Pelo menos cinco mortos em um ataque com arco e flechas na Noruega

O agressor, um homem, foi detido pela polícia após percorrer várias zonas da cidade de Kongsberg. As causas ainda são desconhecidas

Vários policiais cruzam a área isolada para investigar o ataque, nesta quarta-feira, na cidade norueguesa de Kongsberg.
Vários policiais cruzam a área isolada para investigar o ataque, nesta quarta-feira, na cidade norueguesa de Kongsberg.HAKON MOSVOLD LARSEN (AFP)
Agências
Oslo -

Um homem armado com arco e flecha matou cinco pessoas e feriu outras duas nesta quarta-feira em Kongsberg, no sudeste da Noruega, antes de ser preso, segundo a polícia. “Infelizmente, podemos confirmar que há vários feridos e também, infelizmente, vários mortos”, disse Oeyvind Aas, um policial local em uma entrevista coletiva, sem especificar o número exato de vítimas ou o motivo do ataque. A televisão pública do país, NRK, e a Agência France Presse, citaram fontes próximas à investigação para estimar as mortes em pelo menos cinco.

“O homem que cometeu este ato foi preso pela polícia e, pelo que sabemos até agora, há apenas uma pessoa envolvida”, acrescentou. O ataque ocorreu em “uma grande área” de Kongsberg, um município com cerca de 28.000 habitantes no sudeste da Noruega, informou a polícia. Segundo alguns meios de comunicação locais, o detido começou a atirar flechas de dentro de um supermercado da rede Coop Extra, na zona oeste de Kongsberg. As autoridades ordenaram que o resto dos clientes permanecessem dentro do centro. Os feridos foram levados para hospitais próximos e dezenas de veículos de emergência, como ambulâncias, carros da polícia e até dois helicópteros já viajaram para o local, segundo a imprensa local.

Os feridos foram levados para hospitais próximos e dezenas de veículos de emergência como ambulâncias, carros da polícia e até dois helicópteros viajaram para o local, segundo a imprensa local.

A polícia norueguesa informou que o indivíduo passou por várias áreas atacando pessoas antes de ser preso. A Câmara Municipal de Kongsberg montou um centro de recepção para as pessoas afetadas e mobilizou uma equipe de crise para lidar com a situação.

A polícia ordenou imediatamente que todos os seus agentes no país portassem armas. Normalmente, a polícia norueguesa está desarmada, embora tenha acesso a pistolas e rifles, se necessário.

Segundo o tabloide VG, os serviços de inteligência noruegueses (PST) foram informados dos acontecimentos, embora a polícia ainda considere que é muito cedo para saber se trata-se de um ataque terrorista. A ministra da Justiça e Segurança Pública da Noruega, Monica Maeland, já foi informada do ataque e está ciente do ocorrido.

O ataque ocorre dez anos após o pior massacre da Noruega. Em 22 de julho de 2011, Anders Breivik assassinou 77 pessoas. O autor, um neonazista antimuçulmano que afirmava agir em nome da luta contra o multiculturalismo e a “invasão muçulmana”, detonou uma van-bomba em frente à sede do Governo, deixando oito mortos. Mais tarde, ele se envolveu em um tiroteio em Utoya, uma ilha próxima onde uma reunião da seção juvenil do Partido Trabalhista estava acontecendo. Lá ele assassinou 69 adolescentes que participaram da reunião.

Policiais investigam o centro de Kongsberg, na Noruega, após o atentado, nesta quarta-feira.
Policiais investigam o centro de Kongsberg, na Noruega, após o atentado, nesta quarta-feira.DPA vía Europa Press (Europa Press)

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS