Notícias sobre a covid-19 e a crise no Brasil, ao vivo | UE alerta para o risco de novas variantes em países com atraso na vacinação

No Brasil, 20 milhões de pessoas estão com a segunda dose da vacina atrasada, diz ministério. Governo do Reino Unido estuda antecipar a vacinação de reforço devido ao aumento das infecções. Acompanhe as últimas notícias

Iranianos se reúnem em uma mesquita de Teerã para as orações de sexta-feira, pela primeira vez depois que as autoridades flexibilizaram restrições contra a covid-19.
Iranianos se reúnem em uma mesquita de Teerã para as orações de sexta-feira, pela primeira vez depois que as autoridades flexibilizaram restrições contra a covid-19.- (AFP)
São Paulo / Brasília -

Aviso aos leitores: o EL PAÍS mantém abertas as informações essenciais sobre o coronavírus durante a crise. Se você quer apoiar nosso jornalismo, clique aqui para assinar. Para receber gratuitamente nossa newsletter de segunda à sábado ―com reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as informações mais importantes do dia no seu e-mail―, inscreva-se aqui.

Mais de 20 milhões de pessoas não completaram o esquema vacinal contra a covid-19 após terem tomado a primeira dose, aponta levantamento do Ministério da Saúde considerando apenas casos em que o prazo estipulado para a segunda dose já venceu. Sem esse atraso, o Brasil teria mais de 80% do público-alvo completamente vacinado. A demora se deve a fatores como falta de imunizantes e o não retorno aos postos de saúde. O atraso na vacinação também preocupa a União Europeia, que aponta o risco de surgimento de variantes do coronavírus em alguns países. O Reino Unido estuda antecipar a dose reforço na população também com medo de uma nova alta de casos nos próximos meses. O Brasil registou 451 novas mortes por covid-19 nesta quinta-feira e totaliza 604.679 óbitos desde o início da crise sanitária.

Acompanhe as últimas notícias:

Lucas de Arouca

Fiocruz receberá nova remessa de ingrediente para produção de vacinas neste domingo

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) receberá no domingo (24) mais uma remessa do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA). O desembarque da carga está previsto para às 5h50, no Rio de Janeiro. De acordo com a Fiocruz, a quantidade será suficiente para fabricar cerca de 5,6 milhões de doses do imunizante contra covid-19 da AstraZeneca.

Segundo a fundação, com o novo IFA, estão garantidas entregas de vacina até a terceira semana de novembro. Até o momento, a Fiocruz, em parceria com o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz), entregou 113,8 milhões de doses de vacinas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). (Com Agência Brasil)

Lucas de Arouca

ONG médica venezuelana reitera pedido ao governo sobre vacinas aprovadas pela OMS

A ONG venezuelana 'Medicos Unidos' reiterou nesta sexta-feira seu alerta ao Governo da Venezuela para aplicar apenas vacinas contra covid-19 que já estiverem aprovadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A manifestação veio diante do anúncio do presidente Nicolás Maduro, que se imunizará com a vacina cubana Abdala —que, até agora, não é endossado pela entidade. "Temos insistido na necessidade de vacinar, mas com vacinas aprovadas pelos órgãos reguladores e autorizadas pela OMS, e a Adbala não atende aos requisitos, disseram, com uma mensagem de teor político.

Lucas de Arouca

Com avanço da vacinação, Cuba abrirá portas a turistas a partir de 15 de novembro

O Ministério do Turismo de Cuba informou vai voltar a permitir o retorno do turismo internacional à ilha a partir do dia 15 de novembro, quando o Governo pretende já contar com 90% da população já vacinada contra a covid-19.

Com grande dependência da atividade turística (o setor equivale a mais de 10% do PIB), Havana disse que também não exigirá mais o teste PCR, requisição que ainda segue em vigor. Com vacinas próprias, o país já vacinou mais de 80% da população, atingindo a meta estabelecida pela OMS.

Lucas de Arouca

Ministério da Saúde libera certificado de vacinação para quem tomou vacinas diferentes contra covid-19

O Ministério da Saúde anunciou nesta sexta-feira (22) a liberação de emissão do certificado de vacinação contra a covid-19 para pessoas que tomaram duas doses de marcas diferentes, a chamada intercambialidade vacinal. A emissão poderá ser realizada por meio do aplicativo ConecteSUS.

Até então, essa alternativa estava proibida no app. Em nota no início do mês, o ministério reconheceu que o sistema impedia a emissão do certificado e informou que buscaria uma solução para evitar essa limitação. (Com Agência Brasil)

Daniela Mercier

Vacina da Pfizer contra covid-19 tem alta eficácia em estudo com crianças, diz farmacêutica

A vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19 apresentou 90,7% de eficácia contra o novo coronavírus em um ensaio clínico com crianças de 5 a 11 anos, informou a farmacêutica norte-americana nesta sexta-feira.

No estudo, 16 crianças que receberam placebo (substância inócua) tiveram covid-19, em comparação com três que foram vacinadas, disse a Pfizer em documentos enviados à Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA).

Como mais do que o dobro de crianças —no ensaio com 2.268 participantes - receberam a vacina em relação ao placebo, isso equivale a mais de 90% de eficácia.

Os assessores externos da FDA se reunirão na terça-feira (26) para votar recomendação de aprovação da agência da vacina para essa faixa etária. (Reuters, via Agência Brasil)

 

Daniela Mercier

Vice-presidente da CPI da Pandemia vai propor mais nove indiciamentos

O vice-presidente da CPI da Pandemia, Randolfe Rodrigues (Rede-AP) vai propor a inclusão de mais nove pessoas entre as sugestões de indiciamentos feitas no relatório final da comissão, que será votado na próxima terça. As informações foram dadas em entrevista para a GloboNews

Entre os noves nomes está o reverendo Amilton Gomes, dirigente da ONG Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah). A entidade teria tido o aval do Governo para negociar as 400 milhões de doses de vacina da AstraZeneca com a empresa Davati —empresa americana que nem sequer tem CNPJ no Brasil. Outro possível indiciado é o coronel Helcio Bruno Almeida, presidente do Instituto Força Brasil (IFB), suspeito de fazer a ponte entre a Davati e o Ministério da Saúde. A ambos será imputado o crime de estelionato. A atuação do coronel e o reverendo foi detalhada em reportagem de julho do EL PAÍS

O relatório da CPI, lido na última terça, já sugere o indiciamento de 66 pessoas, entre elas o presidente Jair Bolsonaro, e de suas empresas. 

Daniela Mercier

UE alerta para o risco de novas variantes em países com atraso na vacinação

O fracasso das campanhas de vacinação contra a covid-19 em alguns países da União Europeia preocupa o Conselho Europeu, que teme que a logística sanitária posta em prática desde o início do ano para conter a propagação do vírus possa ser posta em risco. E o sinal de alerta veio nesta quinta-feira da cúpula realizada em Bruxelas, onde o documento de conclusões afirma que "os esforços devem ser intensificados para superar a hesitação [para se vacinar], bem como para combater a desinformação, em particular nas plataformas de mídia social". As informações são de Bernardo de Miguel e Pablo Linde

A UE descreve a situação em alguns parceiros como "muito séria" e solicita uma vigilância contínua contra o possível surgimento de novas variantes do vírus.

No mapa do Centro Europeu de Controle de Doenças (ECDC), a parte oriental da UE está representada em cores escuras, enquanto a parte ocidental está principalmente em verde e amarelo, um sinal de altas e baixas taxas de diagnóstico, respectivamente. A incidência acumulada de 14 dias na Croácia, Hungria e Bulgária está próxima de 500 casos por 100.000 habitantes; a Romênia chegou a 1.000; a Estônia, a Letônia e a Lituânia estão bem acima deles e agora estão experimentando uma de suas maiores ondas de coronavírus. 

Daniela Mercier

Governo do Reino Unido estuda antecipar a vacinação de reforço devido ao aumento das infecções

O Governo do Reino Unido estuda antecipar uma dose de reforço da vacinação covid-19 para os grupos acima de 50 anos e vulneráveis devido ao aumento das taxas de infecção, relata o The Daily Telegraph na sexta-feira.

O Governo de Boris Johnson estabeleceu um plano para vacinar com uma terceira dose, da Pfizer ou Moderna, seis meses depois de receber a segunda dose, mas o jornal revela  que as autoridades estão considerando reduzir a espera para cinco meses.

De acordo com os últimos números oficiais, o Reino Unido registrou na quinta 52.009 novas infecções e mais 115 mortes. Esta é a primeira vez que o país ultrapassou a marca dos 50.000 desde julho passado. (Efe)

Daniela Mercier

20 milhões de brasileiros estão com a segunda dose da vacina atrasada, diz ministério

Dados do Ministério da Saúde divulgados nesta quinta-feira apontam que mais de 20 milhões de pessoas não completaram o esquema vacinal após terem tomado a primeira dose contra a covid- completar o esquema vacinal contra a covid-19 em todo o Brasil. O levantamento considera apenas casos em que o prazo estipulado para a segunda dose já venceu. Sem esse atraso, o Brasil teria mais de 80% do público-alvo (12 anos ou mais) completamente vacinado.

O atraso se deve a fatores como não retorno aos postos de saúde e também por falta de imunizantes. No Estado de São Paulo, por exemplo, o Governo decidiu em setembro aplicar a vacina da Pfizer como segunda dose para quem tinha tomado AstraZeneca, em razão do atrso no envio pelo Ministério da Saúde.  Em comunicado, o ministério reforçou a importância de receber a segunda dose dentro do intervalo recomendado para cada imunizante. "Só assim as vacinas irão atingir a efetividade necessária contra a covid-19", diz a pasta.

Segundo o Governo,  número de pessoas com o esquema vacinal completo soma 111,8 milhões, o que é mais da metade da população. (com informações da Agência Brasil)

Daniela Mercier

Bom dia! Retomamos a nossa cobertura da pandemia de coronavírus e a crise no Brasil. Siga com a gente nesta sexta

Lucas de Arouca

Nossa cobertura se encerra aqui. Voltaremos amanhã. Boa noite!

Lucas de Arouca

Brasil registra 451 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas

As autoridades de saúde do Brasil registraram nesta quinta-feira 451 novas mortes pelo coronavírus, o que totaliza 604.679 óbitos desde o início da crise sanitária. Ao mesmo tempo, a vacinação avança: com metade da população já imunizada contra o vírus, o país já deu conta de aplicar 263,8 milhões de doses.

Lucas de Arouca

Moraes amplia cerco contra ‘fake news’ bolsonarista ao acionar Interpol pelo blogueiro Allan dos Santos

Alvo de dois inquéritos no STF, criador do site ‘Terça Livre’ está com visto vencido no EUA e mantém conduta criminosa, segundo o ministro do STF

 

Lucas de Arouca
Lucas de Arouca

Paulo Guedes rifa a bandeira do controle de gastos e o mercado brasileiro entra em parafuso

Bolsa cai quase 3%, no pior desempenho em 11 meses, e dólar bate 5,66 reais após o ministro da Economia sugerir romper o teto de gastos para financiar programa social. Congresso prepara proposta

Lucas de Arouca
Lucas de Arouca

Em decisão, Moraes pediu nome de Allan dos Santos na 'lista vermelha' da Interpol e bloqueio de contas bancárias

Segundo documentos obtidos pelo EL PAÍS, além do pedido de prisão preventiva contra o blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, o ministro do STF Alexandre de Moraes também pediu que o nome de Santos fosse incluído na Difusão Vermelha da Interpol.

Um documento que data de 5 de outubro também determina ao Banco Central do Brasil o bloqueio das contas bancárias do blogueiro, com fim de vetar o envio de remessas aos EUA, onde o apoiador do presidente Jair Bolsonaro vive desde 2020. Moraes também ordena quaisquer outros repasses financeiros a Santos.

Um dos documentos também menciona outros inquéritos que pesam sobre Allan dos Santos, mencionado que o bolsonarista "integra organização criminosa voltada à prática dos crimes de ameaça, incitação à prática de crimes, calúnia, difamação, injúria e outros, com o objetivo de auferir vantagem econômica oriunda da monetização e de doações e tendo como consequência a desestabilização do Estado Democrático de Direito".

Lucas de Arouca
Lucas de Arouca

Relator da CPI, Calheiros diz que apoia prisão de blogueiro Allan dos Santos: "fake news matou muitos brasileiros"

O relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL), usou suas redes sociais nesta quinta-feira para se dizer favorável à decisão do ministro do STF Alexandre de Moraes, que pediu a prisão e extradição do blogueio bolsonarista Allan dos Santos.

Segundo Calheiros, "é a primeira prisão de um dos indiciados da CPI". E completou: "fake news, como sustentamos no relatório, também matou muitos brasileiros". O documento final da Comissão Parlamentar de Inquérito, divulgado na quarta (20), conta com 68 sugestões de indiciamento, incluindo a do presidente Jair Bolsonaro. Saiba mais detalhes nas reportagens do EL PAÍS sobre as conclusões da CPI.

Lucas de Arouca
Lucas de Arouca

Moraes pede prisão de blogueiro Allan dos Santos e solicita extradição ao MJ; bolsonarista está nos EUA

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou nesta quinta-feira a prisão preventiva de Allan dos Santos, blogueiro e apoiador do presidente Jair Bolsonaro. Segundo informações do portal G1, o magistrado solicitou ao Ministério da Justiça o início do processo de extadição de Santos, que mora nos EUA e tem visto vencido.

O blogueiro, que mantém opiniões contrárias a medidas de prevenção contra a covid-19 como a vacinação e o uso de máscaras, é investigado pela mesma corte em inquéritos que apuram a disseminação de fake news e a existência de milícias digitais coordenadas por figuras próximas ao Governo.

Como explicado pelo EL PAÍS na reportagem de Joana Oliveira, as práticas utililizadas pelo blogueiro conservador que responde pelo site 'Terça Livre' estão entre as mencionadas pelo relatório final da CPI da Pandemia, que apura, entre outras coisas, a divulgação de contéudos que contribuíram para o avanço da covid-19 no país.

Lucas de Arouca
Diogo Magri

Flávio Bolsonaro levará representação à PGR contra Renan Calheiros por CPI da Pandemia, diz O Globo

O senador Flávio Bolsonaro (Patriotas-RJ) levará uma representação à Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o senador Renan Calheiros (MDB-AL), autor do relatório final da CPI da Pandemia. Segundo a coluna de Bela Megale n'O Globo, o material deve ser protocolado entre hoje e amanhã.

A representação deve ter cerca de 20 crimes apontados contra Calheiros pela conduta na CPI, entre eles calúnia, injúria, difamação, estelionato e prevaricação.

Flávio está entre as sugestões de indiciamento formuladas por Calheiros no relatório final da Comissão. Também estão nelas seus irmãos Eduardo (deputado federal pelo PSL-SP) e Carlos Bolsonaro (vereador pelo Republicanos-RJ), além do pai e presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Diogo Magri
Diogo Magri

Ministro do STF, Barroso diz que crimes apontados no relatório da CPI têm "implicação jurídica reduzida"

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luis Roberto Barroso, afirmou nesta quarta-feira ao Portal UOL que os crimes apontados a 66 pessoas e duas empresas no relatório final da CPI da Pandemia têm conotação mais política do que jurídica. 

"Colocar ou não um rol de crimes no relatório é uma decisão política. Não é incomum que seja feito, mas a implicação jurídica é bem reduzida, porque não interfere no juízo que o Ministério Público fará dos fatos que foram apurados", afirmou o ministro. "O MP não estará vinculado a esta tipificação. O Ministério Público deverá trabalhar com os fatos que foram apurados e podem dar, os ministérios públicos, diferente qualificação a esses fatos ou até considerá-los atípicos", continuou.

Beatriz Jucá explicou em reportagem do EL PAÍS que, a depender da votação final do relatório (marcada para 26 de outubro), os nove crimes imputados ao presidente Jair Bolsonaro devem ficar nas mãos do procurador Augusto Aras, um aliado do presidente.

Diogo Magri
Daniela Mercier

Vacinas oferecem forte proteção morte pela variante delta, aponta estudo

A vacinação é mais de 90% eficaz na prevenção de mortes pela variante delta da covid-19, de acordo com os primeiros dados de mortalidade do Reino Unido em um estudo publicado no New England Journal of Medicine. A vacina da Pfizer e BioNTech é 90% eficaz e a da AstraZeneca 91% eficaz na prevenção de mortes em pessoas vacinadas com duas doses, mas que tiveram teste positivo para o coronavírus, de acordo com a pesquisa.  

O estudo, que utiliza dados da plataforma de vigilância EAVE II covid-19 em toda a Escócia, é o primeiro a mostrar em todo um país a eficácia das vacinas na prevenção da morte pela variante delta, que é agora a forma dominante de covid-19 no Reino Unido e em muitos outros países. 

Os pesquisadores analisaram dados de 5,4 milhões de pessoas na Escócia entre 1 de abril e 27 de setembro de 2021. Durante este período, 115.000 pessoas testaram positivo para covid-19 através de um teste PCR realizado na comunidade, em vez de no hospital, e 201 mortes pelo vírus foram registradas.

A vacina Moderna também está disponível na Escócia e nenhuma morte foi relatada em pessoas que tenham sido duplamente vacinadas com ela. Consequentemente, não foi possível estimar sua eficácia na prevenção da morte, observam os pesquisadores.

Os pesquisadores definiram a morte da covid-19 como qualquer pessoa que tenha morrido dentro de 28 dias após um teste PCR positivo, ou com a covid-19 registrada como causa de morte em em seu atestado de óbito. (Europa Press). 

 

Daniela Mercier


Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: