Fera, bartender há 28 anos, prepara um rabo de galo.

Prove o rabo de galo antes que ele se transforme em artigo hipster

Sem a mesma grife dos drinks estrangeiros, os coquetéis tipicamente brasileiros são saborosos, fáceis de fazer e não afetarão seu bolso

O ‘cosplay’ não tem idade, como mostra esta brasileira de 60 anos

Tia Sol, uma dona de casa, começou acompanhando sua filha nas convenções de ‘cosplay’

Te lo digo con emojis para que me entiendas: NO

‘Avolatte’: Quando a estupidez se torna tendência

Um café com leite servido dentro de uma metade de abacate, a última novidade 'hipster' transformada em fenômeno midiático: bem-vindos ao fim do poço gastronômico

Cupcakes

Cansado dos modismos? A culpa também pode ser sua

As modinhas na gastronomia agitam o mercado, criam burburinho, surgem e acabam. O que é bom permanece

“Meu ‘nerd’ queimou o roteador ADSL de casa para conseguir um ingresso para ‘Star Wars – o despertar da força’”.

Confesso meus sofrimentos por ser casada com um ‘nerd’ de ‘Star Wars’

Ele registrou nosso filho como Lucas, fomos jantar e ele apareceu vestido de Darth Vader...

Pacifistas, ambientalistas, defensores da reciclagem e amantes da vida slow (comer devagar, beber devagar...). A tribo urbana conhecida como hipsters gera ódios. Em setembro do ano passado, cerca de 200 manifestantes atacaram o estabelecimento Cereal Killer Cafe, em Londres. A razão? Vender tigelas de leite ao equivalente a 15 reais e porções de cereal a cerca de 22 reais em um bairro onde muitos de seus vizinhos mal conseguem pagar as contas básicas. Acusam o estabelecimento de ser parte da gentrificação do leste da cidade: a chegada de novos habitantes com maior poder aquisitivo que acaba estrangulando o comércio tradicional, encarecendo os aluguéis e expulsando seus antigos moradores. Movimentos similares foram vistos em Kreuzberg (Berlim), Brooklyn (Nova York) e Malasaña (Madri). É verdade que o trabalho artesanal, o comércio justo e próximo e o valor agregado dos locais com ambiente familiar custam dinheiro. Com razão ou não, a questão é que os hipsters encarecem tudo o que tocam. Abaixo analisamos os casos mais claros.
O grupo de 'hipsters' posando em um castelo em ruínas na Suécia.

Grupo de ‘hipsters’ barbudos suecos, confundidos com terroristas do EI

Um morador, confuso diante homens com barba, alertou para a presença de jihadistas

Anarquistas contra ‘hipsters’ nos bairros populares de Londres

Movimento contra o aumento de aluguéis em zonas humildes ataca um café da moda

Gisele Bündchen, a mais grata e abençoada pela vida de todo o Instagram.

Viciados em #blessed: chatos, mas felizes?

Existe um movimento de autoajuda que acredita ter encontrado o segredo da felicidade

Morte ao hipster, vida longa ao ‘yuccie’

Ou busque outra absurda etiqueta social, agora que a anterior se tornou algo tão massivo

Comida, selfies e bichinhos. A conta de Instagram de Chanel Preston poderia ser a de qualquer 'moderno'

Até o pornô agora é hipster

Os atores mais premiados têm barbas, óculos modernos e cabelos retrô. Coincidência?

Loja WeAreArrow, em Netil Market (Londres).

Londres ‘lumbersexual’

A tribo urbana conquistou a região de Hackney com sua vida rural em plena cidade Camisa de lenhador, barba e tecnologia de ponta

Carl Lentz, no centro, com suas filhas em uma partida dos Knicks. À sua direita, Justin Bieber.

Evangelismo hipster para jovens urbanos

A igreja Hillsong, com pastores modernos como Carl Lentz, se espalha pelo mundo com uma cenografia que combina concertos de rock, clubes noturnos e cultos religiosos