Brasil investiga nove casos suspeitos de coronavírus, três deles em São Paulo

Ministério da Saúde informa que fará boletins diários para acompanhar a disseminação da doença no país até que a situação se estabilize. Número de mortos na China sobe para 169

Funcionário de aeroporto na Arábia Saudita mede a temperatura de uma criança vinda da China, onde começou a circular o coronavírus.
Funcionário de aeroporto na Arábia Saudita mede a temperatura de uma criança vinda da China, onde começou a circular o coronavírus.AHMED YOSRI (Reuters)
Diogo Magri
São Paulo -
Mais informações
Un miembro del personal sanitario en Wuhan, China.
Retratos de Wuhan, uma cidade em quarentena vista por dentro
Colombo (Sri Lanka), 11/12/2019.- A group of Chinese tourists wear protective masks at the Fort railway station in Colombo, Sri Lanka, 27 January 2020. Sri Lankan health and immigration officials have taken action to screen those arriving at the island's premier airports and seaports by installing thermal monitors following the outbreak of the deadly Coronavirus from China. A Sri Lankan female student returning from China and a male Chinese tourist were admitted to the 'Infectious Diseases Hospital' on suspicion of being infected with the Coronavirus. Later in the night another Sri Lankan male and a Chinese female too were admitted, raising the total to four. The Medical Research Institute confirmed that the tests proved negative. Meanwhile, following a meeting at the Presidential Secretariat, President Gotabhaya Rajapaksa directed the Sri Lankan Foreign Secretary and the national carrier SriLankan Airlines to take necessary steps in cooperation of the missions of the two countries to bring back 150 Sri Lankan students currently studying at universities in Sichuan and Chengdu in China within 48 hours. EFE/EPA/CHAMILA KARUNARATHNE
Coronavírus de Wuhan tem primeiro caso ‘supercontagiante’ investigado pela China
Chuanghua (Taiwan), 28/01/2020.- People buy face masks at the Motex Healthcare Corp in Changhua, western Taiwan, 28 January 2020. Taiwan face mask factories keep production lines operating during the Lunar New Year holidays to meet rising demand caused by coronavirus. The epidemic, first discoveredd in Wuhan, China, in December 2019, has spread fo all Chinese provinces except Tibet, with cases being reported in 13 foreign countries. Confirmed cases in Taiwan has risen to seven with about 100 suspected cases awaiting test result. EFE/EPA/DAVID CHANG
Brasil eleva nível de alerta no país por conta do coronavírus

Ainda não há nenhum caso confirmado de coronavírus no Brasil, mas o MInistério da Saúde monitora suspeitas em seis Estados: São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Ceará. O secretário-executivo do Ministério, João Gabbardo dos Reis, e o secretário de Vigilância Sanitária, Wanderson de Oliveira, divulgaram em entrevista realizada na tarde desta quarta-feira que o Governo monitora nove casos suspeitos de coronavírus em território brasileiro. Três deles são em São Paulo, dois em Santa Catarina, um em Minas Gerais, um no Rio de Janeiro, um no Paraná e outro no Ceará. Nenhum deles está confirmado. O Ministério acompanha o desenvolvimento da transmissão da doença no mundo junto com a Organização Mundial da Saúde e deverá fazer boletins diários para atualizar as suspeitas até que a situação se estabilize, o que, segundo o secretário executivo, “não deve acontecer rapidamente”.

O Ministério da Saúde foi notificado por órgãos estaduais e municipais de 33 possíveis situações de infecção do coronavírus no Brasil, mas 24 delas foram descartadas após análises laboratoriais e consultas médicas. Os casos suspeitos englobam pessoas que apresentaram sintomas de dificuldade respiratória e febre e que tenham viajado ao exterior recentemente. Como o Ministério ainda não tem elementos para projetar a evolução de uma epidemia, a decisão por enquanto é observar como o vírus se comporta fora da China antes de tomar qualquer medida drástica. A classificação dos casos suspeitos pode ser alterada com o tempo e, por isso, Gabbardo promete atualizações todos os dias sobre a situação.

O verão brasileiro torna a probabilidade de circulação da doença no país “muito pouco provável” na avaliação de Wanderson de Oliveira. A situação é oposta à da China, polo epidêmico onde já foram confirmadas 169 mortes, e à dos Estados Unidos, que têm mais de 100 casos suspeitos, ambos atravessando o inverno. Ainda assim, os secretários fazem a ressalva de que o Brasil “se colocará como parte do esforço global de resposta ao coronavírus pelo mundo” e que a situação não deve se estabilizar de forma rápida.

Por enquanto, as principais recomendações feitas pelo Ministério da Saúde são de que os brasileiros evitem viajar para a China. “Normalmente, as viagens são para turismo ou negócios, que são situações contornáveis e não urgentes”, afirma Oliveira. Segundo dados da Polícia Federal, 15.000 pessoas chegaram ao Brasil vindas da China em novembro e dezembro do ano passado, uma média de 250 viajantes por dia. O Governo não impedirá a entrada de pessoas vindas do lugar onde a epidemia começou, mas Gabbardo acredita que essa quantidade diminuirá com as recomendações brasileiras e chinesas para que a população não viaje entre os países.

Por fim, Oliveira confirma que 27 laboratórios médicos no Brasil estão capacitados atualmente para realizar o teste específico de identificação do coronavírus, mas cinco deles não contam com profissionais qualificados para o exame. Os outros 22, segundo o secretário, são capazes de fazer centenas de testes simultâneos. O tempo mínimo para obter o resultado do teste é de sete dias, mas é necessário que o infectado faça exames para outras doenças respiratórias antes do específico para detectar o coronavírus.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS