Selecciona Edición
Selecciona Edición
Tamaño letra
Austrália

A seleção

Por John Duerden, the Guardian

A 31ª equipe a se classificar para a Rússia trabalhou mais duro que qualquer outra, com cerca de 250.000 quilômetros para percorrer em viagens a destinos tão longínquos como a Arábia Saudita, Bangladesh, Tajiquistão, Irã, Japão, Malásia e Honduras. Não foi um desempenho completamente convincente, já que os Socceroos terminaram em terceiro lugar em seu grupo, atrás de Japão e Arábia Saudita, e tiveram de ir para a repescagem. O problema foi que, apenas alguns dias depois do bom trabalho contra Honduras, em outubro, o técnico Ange Postecoglou renunciou ao cargo. Ninguém sabe ao certo por que, mas a ausência do chefe de mente arrojada e disposto a assumir riscos será sentida.

Graham Arnold – 54 años

Treinador:

Bert Van Marwijk – 65 anos

Postecoglou vinha tentando introduzir um estilo mais agressivo e flexível à equipe que conquistou a Copa da Ásia em 2015. Teve altos e baixos, mas ele certamente seria um dos técnicos mais interessantes na Rússia. Em comparação com Copas do Mundo passadas, este conjunto não possui o brilho e a experiência no mais alto nível do futebol europeu. O fato de Tim Cahill, de 37 anos, ter salvo a pele dos Socceroos com os dois gols em casa na vitória sobre a Síria, em setembro, sugere que há realmente falta de qualidade. O esquema 3-4-1-2 foi a opção controversa nas últimas etapas das Eliminatórias, mas o novo comandante, quem quer que seja, pode ter outras ideias.

Muito depende da forma e do condicionamento de Aaron Mooy, do Huddersfield Town, Tom Rogic, do Celtic, e Mile Jedinak, do Aston Villa.

Todas as novidades da seleção da Austrália »

Jogos tabela geral
Grupo C 16/06 - 7:00
FrançaFrança - AustráliaAustrália
Grupo C 21/06 - 9:00
DinamarcaDinamarca - AustráliaAustrália
Grupo C 26/06 - 11:00
AustraliaAustrália - PeruPeru

A estrela

Tom Rogic

Tom Rogic
Trajetória da Copa do Mundo