Uma das últimas fotos divulgadas pela Agência Espacial Europeia, tomada pela 'Rosetta'.

‘Rosetta’ cumpre seu destino e morre em seu cometa

Sonda conclui a histórica missão europeia passados mais de 12 anos desde que decolou da Terra

Assim será a doce morte de ‘Rosetta’

A primeira sonda a orbitar um cometa se suicida nesta sexta durante uma manobra histórica

A sonda 'Philae', sobre o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko.

Sonda ‘Philae’ esgota as baterias, mas envia os dados científicos

Os controladores conseguiram reorientar a sonda para incrementar as possibilidades de recarga de energia quando receber mais luz em seus painéis solares

"Um pequeno passo para o homem, um grande passo para a humanidade". É provavelmente a frase que melhor resume a conquista do espaço e foi dita por Neil Armstrong na Lua, no dia 20 de julho de 1969. Esses pequenos passos começaram, no entanto, no lado rival. A União Soviética marcou o primeiro tento da corrida espacial (o lado mais amável da Guerra Fria). Seu 'Sputnik 1' tornou-se o primeiro objeto a ser lançado ao espaço e entrar na órbita da Terra. Aconteceu no dia 4 de outubro de 1957. O primeiro grande êxito de uma longa cadeia de achados cujo último grande marco é a aterrissagem da sonda 'Philae' no cometa 67P/Churyamov-Gerasimenko.

Sonda ‘Philae’ fez três aterrissagens no cometa ao ricochetear duas vezes

Especialistas da missão não sabem em que ponto exato do cometa o robô foi parar Veículo funciona e envia dados, mas está na sombra e recebe energia de painéis solares

Cientistas observam a aterrissagem do robô no cometa.

Sonda pousa na superfície de cometa

É a primeira vez na história que uma nave consegue essa proeza Arpões do módulo não dispararam; ele está preso com parafusos

Ilustração compara o tamanho do cometa com a cidade de Los Angeles.

Sonda ‘Rosetta’ terá sete horas de queda livre até atingir solo de cometa

A descida do módulo europeu ‘Philae’ é uma manobra de alto risco que nunca foi testada

Imagen do cometa 67P/Churyumov–Gerasimenko.

A nave ‘Rosetta’ chega ao cometa

A sonda espacial está a 100 quilômetros da superfície do objeto celeste 67P/Churyumov–Gerasimenko, e os dois viajam a 55.000 quilômetros por hora em direção ao Sol

A sonda Rosetta da Agência Espacial Europeia.

A nave espacial que vai atrás do cometa desperta da hibernação

A Agência Europeia do Espaço deve receber hoje o primeiro contato de 'Rosetta', que desperta após nove anos viajando pelo Sistema Solar