Seleccione Edição
Login
A batalha de uma ilha para ser 100% renovável
15 fotos

A batalha de uma ilha para ser 100% renovável

A central de Gorona del Viento proporcionou à ilha espanhola de El HIerro energia totalmente renovável durante 18 dias consecutivos

  • Cinco turbinas eólicas, dois tanques de água, quatro turbinas hidráulicas e uma estação de bombeamento compõem o experimento renovável que começou em 2014 na ilha de El Hierro, uma das ilhas do arquipélago espanhol das Canárias. Na fotografia, o depósito inferior da central elétrica de Gorona del Viento. Ao fundo da imagem encontra-se a sala de turbinas que serve para gerar eletricidade com a queda da água procedente do depósito superior. Essa operação é realizada quando não há vento e os aerogeradores não podem fornecer eletricidade.
    1Cinco turbinas eólicas, dois tanques de água, quatro turbinas hidráulicas e uma estação de bombeamento compõem o experimento renovável que começou em 2014 na ilha de El Hierro, uma das ilhas do arquipélago espanhol das Canárias. Na fotografia, o depósito inferior da central elétrica de Gorona del Viento. Ao fundo da imagem encontra-se a sala de turbinas que serve para gerar eletricidade com a queda da água procedente do depósito superior. Essa operação é realizada quando não há vento e os aerogeradores não podem fornecer eletricidade.
  • A chave para esse projeto de 82 milhões de euros é combinar o vento rebelde com a docilidade da água estocada e, assim, enfrentar o ponto fraco das energias renováveis: o armazenamento. Na sala de controle de Gorona del Viento, exibida na imagem, gerencia-se todo o mecanismo da central. Na foto, o engenheiro Alberto Castañeda.
    2A chave para esse projeto de 82 milhões de euros é combinar o vento rebelde com a docilidade da água estocada e, assim, enfrentar o ponto fraco das energias renováveis: o armazenamento. Na sala de controle de Gorona del Viento, exibida na imagem, gerencia-se todo o mecanismo da central. Na foto, o engenheiro Alberto Castañeda.
  • Nuvens de um mirante próximo ao município de Isora a 700 metros de altitude acima do nível do mar. "Uma parte da energia produzida pelo parque eólico vai diretamente para os clientes e outra para as bombas que elevam a água de um reservatório inferior quase ao nível do mar para uma altura superior a 700 metros", explica Juan Pedro Sánchez, responsável pelo centro.
    3Nuvens de um mirante próximo ao município de Isora a 700 metros de altitude acima do nível do mar. "Uma parte da energia produzida pelo parque eólico vai diretamente para os clientes e outra para as bombas que elevam a água de um reservatório inferior quase ao nível do mar para uma altura superior a 700 metros", explica Juan Pedro Sánchez, responsável pelo centro.
  • Tomás Padrón foi presidente do Cabildo Insular de El hierro e um dos principais impulsores do projeto de Gorona del Viento. Em El Hierro, as paisagens se alternam tão rápido quanto o tempo. Os vales de coníferas aliviam as falésias e os recifes de lava vulcânica negra, enquanto o calor da costa se desvanece ante da névoa da montanha que atinge os 1.500 metros no seu pico mais alto. Essas peculiaridades geográficas foram determinantes no momento de projetar o complexo hidroeólico.
    4Tomás Padrón foi presidente do Cabildo Insular de El hierro e um dos principais impulsores do projeto de Gorona del Viento. Em El Hierro, as paisagens se alternam tão rápido quanto o tempo. Os vales de coníferas aliviam as falésias e os recifes de lava vulcânica negra, enquanto o calor da costa se desvanece ante da névoa da montanha que atinge os 1.500 metros no seu pico mais alto. Essas peculiaridades geográficas foram determinantes no momento de projetar o complexo hidroeólico.
  • O depósito superior de Gorona del Viento está construído na cratera de um antigo vulcão. Essa barragem funciona como uma bateria para armazenar energia potencial, já que quando não há vento para mover os aerogeradores se gera eletricidade com a força da água ao fazê-la cair até as turbinas que se encontram junto ao depósito inferior.
    5O depósito superior de Gorona del Viento está construído na cratera de um antigo vulcão. Essa barragem funciona como uma bateria para armazenar energia potencial, já que quando não há vento para mover os aerogeradores se gera eletricidade com a força da água ao fazê-la cair até as turbinas que se encontram junto ao depósito inferior.
  • Uma planta cresce em uma zona vulcânica de lava petrificada em Punta de Orchilla. O objetivo é que a usina gere 100% de energia limpa ao longo do ano. Em 2017, forneceu 47% da eletricidade consumida na ilha, 17 pontos a mais do que em 2015; o resto é coberto por uma usina a diesel anexa à usina. "Com os últimos ajustes, esperamos ultrapassar 60% em 2018 e continuar subindo", diz Sánchez.
    6Uma planta cresce em uma zona vulcânica de lava petrificada em Punta de Orchilla. O objetivo é que a usina gere 100% de energia limpa ao longo do ano. Em 2017, forneceu 47% da eletricidade consumida na ilha, 17 pontos a mais do que em 2015; o resto é coberto por uma usina a diesel anexa à usina. "Com os últimos ajustes, esperamos ultrapassar 60% em 2018 e continuar subindo", diz Sánchez.
  • A estação de bombeamento da central de Gorona tem como missão principal impulsionar a água desde o depósito inferior para o superior quando a força do vento é suficientemente intensa. Graças a Gorona del Viento, El Hierro dispensou 6.070 toneladas de diesel em 2017, o equivalente a 40.000 barris de petróleo. A ilha também reduziu as emissões de gases de efeito estufa em 40.000 toneladas desde 2015 e contribuiu um pouco para a luta contra a mudança climática, que há muito expõe as contradições do crescimento baseado em combustíveis fósseis, acelerando a transição para um modelo que seja mais respeitoso com o ambiente.
    7A estação de bombeamento da central de Gorona tem como missão principal impulsionar a água desde o depósito inferior para o superior quando a força do vento é suficientemente intensa. Graças a Gorona del Viento, El Hierro dispensou 6.070 toneladas de diesel em 2017, o equivalente a 40.000 barris de petróleo. A ilha também reduziu as emissões de gases de efeito estufa em 40.000 toneladas desde 2015 e contribuiu um pouco para a luta contra a mudança climática, que há muito expõe as contradições do crescimento baseado em combustíveis fósseis, acelerando a transição para um modelo que seja mais respeitoso com o ambiente.
  • O Hotel Punta Grande era há até pouco tempo o menor do mundo. Tem quatro habitações e encontra-se sobre uma rocha em uma ponta da costa do município de Frontera.
    8O Hotel Punta Grande era há até pouco tempo o menor do mundo. Tem quatro habitações e encontra-se sobre uma rocha em uma ponta da costa do município de Frontera.
  • O Garoé é uma árvore que destila água, já que é capaz de absorver dos nevoeiros. Os bimbaches, nome dos indígenas que viviam na ilha, o consideravam sagrado, pois lhes proporcionava água que armazenavam em pequenos depósitos debaixo da árvore quando havia seca.
    9O Garoé é uma árvore que destila água, já que é capaz de absorver dos nevoeiros. Os bimbaches, nome dos indígenas que viviam na ilha, o consideravam sagrado, pois lhes proporcionava água que armazenavam em pequenos depósitos debaixo da árvore quando havia seca.
  • 'Gallotia simonyi', conhecido popularmente como lagarto gigante de El Hierro, é uma espécie em risco de extinção e um símbolo da ilha. Os aborígenes e alguns depredadores como ratazanas de campo quase acabam com essa espécie que agora está protegida e pode ser visto no lagartário em Frontera.
    10'Gallotia simonyi', conhecido popularmente como lagarto gigante de El Hierro, é uma espécie em risco de extinção e um símbolo da ilha. Os aborígenes e alguns depredadores como ratazanas de campo quase acabam com essa espécie que agora está protegida e pode ser visto no lagartário em Frontera.
  • A instalação de placas solares é um negócio em ascensão, e na Ilha de El Hierro especialmente, pois ainda há áreas onde não chega o fornecimento elétrico, como nas zonas altas de montanha. Na imagem, Marco Sánchez, quem tem uma empresa de eletricidade e faz esse tipo de instalação.
    11A instalação de placas solares é um negócio em ascensão, e na Ilha de El Hierro especialmente, pois ainda há áreas onde não chega o fornecimento elétrico, como nas zonas altas de montanha. Na imagem, Marco Sánchez, quem tem uma empresa de eletricidade e faz esse tipo de instalação.
  • Vista do Golfo a partir do Miradouro de la Peña. Esta zona, onde se encontram os municípios de Frontera e Sabinosa, é a mais povoada da ilha.
    12Vista do Golfo a partir do Miradouro de la Peña. Esta zona, onde se encontram os municípios de Frontera e Sabinosa, é a mais povoada da ilha.
  • Ao fundo, o farol de Orchilla. Em primeiro plano, um monolito e uma cruz lembram a Carmelo Heredia Olmos, primeiro torrero do farol. É o ponto mais ocidental de Espanha, e o local onde se estabeleceu o meridiano zero até que se mudasse pela cidade de Greenwich no final do 1800.
    13Ao fundo, o farol de Orchilla. Em primeiro plano, um monolito e uma cruz lembram a Carmelo Heredia Olmos, primeiro torrero do farol. É o ponto mais ocidental de Espanha, e o local onde se estabeleceu o meridiano zero até que se mudasse pela cidade de Greenwich no final do 1800.
  • Zona de caminhada de montanha no município de Valverde, a capital da ilha. El Hierro foi declarado no ano 2000 reserva da biosfera pela Unesco.
    14Zona de caminhada de montanha no município de Valverde, a capital da ilha. El Hierro foi declarado no ano 2000 reserva da biosfera pela Unesco.
  • Vista do Golfo a partir de Sabinosa. Diferente de outras ilhas, El Hierro não optou pelo turismo em massa. Em vez disso, apostou em um modelo de crescimento sustentável para alcançar a autossuficiência e proteger o patrimônio natural de um território afastado da península e de extensão reduzida, cuja população só representa 0,5% do total das Canárias.
    15Vista do Golfo a partir de Sabinosa. Diferente de outras ilhas, El Hierro não optou pelo turismo em massa. Em vez disso, apostou em um modelo de crescimento sustentável para alcançar a autossuficiência e proteger o patrimônio natural de um território afastado da península e de extensão reduzida, cuja população só representa 0,5% do total das Canárias.

MAIS INFORMAÇÕES