A linha sucessória de Dilma Rousseff na mira da Lava Jato

Quem assume o poder caso haja o impeachment ou renúncia da presidenta ou ainda invalidação da chapa presidencial eleita em 2014

Dilma Rousseff

Dilma Rousseff

Presidenta

PT

Eleita para governar até 2018, é alvo de processo de impeachment. Mesmo se sobreviver a ele, ainda poderá ser afastada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que julga acusação de irregularidades na campanha

Dilma Rousseff

Dilma Rousseff

As acusações

Formalmente, responde na Câmara por crime fiscal, mas foi citada por delator na Operação Lava Jato. Construtora, que colabora com operação, disse que 10 milhões doados legalmente `a campanha, eram, na verdade, fruto de acerto de propina

Michel Temer

Michel Temer

Vice-presidente

PMDB

Eleito na mesma chapa de Dilma em 2014, assume o poder em caso de renúncia ou impeachment de Dilma. Ele também é alvo de um processo de impeachment na Câmara e pode deixar cargo se TSE julgar que campanha cometeu crime

Michel Temer

Michel Temer

As acusações

É acusado de crime fiscal em período em que assumiu interinamente a presidência. Foi citado por delator da Lava Jato. Como a eleição presidencial é conjunta, acusação de construtora de que financiamento da campanha veio de propina o afeta

Eduardo Cunha

Eduardo Cunha

Presidente da Câmara

PMDB-RJ

Terceiro na linha sucessória. Assume provisoriamente no caso Dilma e Temer serem afastados. Se isso ocorrer esse ano, ele deve convocar eleições em 90 dias. Seu mandato à frente da Casa termina em fevereiro de 2017

Eduardo Cunha

Eduardo Cunha

As acusações

Citado por vários delatores da Lava Jato, ocultou ter milhões em contas não declaradas na Suíça. Por isso, pode ter mandato cassado na Câmara e é réu no Supremo Tribunal Federal. Procuradoria-geral pediu ao STF que Cunha seja afastado do cargo

Renan Calheiros

Renan Calheiros

Presidente do Senado

PMDB-AL

Se todos os cargos anteriores estiverem vagos, é ele quem assume a presidência. Se isso ocorrer esse ano, ele deve convocar eleições em 90 dias. Seu mandato à frente da Casa termina em fevereiro de 2017

Renan Calheiros

Renan Calheiros

As acusações

Existem no STF seis inquéritos abertos contra ele. Desses, cinco tratam de suspeitas relativas à Lava Jato. O sexto apura se uma empreiteira pagava pensão à jornalista Mônica Veloso, com quem ele tem uma filha

Ricardo Lewandowski

Ricardo Lewandowski

Presidente do STF

Se todos os cargos anteriores estiverem vagos, é ele quem assume. Se isso ocorrer esse ano, ele deve convocar eleições em 90 dias. Em 2014, ele assumiu a presidência interinamente por dois dias quando Dilma e Temer estavam viajando e Calheiros e Cunha estavam licenciados para disputar as eleições

Ricardo Lewandowski

Ricardo Lewandowski

As acusações

Créditos

Diseño: Maria José Durán

Maquetación: Irene Navarro