A nova música cubana

Son, jazz, trova, salsa rock, rap ou reggaeton ressoam nas cálidas noites de Havana, transformada em laboratório sonoro de todos os ritmos

O violonista de flamenco José de Lucía sofre há 17 anos da síndrome da distonia focal do músico

Distonia, a misteriosa doença dos músicos

Começa com um desconforto muscular, mas se transforma em uma condenação a distonia incapacita os intérpretes de exercer sua profissão. O estigma e a solidão cercam essa doença tabu no mundo da música.

“O importante não é participar, e sim vencer.” O nadador Mark Spitz (1950, EUA) deve ter sido profundamente marcado pelas palavras repetidas por seu pai quando começou a molhar o pé na piscina. Com apenas 22 anos, já acumulava nove medalhas olímpicas: sete de ouro nos Jogos de Munique, em 1972, e duas (com 18 anos!) nos Jogos do México, em 1968. Spitz, que mal tinha pelos no peito e já havia atingido o topo, deixou o esporte de elite para se tornar famoso em Hollywood. Não conseguiu. Não importa: já havia feito história.

O que você fazia aos 22 anos? E Jay Z? E Da Vinci?

Com essa idade, uma engenheira acaba de ser contrata pela NASA. Confira o que outros famosos faziam quando eram mais jovens.

Coluna

O mundo da gente morre antes da gente

A vida que conhecemos desaparece lentamente, num movimento silencioso

Paco de Lucía retratado por sua viúva, Gabriela Canseco.

A última copla de Paco de Lucía

‘Canción andaluza’, o disco póstumo do grande violonista flamenco que sai às lojas em 29 de abril, recria oito versões tradicionais de um gênero musical que lhe apaixonava

Paco de Lucía e Juan Anyélica, em um barco nos mares do Caribe mexicano.

O último dia de Paco de Lucía

A família se recolhe no refúgio do artista, de frente para o mar do Caribe, à espera da repatriação do corpo

Capa de 'Siroco', de Paco de Lucía, de 1987.

O ser flamenco de Francisco Sánchez Gómez

O próprio artista se encarregou de imprimir seu estilo em tudo o que fez sempre soaria à sua linguagem

As grandes atuações do violonista

Desde a imortal interpretação do Concerto de Aranjuez a sua associação com Camarón, uma coleção dos melhores momentos de Paco de Lucía

Um revolucionário do violão

Nascido em 1947, Paco de Lucía dedicou as quatro últimas décadas a popularizar o flamenco e fundir todos os estilos de música a seu alcance

Paco de Lucía em um concerto no Teatro Real de Madrid em 2010.

Paco de Lucía morre aos 66 anos

O dedilhado do violão ficou mudo. O intérprete flamenco morreu no México aos 66 anos, segundo confirmam fontes de seu meio e da Prefeitura de Algeciras (Cádiz, sul da Espanha), sua cidade natal e a cujo perfil portuário estará para sempre associado seu inigualável som com seis cordas. Foi um dos grandes renovadores do flamenco popular, que o levou ao mundo