COPA AMÉRICA

Chile fica sem patrocinador em plena Copa América

Nike rompe com a Associação Nacional de Futebol Profissional do Chile e a Roja joga com remendos no uniforme

A seleção do Chile, na sexta-feira antes de sua partida contra a Bolívia, com a bandeira do país no lugar do logotipo da Nike.
A seleção do Chile, na sexta-feira antes de sua partida contra a Bolívia, com a bandeira do país no lugar do logotipo da Nike.Andre Penner / AP

Mais informações

Em outro episódio de caos na Copa América, a seleção do Chile precisou usar um remendo no uniforme após um conflito com a empresa Nike. A Associação Nacional de Futebol Profissional (ANFP) do Chile recebeu há alguns dias uma carta em que a empresa norte-americana encerrou o contrato unilateralmente e os chilenos se negaram a mostrar o logotipo, de modo que colocaram um remendo com a bandeira chilena nas camisetas e nos shorts.

O contrato foi assinado em 2015, na gestão do à época presidente Sergio Jadue, e valia até a Copa do Mundo do Catar 2022. Se a seleção chilena se classificasse à Copa o contrato poderia ser estendido. A Nike diz que a Roja (Vermelha, em referência à cor da camisa da seleção) não fez determinada quantidade de jogos disputados por temporada, como informa o jornal chileno La Tercera. Esses jogos não disputados pela seleção do Chile foram pela pandemia da covid-19 que atrasou as eliminatórias da Copa e cancelou amistosos.

A ANFP já entrou com uma ação de 4,2 bilhões de dólares (21 bilhões de reais) porque, de acordo com as autoridades chilenas, a empresa não entregou o dinheiro referente aos anos de 2019 e 2020. A Nike não fez nenhum pagamento desde a entrada da ação. A empresa com sede em Beaverton (Oregon) pagava aproximadamente sete milhões de dólares (35 milhões de reais) por ano à associação chilena. A guerra entre o Chile e a empresa será decidida no Tribunal da Câmara de Comércio Internacional em Nova York. Sergio Jadue, que assinou o contrato, esteve envolvido em uma rede de propinas na Confederação Sul-americana de Futebol (Conmebol) e é peça essencial do FIFA Gate.

Durante o jogo entre Chile e Bolívia todos os uniformes dos atletas foram modificados. Os da comissão técnica também. Os jogadores com contrato com a empresa do Oregon foram a campo com as chuteiras da Nike. As autoridades do futebol chileno já procuram um novo patrocinador em tempo recorde que possa salvá-los.

Conmebol pune Marcelo Moreno por criticar a Copa América

A Conmebol puniu o capitão da Bolívia, Marcelo Moreno, com uma partida de suspensão e 20.000 dólares (100.000 reais) por criticar a organização da Copa América. Moreno, que testou positivo para covid-19, disse que o órgão sul-americano não pensava na saúde dos jogadores e das comissões. “A única coisa com que se importam é o dinheiro. A vida do jogador não vale nada?”, escreveu no Instagram. Horas depois apagou a mensagem e a Conmebol iniciou uma um processo contra ele. Moreno, por fim, pediu desculpas ao afirmar que foi tudo um problema de comunicação. Nenhum jogador e técnico deu declarações públicas sobre o caso Moreno. Até agora, foram registrados 66 casos de coronavírus entre jogadores e comissões.

Assine aqui a newsletter do EL PAÍS América e receba todas as principais informações da atualidade da região.

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Arquivado Em:

Mais informações

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50