Seleccione Edição
Login
Imagem de menina chorando na fronteira do Texas ganha o World Press Photo 2019
Getty Images

Imagem de menina chorando na fronteira do Texas ganha o World Press Photo 2019

9 fotos

Drama das crianças separadas de seus pai pela Administração Trump, retratada pelo fotógrafo norte-americano John Moore, foi destaque na competição internacional, que neste ano recebeu 78.801 trabalhos de 4.738 profissionais. Os ganhadores de melhor foto e história do ano receberam um prêmio de 10.000 euros

  • A série do holandês Pieter ten Hoopen documenta a jornada de cerca de 7.000 pessoas, incluindo 2.300 crianças, segundo a ONU, deixando Honduras, El Salvador e Guatemala para os Estados Unidos.
    1História fotográfica do ano: Caravana de Migrantes A série do holandês Pieter ten Hoopen documenta a jornada de cerca de 7.000 pessoas, incluindo 2.300 crianças, segundo a ONU, deixando Honduras, El Salvador e Guatemala para os Estados Unidos. Agence Vu
  • Pura passeia em um carro conversível dos anos 50 ao redor de sua vizinhança, enquanto os membros da comunidade se reúnem para comemorar seu décimo quinto aniversário. A festa de 15 anos é uma tradição latina, que marca a transição de meninas para mulheres. A menina se veste como uma princesa, vivendo uma fantasia e uma ideia preconcebida de feminilidade. A comemoração de quinze anos de Pura teve uma comoção especial, já que alguns anos antes, tendo sido diagnosticada com um tumor cerebral, ela foi informada de que não viveria além dos 13 anos.
    2Temas Contemporâneos: As Cubanitas Pura passeia em um carro conversível dos anos 50 ao redor de sua vizinhança, enquanto os membros da comunidade se reúnem para comemorar seu décimo quinto aniversário. A festa de 15 anos é uma tradição latina, que marca a transição de meninas para mulheres. A menina se veste como uma princesa, vivendo uma fantasia e uma ideia preconcebida de feminilidade. A comemoração de quinze anos de Pura teve uma comoção especial, já que alguns anos antes, tendo sido diagnosticada com um tumor cerebral, ela foi informada de que não viveria além dos 13 anos. AP
  • Um retrato de Petronella Chigumbura, que faz parte de um grupo guardas florestais mulheres, que perseguem caçadores furtivos no Parque Nacional de Phundundu, no Zimbábue. Akashinga ("As valentes") é uma força ranger estabelecida como um modelo alternativo de conservação. Seu objetivo é trabalhar com as populações locais, e não contra elas, pelos benefícios de longo prazo de suas comunidades e do meio ambiente. Akashinga inclui mulheres de regiões desfavorecidas, que são capacitadas para se beneficiar diretamente da preservação da vida selvagem.
    3Meio ambiente: As valentes Um retrato de Petronella Chigumbura, que faz parte de um grupo guardas florestais mulheres, que perseguem caçadores furtivos no Parque Nacional de Phundundu, no Zimbábue. Akashinga ("As valentes") é uma força ranger estabelecida como um modelo alternativo de conservação. Seu objetivo é trabalhar com as populações locais, e não contra elas, pelos benefícios de longo prazo de suas comunidades e do meio ambiente. Akashinga inclui mulheres de regiões desfavorecidas, que são capacitadas para se beneficiar diretamente da preservação da vida selvagem. Getty Images
  • Fotógrafos lotaram as portas da Embaixada da Arábia Saudita em Istambul logo após o desaparecimento do jornalista Jamal Khashoggi. Como crítico do regime saudita, Khashoggi sumiu depois de entrar no consulado, em 2 de outubro, para realizar procedimentos administrativos. Após semanas de rumores e informações falsas, Riyadh anunciou que Khashoggi havia acidentalmente morrido durante uma briga. As autoridades turcas e a CIA alegaram que ele havia sido morto por agentes da inteligência saudita, que trabalhavam sob ordens da alta autoridade saudita.
    4Notícias da atualidade: O desaparecimento de Jamal Khashoggi Fotógrafos lotaram as portas da Embaixada da Arábia Saudita em Istambul logo após o desaparecimento do jornalista Jamal Khashoggi. Como crítico do regime saudita, Khashoggi sumiu depois de entrar no consulado, em 2 de outubro, para realizar procedimentos administrativos. Após semanas de rumores e informações falsas, Riyadh anunciou que Khashoggi havia acidentalmente morrido durante uma briga. As autoridades turcas e a CIA alegaram que ele havia sido morto por agentes da inteligência saudita, que trabalhavam sob ordens da alta autoridade saudita. GEtty
  • Alguns estudantes riem atrás do palco, antes de uma competição de canto e banda marcial, no ginásio de uma escola em Dmitrov (Rússia). A educação patriótica, muitas vezes em um contexto militar, forma a base de muitos programas juvenis na Rússia e nos Estados Unidos. Em 2015, o presidente Vladimir Putin ordenou a criação de um movimento de estudantes russos cujo objetivo era ajudar a moldar a personalidade dos jovens através da instrução em ideologia, religião e preparação para a guerra. Para este projeto, Sarah Blesener visitou dez programas juvenis nos EUA, bem como escolas e acampamentos militares de verão na Rússia.
    5Projetos de longo prazo: Chamem-nos em casa Alguns estudantes riem atrás do palco, antes de uma competição de canto e banda marcial, no ginásio de uma escola em Dmitrov (Rússia). A educação patriótica, muitas vezes em um contexto militar, forma a base de muitos programas juvenis na Rússia e nos Estados Unidos. Em 2015, o presidente Vladimir Putin ordenou a criação de um movimento de estudantes russos cujo objetivo era ajudar a moldar a personalidade dos jovens através da instrução em ideologia, religião e preparação para a guerra. Para este projeto, Sarah Blesener visitou dez programas juvenis nos EUA, bem como escolas e acampamentos militares de verão na Rússia. AP
  • As rãs, com as pernas cortadas e rodeadas por ovos, lutam contra a superfície depois de serem jogadas na água em Covasna (Romênia). Pernas de rã são frequentemente coletadas como alimento na primavera, quando machos e fêmeas se juntam para acasalar e desovar. Às vezes as pernas são cortadas enquanto o animal ainda está vivo. A exportação do produto rende ao país cerca de 40 milhões de dólares todos os anos. Uma pequena parte da população das montanhas dos Cárpatos ganha a vida coletando e vendendo pernas de rã na natureza.
    6Natureza: Colhendo patas de rã As rãs, com as pernas cortadas e rodeadas por ovos, lutam contra a superfície depois de serem jogadas na água em Covasna (Romênia). Pernas de rã são frequentemente coletadas como alimento na primavera, quando machos e fêmeas se juntam para acasalar e desovar. Às vezes as pernas são cortadas enquanto o animal ainda está vivo. A exportação do produto rende ao país cerca de 40 milhões de dólares todos os anos. Uma pequena parte da população das montanhas dos Cárpatos ganha a vida coletando e vendendo pernas de rã na natureza. AP
  • Na foto, Diarra Ndiaye, Ndeye Fatou Mbaye e Mariza Sakho posam com roupas do designer senegalês Adama Paris. O Dakar é atualmente o lar da Fashion Africa TV, a primeira estação dedicada inteiramente à moda no continente. A edição anual do Dakar Fashion Week inclui um espetáculo de rua extravagante, aberto ao público, e assistido por milhares de pessoas de todos os cantos da capital.
    7Pessoas: A Moda em Dakar Na foto, Diarra Ndiaye, Ndeye Fatou Mbaye e Mariza Sakho posam com roupas do designer senegalês Adama Paris. O Dakar é atualmente o lar da Fashion Africa TV, a primeira estação dedicada inteiramente à moda no continente. A edição anual do Dakar Fashion Week inclui um espetáculo de rua extravagante, aberto ao público, e assistido por milhares de pessoas de todos os cantos da capital. AP
  • A boxeadora Moreen Ajambo, 30 anos, treina no clube de boxe Rhino em Katanga, uma grande favela em Kampala, Uganda. Mais de 20.000 pessoas vivem em Katanga, amontoadas e muitas vezes em extrema pobreza. O clube de boxe não recebe fundos externos. Ajambo, mãe de sete filhos, faz parte da equipe feminina de Uganda. O boxe masculino tem uma longa história em Uganda, mas os boxeadores são frequentemente frustrados pelas poucas oportunidades de competir internacionalmente.
    8Desportos: Boxeando em Katanga A boxeadora Moreen Ajambo, 30 anos, treina no clube de boxe Rhino em Katanga, uma grande favela em Kampala, Uganda. Mais de 20.000 pessoas vivem em Katanga, amontoadas e muitas vezes em extrema pobreza. O clube de boxe não recebe fundos externos. Ajambo, mãe de sete filhos, faz parte da equipe feminina de Uganda. O boxe masculino tem uma longa história em Uganda, mas os boxeadores são frequentemente frustrados pelas poucas oportunidades de competir internacionalmente. AP
  • A menina Yana, de Honduras, chora enquanto sua mãe, Sandra Sánchez, é revistada por um policial de fronteira dos EUA em McAllen, Texas. A imagem tornou-se o símbolo das famílias migrantes separadas por ordem da administração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. "Relata o que aconteceu e ao mesmo tempo faz você se sentir parte disso. Mostra outro tipo de violência, a psicológica", disse Alice Martins, membro do júri.
    9Foto do Ano: Criança chorando na fronteira A menina Yana, de Honduras, chora enquanto sua mãe, Sandra Sánchez, é revistada por um policial de fronteira dos EUA em McAllen, Texas. A imagem tornou-se o símbolo das famílias migrantes separadas por ordem da administração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. "Relata o que aconteceu e ao mesmo tempo faz você se sentir parte disso. Mostra outro tipo de violência, a psicológica", disse Alice Martins, membro do júri. Getty

MAIS INFORMAÇÕES