Navio carregado de contêineres bloqueia o canal de Suez depois de encalhar devido ao mau tempo

Embarcação ‘Ever Given’ interrompeu o tráfego em uma das rotas comerciais mais movimentadas do planeta. Egito foi atingido por uma tempestade de areia e o vento chegou a 40 nós na região

Imagem da embarcação que bloqueia o Canal de Suez, carregada de contêineres.
Imagem da embarcação que bloqueia o Canal de Suez, carregada de contêineres.DPA vía Europa Press (Europa Press)
Mais informações

Um dos maiores navios porta-contêineres do mundo sofreu um acidente e ficou encalhado no estratégico canal de Suez, a via navegável que liga o mar Vermelho ao Mediterrâneo, bloqueando a circulação em ambas as direções e causando um grande congestionamento em uma das principais artérias de transporte marítimo mundial.

O incidente ocorreu na manhã de terça-feira, principalmente devido à falta de visibilidade e às fortes rajadas de vento provocadas pelas más condições meteorológicas no Egito, segundo informou na quarta-feira a Autoridade do Canal de Suez em um comunicado. Nesta semana o país foi atingido por uma tempestade de areia e o vento chegou a 40 nós na região do canal, fazendo com que o capitão do Ever Given, de bandeira panamenha e procedente da China, perdesse o controle da embarcação enquanto navegava no extremo sul do canal rumo a Rotterdam.

Vários navios de carga e petroleiros permanecem detidos na parte sul do canal, esperando que a circulação seja restabelecida, segundo mostra o mapa ao vivo do rastreador de navios MarineTraffic. O Ever Given teria bloqueado a passagem para “muitos petroleiros” que “transportam petróleo saudita, russo, omanense e norte-americano”, segundo informação divulgada no Twitter pelo rastreador de exportações de petróleo Tanker Trackers.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

O tenente-general Osama Rabie, chefe da Autoridade do Canal de Suez, explicou que a operação de resgate começou imediatamente após o acidente, e detalhou que a Autoridade possui oito rebocadores, entre eles um de 160 toneladas de força, empurrando a embarcação encalhada de ambos os lados para tentar para fazê-la voltar a flutuar e poder retomar a navegação pelo canal, conforme o comunicado anterior. Não está claro quanto tempo a operação pode durar, embora um funcionário do canal tenha indicado ao veículo de comunicação local Cairo24, próximo da Inteligência egípcia, que poderia estender-se ao menos por dois dias.

Navio de carga 'Ever Given' encalhado com a proa presa na borda do canal, nesta quarta.
Navio de carga 'Ever Given' encalhado com a proa presa na borda do canal, nesta quarta. AP

De qualquer forma, não se espera que o incidente tenha mais do que um impacto simbólico. “Os carregamentos poderiam desembarcar com um ligeiro atraso, mas o impacto será insignificante no contexto dos atrasos de rotina relacionados com o clima no tráfego de navios que acontecem em todo o mundo”, antecipa François Conradie, analista da consultoria NKC African Economics. “O impacto na economia egípcia também será insignificante: no pior caso, a receita do canal diminuirá na proporção do tempo do congestionamento do Ever Given em relação a um ano completo de receita. Nenhum capitão vai dar meia-volta e navegar ao redor do Cabo da Boa Esperança”, acrescenta.

O canal de Suez, com cerca de 160 quilômetros de extensão e inaugurado em 1869, escoa pouco mais de 10% do comércio mundial, segundo estima a autoridade, e é uma das vias mais importantes do mundo no transporte de gás, petróleo e mercadorias. A via também representa uma das principais fontes das cobiçadas divisas estrangeiras para o Egito. Em 2015, o Egito concluiu uma polêmica ampliação do canal, um dos megaprojetos do presidente Abdel Fattah al-Sisi. Mas, neste caso, a ampliação não ajudará a resolver o congestionamento porque o canal de Suez foi duplicado no trecho que une os chamados Lagos Amargos com o mar Mediterrâneo, e o navio encalhou entre o mar Vermelho e os Lagos Amargos, de via única.

As imagens divulgadas do Ever Given mostram como a proa do gigantesco navio está presa na parede leste do canal e a popa na parede oeste, obstruindo completamente a passagem. Uma das primeiras fotos que apareceram nas redes sociais foi tirada do navio Maersk Denver, que está logo atrás do Ever Given. Sua autora, Julianne Cona, escreveu no Instagram que o navio “parece super encalhado” e que “muitos rebocadores [tentaram] puxar e empurrar” sem êxito. Os navios geralmente cruzam o canal em grupo, mas, neste caso, o Ever Given foi o único afetado de seu comboio.

O Ever Given, de 400 metros de comprimento, 59 de largura e uma tonelagem de 224.000 toneladas, segundo o comunicado da Autoridade do Canal de Suez, está entre os maiores navios porta-contêineres do mundo. A embarcação faz parte da frota da transportadora Evergreen Marine Corp., com sede em Taiwan, e foi construída em 2018, de acordo com a descrição da empresa, que previa sua chegada a Rotterdam no dia 1º de abril.

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: