Michael Flynn antes de ser destituído de seu cargo na Casa Branca

Ex-assessor de Trump confessa que mentiu ao FBI sobre contato com a Rússia

Michael Flynn, ex-assessor de Segurança, negociou com embaixador de Putin após expulsão de diplomatas

Trump saúda à imprensa na Casa Branca

Rússia e Trump: entenda a trama pela qual se investiga o 45º presidente dos EUA

O que está sendo investigado? Por que há um promotor especial? O presidente cometeu crime?

Trump, Flynn e Comey.

Cronologia do ‘caso Flynn’

Desde sua renúncia em fevereiro, os vínculos do ex-conselheiro de segurança nacional dos EUA com a Rússia provocaram um furacão em Washington

O ex-diretor James Clapper e a ex-secretária Sally Yates antes de depor.

Mais um capítulo da trama EUA-Rússia: ex-secretária diz que general Flynn mentiu ao vice-presidente

Ex-responsável interina pelo Departamento de Justiça alertou a Casa Branca de que o conselheiro de Segurança Nacional era suscetível “de ser chantageado” pelo Kremlin

Donald Trump saúda seus seguidores, no Air Force One, em Atlanta

Cem dias de Trump

Improvisação, imprevisibilidade e incerteza marcam sua gestão

Michael Flynn, ex-assessor de Segurança Nacional do presidente Donald Trump, na Casa Branca.

Ligação com a Rússia derruba assessor de Segurança Nacional de Trump

Michael Flynn renuncia a um cargo de altíssimo escalão na Casa Branca após escândalo

Donald Trump durante uma reunião na Casa Branca com representantes da indústria farmacêutica

Veto de Trump à imigração abre o primeiro conflito institucional

O decreto precipita a demissão da procuradora-geral, mobiliza diplomatas contra a decisão e cria mal-estar no gabinete

Sally Yates, procuradora-geral dos EUA, destituída por Donald Trump.

A camarilha de Trump

Presidente governa a golpes de impulsos baseados em preconceito ideológico e ódio racial e religioso

A ex-secretária interina da Justiça, Sally Yates.

Trump demite secretária interina de Justiça que se negou a sustentar veto migratório

Sally Yates, nomeada por Obama, determinou que o Departamento de Justiça não defendesse o decreto presidencial nos tribunais, por considerá-lo ilegal