O Muro de Berlim

Graças à queda daquela muralha e do que ela representava, a Alemanha, a Europa e o mundo inteiro estão melhor que nos tempos em que a URSS e seus satélites pareciam avançar sobre o restante do continente

Pintada na cara ocidental do muro, vigiado por soldados orientais, em novembro de 1989.

Muro de Berlim, a ferida identitária que golpeia a Alemanha

Três décadas depois, a queda do muro e a reunificação alemã escrevem uma história de sucesso extraordinária que contrasta com o sentimento de frustração e o desejo identitário de muitos cidadãos do Leste, do qual se alimenta a ultradireita

Una multitud coloca flores en el Memorial del Muro, este sábado.
O ex-presidente soviético durante visita a um antigo posto fronteiriço do muro de Berlim, em 2014.

Mikhail Gorbachov: “Que o futuro não lhes escape”

Primeiro e único presidente da URSS defende a necessidade de consolidar a sociedade e manter a luta pelo desarmamento nuclear

Uma mulher, que está do lado ocidental, olha através do muro de Berlim.

Trinta anos sem o muro de Berlim, a anatomia de um acidente da história

Um dirigente do partido comunista anunciou à imprensa uma nova normativa que permitiria viajar de maneira controlada a partir do Leste. Ele desconhecia os detalhes da lei e improvisou, precipitando a queda do muro

Celebração junto ao muro de Berlim em novembro de 1989.No vídeo, a noite que caiu o muro.

O triunfo ocidental em 1989 incubou as turbulências de 2019

A queda do muro de Berlim atestou a vitória das democracias liberais, mas também o prólogo de sua crise trinta anos depois

Imagem de Dresde, no Leste da Alemanha, junto a cartazes eleitorais da extrema direita, Alternativa por Alemanha (AfD).

Governistas barram partido de extrema-direita em eleições estaduais na Alemanha

Os radicais da sigla AfD crescem nas urnas e se tornam segunda força política do país. Na na Saxônia e em Brandemburgo, as projeções indicam a vitória dos conservadores e sociais-democratas

Comemoração da queda do Muro de Berlim em uma estrada da Baviera (Alemanha Ocidental), em 1989.

Para a melancolia de esquerda, superar é tudo

Enzo Traverso analisa a ascensão e queda das utopias de esquerda durante o século XX. Com um olhar que foge da nostalgia, centra-se não no que fracassou, e sim nos ideais que continuam vigentes

Eleitor de Haddad oferece flor a eleitor de Bolsonaro, no dia do segundo turno.

Os muros de pedra e os muros invisíveis

Muros foram sempre um símbolo do medo. Atualmente os muros invisíveis são ainda mais graves, porque nos separam espiritualmente

BERLIN, GERMANY - FEBRUARY 05: Vsitor passing a painting at the Berlin Wall at the East Side Gallery on February 5, 2018 in Berlin, Germany. Today tem been 10,316 days since the Berlin Wall officially fell, the same number of days that it stood between 1961 and 1989. The Berlin Wall, built by the communist authorities of East Germany, divided capitalist West Berlin from communist East Berlin and came to symbolize the Cold War between the western Allies, led by the United States, and the Eastern Bloc, led by the Soviet Union. (Photo by Carsten Koall/Getty Images)
O chanceler Helmut Kohl, em 1991 em Bonn, então a capital.

Morre Helmut Kohl, o europeísta em estado puro que unificou a Alemanha

Político que comandou processo após queda do Muro de Berlim faleceu nesta manhã aos 87 anos em sua casa de Ludwigshafen

A queda do Muro de Berlim, aberto à passagem em 9 de novembro de 1989, significou uma mudança irreversível da ordem mundial. O fim do modelo bipolar surgido depois da Segunda Guerra Mundial teve profundas consequências para a política europeia, mas também foi de grande importância para o mundo cultural e intelectual. Na imagem, o muro do memorial na Bernauer Strasse de Berlim.

Alemanha celebra o sucesso dos 25 anos de reunificação

A união conseguiu aumentar o nível de vida dos cidadãos do leste, apesar das diferenças

Günter Fischer em 1989, na Universidade de Halle.

O cientista que burlou a Stasi

O bioquímico alemão oriental Günter Fischer conta como publicou na ‘Nature’a descoberta sobre a dobradura de proteínas, numa época em que isso era proibido em seu país

Fragmento do muro exposto no Museu Presidencial Ronald Reagan (Simi Valley, Califórnia) desde 1990.

Onde está o muro?

A formidável estrutura que dividia Berlim foi demolida Alguns fragmentos foram leiloados ou cedidos a instituições

Cidadãos dos dois lados de Berlim celebram sobre o Muro a abertura da fronteira em 9 de novembro de 1989.

O mundo mudou naquele 9 de novembro

A queda do Muro de Berlim abriu caminho para o colapso do bloco comunista, a reunificação de um país e uma Alemanha com maior poder na UE

O bloqueio fronteiriço do Muro de Berlim acabou em 9 de novembro de 1989. Embora fisicamente a pedra, o tijolo e o cimento tenham demorado um pouco mais para serem quebrados, nesse dia terminou a separação entre Berlim Oriental e Ocidental. Nesta imagem um casal se beija ao lado do Muro. Ao redor, jovens se aproximam para contemplar o fim da divisão em 15 de novembro de 1989.

Berlim, 1989: depois da queda do Muro

Os 25 anos da queda do Muro de Berlim, vistos de Pyongyang

Hoje, o mundo parece mais livre e interconectado. Ao mesmo tempo, muitas oportunidades foram perdidas, novos e velhos conflitos se sobrepuseram

Cidade dividida / cidade unificada

A queda do muro mudou radicalmente a fisionomia de Berlim. Compare o antes e o depois

Edifício do Energie Forum, que aloja empresas de energias renováveis, junto ao Muro e dentro do projeto urbanístico Mediaspree. / JULIA SOLER

A Berlim contracultural agora é burguesa

Cidade tenta salvar a vitalidade que a tornou uma referência do alternativo Aumento dos preços da moradia alterou a paisagem. Mas ninguém se rende