhe custou nada; nesse meio tempo, teve um filho e tirou nove dias de licença.

Em seguida instalou seu bebê em seu escritório e sacou o talão de cheques: Stamped, OnTheAir, Snip.it, Alike, Jybe, Summly, Astrid, GoPollGo, MileWise, Loki Studios, PlayerScale… Depois de quase 30 aquisições, Mayer anunciou em Las Vegas que acabava de comprar mais uma empresa, a Aviate, que faz um aplicativo muito simples e ao mesmo tempo útil: modifica a tela principal do Android de acordo com as aplicações usadas com mais frequência.

O argumento de Mayer é infalível: “Não é nenhum segredo que o celular é o presente e continua crescendo. Não é apenas uma questão de proliferação, mas também de tempo dedicado a ele. A previsão do tempo, os e-mails, as finanças, as notícias... Estão em nossos hábitos. Com a Aviate, queremos que a tela principal de cada celular seja mais inteligente e personalizada”.

Segundo seus cálculos, 3,8 bilhões de celulares estarão conectados à internet em 2017, o que é 2 bilhões a mais do que o número atual. “Há dez anos isso não existia. Pensemos em tudo o que [o smartphone] nos proporciona, em tudo o que sabe sobre nós: contatos, calendários, imagens. O futuro das ferramentas de busca é o conhecimento contextual, e é nisso no que investimos”, afirmou. Um alerta para todos os que, por coincidência ou não, tenham retomado o desafio do pioneiro Google, de organizar a informação disponível na rede.

O Summly foi uma de suas primeiras aquisições. Chamou a atenção por ter sido criada por um garoto com idade para estar no colégio, Nick D’Aloisio. Na CES, ele ficou encarregado de contar a transformação da sua empresa. No blog, usando o aplicativo Tumblr, claro, outra aquisição do Yahoo! em 2013, D’Aloisio explica as mudanças na revista Yahoo News Digest. Irá mostrar uma seleção com os fatos mais interessantes do momento, mas em versão telegráfica.

A leitura dura pouco mais de três parágrafos; mas traz, a cada etapa, links para se aprofundar no tema caso haja interesse. Soaria inovador e contemporâneo, se não fosse muito semelhante ao aplicativo Circa, disponível no iPhone e iPod Touch. O Summly chama cada artigo de “átomo”, algo como a menor partícula de informação. Podem ser mapas, fotos, textos, infográficos, artigos condensados da Wikipedia. Todo o conteúdo da rede, selecionado segundo o interesse do usuário.

O futuro das ferramentas de busca está no conhecimento contextual, e é nisso que investimos

A ideia é que cada um crie para si um terno sob medida, ou melhor, um menu informativo diário, e confie no aplicativo para que nada lhe escape. Curioso que apareça depois de o Google ter fechado seu leitor de blogs Reader, no segundo trimestre de 2013.

O Tumblr, uma rede de blogs com forte apelo aos mais jovens, onde eles passam horas e horas pulando de um meme para outro,continua sendo o xodó do império (não foi à toa que Mayer pagou cerca de 3,2 bilhões de reais pela empresa). O fundador da companhia, David Karp, subiu ao palco para deixar uma coisa clara: embora sejam parte do Yahoo!, ele ainda detém as rédeas da rede de blogs. Na verdade, era uma maneira de colocar o curativo antes da ferida. De dizer que nada muda, que se presume que continuará sendo um lugar descontraído, mas que terá publicidade, claro, gerenciada pela ferramenta de anúncios do Yahoo!. Uma boa quantidade de visitas para um público comercialmente interessante, mas que continua sendo o ponto fraco da gestão de Mayer. O Google abocanha quase tudo.

De onde sairá tanto conteúdo para o portal, além do Tumblr? Como o News Digest será alimentado? Por ora, com as ferramentas de busca, mas também com jornalistas especializados. Mayer tem força suficiente para roubar David Pogue do The New York Times, a referência em tecnologia até poucos meses atrás, quando trocou o jornal pela empresa de Sunnyvale. A ele se somou uma dezena de especialistas em tecnologia para que a empresa comece a mostrar sua força.

O Yahoo! volta a ser um portal, com seus canais verticais, inclusive seus bem-sucedidos canais financeiro e de jogos, mas ainda sem publicidade. Mayer, porém, não desiste, promete mais, e os investidores (que viram o valor de suas ações dobrar), os funcionários (com mais de mil engenheiros contratados) e milhares de pessoas que foram ao Hilton para escutá-la acreditam nela.

MAIS INFORMAÇÕES