Vídeo de um disparo policial contra um menino latino de 13 anos com as mãos para cima agita Chicago

Adam Toledo levou um tiro no peito após uma perseguição em 29 de março. Imagens da câmera usada pelo agente no momento do disparo foram divulgadas pela polícia nesta quinta-feira

A prefeita de Chicago, Lori Lightfoot, pediu calma à população após a divulgação, nesta quinta-feira, de um vídeo da polícia de Chicago mostrando a morte de um menino de 13 anos, Adam Toledo, com o tiro de um agente. O caso aconteceu em 29 de março no bairro hispânico de La Villita. A filmagem da câmera presa ao uniforme do policial o mostra saindo da viatura e perseguindo o adolescente em uma corrida por um beco. No momento do disparo é possível ver que, ao se virar e encarar o agente, Toledo está com as mãos levantadas.

Mais informações

Após o incidente, o departamento de polícia da principal cidade do Estado de Illinois informou ter encontrado uma arma no local e que ela pertenceria ao menor. O The New York Times realizou na quinta-feira uma análise detalhada das imagens desaceleradas e um segundo vídeo divulgado pelas autoridades. Nos momentos que antecederam o disparo, de acordo com o jornal, Adam pode ser visto segurando o que parece ser uma arma, que ele deixa cair atrás de uma parede de madeira antes de levantar as mãos. Tudo acontece muito rápido, em apenas alguns segundos. O policial, identificado como Eric Stillman, de 34 anos, grita: “Pare agora! Mostre-me suas mãos! Jogue fora! “. Em seguida, o tiro é ouvido e o menino cai.

A divulgação das imagens pelo Escritório de Responsabilidade da Polícia Civil (COPA, nas siglas em inglês) estava marcada há dias. Era aguardada com ansiedade em um momento especialmente tenso pelos últimos casos de brutalidade de agentes policiais, com o julgamento pela morte de George Floyd enfrentando a reta final em Minneapolis (Estado de Minnesota) e a morte de outro jovem na prisão no último domingo em bairro da mesma cidade. Adam Toledo também é uma das pessoas mais jovens mortas pela polícia em anos.

A gravação mostra o agente solicitando uma ambulância, verificando o ferimento e repetindo para o menino, em plena agonia: “Fica comigo, fica comigo”. Os agentes perseguiam Toledo e um jovem de 21 anos, Ruben Roman, que supostamente estava com ele naquela noite, após receber a notícia de que tiros foram disparados na área. Roman, que foi preso, foi acusado de uso ilegal de arma e de colocar um menor em perigo.

A prefeita Lightfoot classificou o episódio de “tragédia incrivelmente dolorosa”. Adeena Weiss Ortiz, advogada da família Toledo, destacou que a vítima cumpriu as ordens da polícia, largou a arma e levantou as mãos, em entrevista coletiva relatada pela Reuters. A polícia incluiu esta frase em uma das imagens do vídeo: “838 milissegundos entre a arma mostrada na mão e o tiro único”. Weiss Ortiz respondeu: “Não sei se o agente teve tempo ou não, só sei que ele é treinado para não matar alguém desarmado.”

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: