Seleccione Edição
Login

As 12 fotos aéreas mais impressionantes

National Geographic e Dronestagram escolhem as melhores imagens do ano feitas com drones

  • drone
    1Selva de concreto 

    Durante um mês (de 30 de maio a 30 de junho) a rede social Dronestagram briu espaço para que usuários submetessem suas fotografias e participassem da quarta edição do prêmio que a plataforma organiza com a National Geographic. Guillaume Jarret, diretor da rede social, conta que a participação deste ano bateu um recorde. “Mais de 8.000 fotos e 4.000 participantes, um símbolo do grande entusiasmo social pelos drones relacionados com o lazer”.

    Esta imagem, Selva de Concreto, primeiro prêmio na categoria Urbano, foi feita por Bachir Moukarzel, um libanês de 33 anos que vive há 15 em Dubai, que aparece aqui. “A foto foi tirada às 18h em Dubai, tentando capturar uma área que, literalmente, era um deserto há dez anos e agora se transformou em uma selva de concreto com os edifícios mais altos de Dubai”, explicou o autor à rede social.

    Dronestagram
  • drone
    2Dawon na Torre de Mercúrio O segundo prêmio da categoria Urbano foi para Dawon na Torre de Mercurio, uma imagem de Alexey Goncharov, um físico russo de 36 anos que trabalha na Universidade Estatal de Moscou e que, às vezes, sai mais cedo de casa com o drone debaixo do braço para fazer algum voo. “Foi o caso desta foto. Estava sentado em um banco perto da região do Centro Internacional de Negócios de Moscou e os vi. Gostei de como era possível ver o trabalho deles a partir dessa perspectiva, parecia que estavam limpando a própria cidade, não só as janelas da torre”, disse ao Dronestagram o ganhador. Dronestagram
  • drone
    3Paz Luis Saguar Domingo, um estudante madrilenho de 25 anos que ganhou um drone de sua irmã como presente de Natal, foi o terceiro da categoria Urbano com Paz, uma imagem que fez por acaso quando tentava encontrar um bom lugar para fazer o drone voar e colocar uma foto no Instagram. O espanhol contou ao Dronestagram que só depois de tirada ele percebeu a simetria da imagem. Dronestagram
  • drone
    4Provença, recorte de verão Jerome Courtial, um francês de 39 anos radicado em Londres, viajou a Valensole com a esperança de capturar uma imagem que não fosse a tradicional, “com o entardecer ao fundo”, declarou ao Dronestagram. Esperou pacientemente o momento em que o trator começou a criar um padrão sobre a terra. Esta imagem deu a ele o primeiro prêmio na categoria Natureza. Dronestagram
  • drone
    5Estrada infinita para a Transilvânia O segundo prêmio da categoria Natureza foi para Calin Stan, romeno de 30 anos que há mais de uma década se dedica profissionalmente à fotografia. A imagem, publicada no Dronestagram, foi feita sobre a estrada que leva à Transilvânia: "A Cheia DN1A, essa que, segundo a lenda, era a que o Conde Drácula via quando voava”. Stan contou à rede social que esta foi a primeira estrada que fotografou com seu drone para o Projeto Estradas da Transilvânia. Dronestagram
  • drone
    6Formação de gelo Esta imagem do leste da Groenlândia foi feita por Florian Ledoux, um francês de 27 anos que se mudou recentemente para Reikiavik a fim de ficar mais perto do Ártico, um de seus lugares favoritos e que, conforme disse ao Dronestagram, começou a fotografar em 2014 para documentar as mudanças na cultura inuit. A foto ganhou o terceiro prêmio na categoria Natureza. Dronestagram
  • Martin Sánchez saiu numa tarde de abril para sobrevoar o litoral de Nova Jersey e observou que as praias estavam vazias, e a costa limpa. “Depois de todo o dia fotografando essa área, estava cansado e não tinha nada para comer”, disse ao Dronestagram. “Então tomei o caminho da cidade e, enquanto dirigia, percebi que havia umas quadras de tênis vazias.” Sánchez começou assim a se posicionar para criar sua ‘tela’, até que duas pessoas chegaram para jogar na quadra ao lado. “Pareciam bastante intrigados por me verem ali deitado no chão, fazendo poses estranhas. Ao final, quando acabei, mostrei a eles o que estava fazendo, e disseram, ‘Ah, tá bom’.” Aquele exercício de contorcionismo foi o primeiro prêmio na categoria Gente.
    7O fim da linha Martin Sánchez saiu numa tarde de abril para sobrevoar o litoral de Nova Jersey e observou que as praias estavam vazias, e a costa limpa. “Depois de todo o dia fotografando essa área, estava cansado e não tinha nada para comer”, disse ao Dronestagram. “Então tomei o caminho da cidade e, enquanto dirigia, percebi que havia umas quadras de tênis vazias.” Sánchez começou assim a se posicionar para criar sua ‘tela’, até que duas pessoas chegaram para jogar na quadra ao lado. “Pareciam bastante intrigados por me verem ali deitado no chão, fazendo poses estranhas. Ao final, quando acabei, mostrei a eles o que estava fazendo, e disseram, ‘Ah, tá bom’.” Aquele exercício de contorcionismo foi o primeiro prêmio na categoria Gente. Dronestagram
  • drone
    8Nenúfares O segundo prêmio na categoria Gente do concurso organizado pelo Dronestagram e pela National Geographic foi para esta imagem de uma mulher colhendo nenúfares no delta do rio Mekong, no Vietnã. Dronestagram
  • drone
    9La Vijanera La Vijanera é o carnaval de Silió, na Cantábria (norte da Espanha), no primeiro domingo do ano. Para lá foi Javier Bustamante, um desenhista de 32 anos nascido em San Vicente de la Barquera, a 65 quilômetros de Silió. “Esta festa consiste na representação de um conjunto de caçadores capturando um urso. Esta foto é do momento final, onde se supõe que o urso foi apanhado”, disse ao Dronestagram. A imagem dessa festa popular foi a ganhadora do terceiro prêmio na categoria Gente. Dronestagram
  • drone
    10Próximo nível Guillaume Jarret, diretor do Dronestagram, anunciou a criação de uma nova categoria ‘hors-concours’, Criatividade. Esta é uma das três imagens selecionadas da nova seção. Dronestagram
  • drone
    11Dois mugidos Esta foto aérea de Luke Belli foi outra das selecionadas na categoria Criatividade. Emanuela Ascoli, editora de fotografia da National Geographic na França, diz que, em comparação a edições anteriores, a nova linguagem fotográfica que os drones oferecem está começando a se afirmar: “A qualidade da imagem melhorou significativamente, e em alguns casos quase chegam à excelência”. Dronestagram
  • drone
    12Ugo, o marinheiro Ascoli diz que as imagens feitas com drones fazem “viajar” de outra maneira. “Agora, quem opera os drones pode administrar melhor a tecnologia, participar mais do que faz, e eles mostram um enfoque reflexivo, interessante e criativo. Mesmo a tendência do ‘selfie’ assume aqui outra dimensão; os protagonistas criam projetos muito visuais e frequentemente muito divertidos.” Como esta imagem, a última das selecionadas na nova categoria que o Dronestagram criou para recompensar a criatividade da sua comunidade. O júri desse concurso, organizado desde 2014 em conjunto com a National Geographic, é composto por especialistas, entre os quais se encontra o diretor de fotografia da National Geographic Society, Patrick Witty, o editor de fotografia Jeff Heimsath, o Dronestagram e Emanuela Ascoli, a editora de fotografia da National Geographic na França. Dronestagram

MAIS INFORMAÇÕES