Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

A NASA procura candidatos como você para viajar a Marte

A agência abre prazo para selecionar aspirantes a astronauta entre norte-americanos

A nave tripulable Orion. Ampliar foto
A nave tripulable Orion.

A NASA está à procura de candidatos dispostos a trabalhar no espaço. Não é uma oferta de emprego comum, mas é, de fato, uma oferta. A agência espacial dos Estados Unidos abriu um prazo, iniciado nesta segunda-feira e com encerramento previsto para 18 de fevereiro do próximo ano, para recrutar aspirantes, entre cidadãos norte-americanos, que queiram integrar alguns dos mais apaixonantes projetos que a humanidade tem pela frente. Entre outros, a desejada viagem a Marte. “A NASA está preparando uma ambiciosa viagem para Marte e estamos procurando homens e mulheres com talento e de diferentes áreas para que nos ajudem a chegar lá”, afirma o diretor da agência e ex-astronauta Charles Bolden.

Os norte-americanos que quiserem ocupar uma vaga terão de passar por um amplo processo de seleção com duração de vários meses, já que as exigências, tanto acadêmicas quanto físicas, para um trabalho com essas características são enormes. Os nomes dos escolhidos só serão divulgados no primeiro semestre de 2017. E somente no segundo semestre é que eles começarão efetivamente a atuar em seu novo local de trabalho: o Centro Espacial Johnson, em Houston. As provas finais incluem entrevistas com pessoal qualificado da NASA, que tomará a decisão final.

Os candidatos devem ter, fundamentalmente, formação científica: engenheiros, matemáticos, físicos ou biólogos. Os responsáveis pela agência também valorizam o fato de os candidatos terem, eventualmente, experiência como piloto de avião. A NASA estima que cerca de três milhões de norte-americanos cumprem essas exigências básicas para aspirar a pertencer à nova geração de astronautas.

Além do desafio de Marte, a NASA destaca, como fator de estímulo, que os selecionados poderão viajar para a Estação Espacial Internacional, em que os Estados Unidos e a Rússia atuam de forma cooperativa há vários anos; em duas naves espaciais atualmente em construção por empresas norte-americanas ou no novo veículo de exploração espacial Orion, lançado ao espaço de forma experimental há um ano e que, conforme as expectativas, poderá ser tripulado por astronautas em 2021. Os selecionados farão testes na órbita da lua, quando deverão aprender manobras espaciais complexas antes de passar para o objetivo principal, que é a missão de Marte.

No anúncio de sua oferta de trabalho, a NASA lembra que, hoje em dia, há mais projetos espaciais em desenvolvimento do que nunca antes na história e que os futuros candidatos terão a oportunidade de conhecer regiões do espaço jamais exploradas pela humanidade. Até o momento, a NASA fez uma seleção de mais de 300 astronautas para explorar o espaço. E muitos mais serão necessários para as futuras missões na Estação Espacial Internacional, onde se realizam várias pesquisas e se experimentam novas tecnologias. A NASA informa que as missões na estação espacial duram entre três e seis meses e que a preparação para permanecer tanto tempo no espaço requer um período de dois a três anos.

Evidentemente, as exigências de disponibilidade e deslocamento geográfico colocadas pela NASA para os candidatos são enormes para uma remuneração que variará de 66.026 dólares (cerca de 250.000 reais) a 144.566 dólares (cerca de 549.000 reais) ao ano.

MAIS INFORMAÇÕES