Notícias sobre a covid-19 e a crise no Brasil, ao vivo | Ministro Alexandre de Moraes pede prisão de blogueiro Allan dos Santos, que está nos EUA

Magistrado do STF determinou pedido de extradição ao Ministério da Justiça e sugeriu que nome de bolsonarista, que tem visto vencido, seja incluído na lista da Interpol. Flávio Bolsonaro levará representação contra relator da CPI da Pandemia, Renan Calheiros, à PGR. Países ricos e laboratórios enviaram 1/7 das doses contra a covid-19 prometidas para mais pobres. Acompanhe as últimas notícias

O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos no Brasil, em 2020.
O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos no Brasil, em 2020.ADRIANO MACHADO (Reuters)
São Paulo / Brasília -

Aviso aos leitores: o EL PAÍS mantém abertas as informações essenciais sobre o coronavírus durante a crise. Se você quer apoiar nosso jornalismo, clique aqui para assinar. Para receber gratuitamente nossa newsletter de segunda à sábado ―com reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as informações mais importantes do dia no seu e-mail―, inscreva-se aqui.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou nesta quinta-feira a prisão preventiva de Allan dos Santos, blogueiro e apoiador do presidente Jair Bolsonaro. O magistrado solicitou ao Ministério da Justiça o início do processo de extadição de Santos, que mora nos EUA e tem visto vencido. Moraes também recomendou a inclusão do nome do blogueiro na lista da Interpol. Allan dos Santos, que mantém opiniões contrárias a medidas de prevenção à covid-19, como a vacinação e o uso de máscaras, também é investigado pela corte em inquéritos que apuram a disseminação de fake news e a existência de milícias digitais coordenadas por figuras próximas ao Governo. Ontem, o EL PAÍS deu detalhes sobre a conclusão da CPI da Pandemia que, em seu relatório final, entendeu que Jair Bolsonaro e figuras próximas a ele comandam uma “organização oculta e complexa” que espalha fake news pelo Brasil. O senador Flávio Bolsonaro (Patriotas-RJ) levará uma representação à Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o senador Renan Calheiros (MDB-AL), autor do relatório final da CPI da Pandemia, imputando crimes pela postura de Calheiros durante a CPI. Flávio está entre as sugestões de indiciamento formuladas pelo relator no documento final da Comissão, assim como os irmãos Eduardo e Carlos Bolsonaro, além do pai e presidente Jair Bolsonaro.

Acompanhe as últimas notícias:

Lucas de Arouca

Em decisão, Moraes pediu nome de Allan dos Santos na 'lista vermelha' da Interpol e bloqueio de contas bancárias

Segundo documentos obtidos pelo EL PAÍS, além do pedido de prisão preventiva contra o blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, o ministro do STF Alexandre de Moraes também pediu que o nome de Santos fosse incluído na Difusão Vermelha da Interpol.

Um documento que data de 5 de outubro também determina ao Banco Central do Brasil o bloqueio das contas bancárias do blogueiro, com fim de vetar o envio de remessas aos EUA, onde o apoiador do presidente Jair Bolsonaro vive desde 2020. Moraes também ordena quaisquer outros repasses financeiros a Santos.

Um dos documentos também menciona outros inquéritos que pesam sobre Allan dos Santos, mencionado que o bolsonarista "integra organização criminosa voltada à prática dos crimes de ameaça, incitação à prática de crimes, calúnia, difamação, injúria e outros, com o objetivo de auferir vantagem econômica oriunda da monetização e de doações e tendo como consequência a desestabilização do Estado Democrático de Direito".

Lucas de Arouca
Lucas de Arouca

Relator da CPI, Calheiros diz que apoia prisão de blogueiro Allan dos Santos: "fake news matou muitos brasileiros"

O relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL), usou suas redes sociais nesta quinta-feira para se dizer favorável à decisão do ministro do STF Alexandre de Moraes, que pediu a prisão e extradição do blogueio bolsonarista Allan dos Santos.

Segundo Calheiros, "é a primeira prisão de um dos indiciados da CPI". E completou: "fake news, como sustentamos no relatório, também matou muitos brasileiros". O documento final da Comissão Parlamentar de Inquérito, divulgado na quarta (20), conta com 68 sugestões de indiciamento, incluindo a do presidente Jair Bolsonaro. Saiba mais detalhes nas reportagens do EL PAÍS sobre as conclusões da CPI.

Lucas de Arouca

Moraes pede prisão de blogueiro Allan dos Santos e solicita extradição ao MJ; bolsonarista está nos EUA

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou nesta quinta-feira a prisão preventiva de Allan dos Santos, blogueiro e apoiador do presidente Jair Bolsonaro. Segundo informações do portal G1, o magistrado solicitou ao Ministério da Justiça o início do processo de extadição de Santos, que mora nos EUA e tem visto vencido.

O blogueiro, que mantém opiniões contrárias a medidas de prevenção contra a covid-19 como a vacinação e o uso de máscaras, é investigado pela mesma corte em inquéritos que apuram a disseminação de fake news e a existência de milícias digitais coordenadas por figuras próximas ao Governo.

Como explicado pelo EL PAÍS na reportagem de Joana Oliveira, as práticas utililizadas pelo blogueiro conservador que responde pelo site 'Terça Livre' estão entre as mencionadas pelo relatório final da CPI da Pandemia, que apura, entre outras coisas, a divulgação de contéudos que contribuíram para o avanço da covid-19 no país.

Diogo Magri

Flávio Bolsonaro levará representação à PGR contra Renan Calheiros por CPI da Pandemia, diz O Globo

O senador Flávio Bolsonaro (Patriotas-RJ) levará uma representação à Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o senador Renan Calheiros (MDB-AL), autor do relatório final da CPI da Pandemia. Segundo a coluna de Bela Megale n'O Globo, o material deve ser protocolado entre hoje e amanhã.

A representação deve ter cerca de 20 crimes apontados contra Calheiros pela conduta na CPI, entre eles calúnia, injúria, difamação, estelionato e prevaricação.

Flávio está entre as sugestões de indiciamento formuladas por Calheiros no relatório final da Comissão. Também estão nelas seus irmãos Eduardo (deputado federal pelo PSL-SP) e Carlos Bolsonaro (vereador pelo Republicanos-RJ), além do pai e presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Diogo Magri

Ministro do STF, Barroso diz que crimes apontados no relatório da CPI têm "implicação jurídica reduzida"

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luis Roberto Barroso, afirmou nesta quarta-feira ao Portal UOL que os crimes apontados a 66 pessoas e duas empresas no relatório final da CPI da Pandemia têm conotação mais política do que jurídica. 

"Colocar ou não um rol de crimes no relatório é uma decisão política. Não é incomum que seja feito, mas a implicação jurídica é bem reduzida, porque não interfere no juízo que o Ministério Público fará dos fatos que foram apurados", afirmou o ministro. "O MP não estará vinculado a esta tipificação. O Ministério Público deverá trabalhar com os fatos que foram apurados e podem dar, os ministérios públicos, diferente qualificação a esses fatos ou até considerá-los atípicos", continuou.

Beatriz Jucá explicou em reportagem do EL PAÍS que, a depender da votação final do relatório (marcada para 26 de outubro), os nove crimes imputados ao presidente Jair Bolsonaro devem ficar nas mãos do procurador Augusto Aras, um aliado do presidente.

Daniela Mercier

Vacinas oferecem forte proteção morte pela variante delta, aponta estudo

A vacinação é mais de 90% eficaz na prevenção de mortes pela variante delta da covid-19, de acordo com os primeiros dados de mortalidade do Reino Unido em um estudo publicado no New England Journal of Medicine. A vacina da Pfizer e BioNTech é 90% eficaz e a da AstraZeneca 91% eficaz na prevenção de mortes em pessoas vacinadas com duas doses, mas que tiveram teste positivo para o coronavírus, de acordo com a pesquisa.  

O estudo, que utiliza dados da plataforma de vigilância EAVE II covid-19 em toda a Escócia, é o primeiro a mostrar em todo um país a eficácia das vacinas na prevenção da morte pela variante delta, que é agora a forma dominante de covid-19 no Reino Unido e em muitos outros países. 

Os pesquisadores analisaram dados de 5,4 milhões de pessoas na Escócia entre 1 de abril e 27 de setembro de 2021. Durante este período, 115.000 pessoas testaram positivo para covid-19 através de um teste PCR realizado na comunidade, em vez de no hospital, e 201 mortes pelo vírus foram registradas.

A vacina Moderna também está disponível na Escócia e nenhuma morte foi relatada em pessoas que tenham sido duplamente vacinadas com ela. Consequentemente, não foi possível estimar sua eficácia na prevenção da morte, observam os pesquisadores.

Os pesquisadores definiram a morte da covid-19 como qualquer pessoa que tenha morrido dentro de 28 dias após um teste PCR positivo, ou com a covid-19 registrada como causa de morte em em seu atestado de óbito. (Europa Press). 

 

Daniela Mercier

Petrobras volta a ser alvo de operação policial

A Polícia Federal realiza nesta quinta-feira a Operação Laissez Faire, Laissez Passer, com buscas em Niterói para apurar crimes contra a Petrobras. 

As medidas foram autorizadas pela 13ª Vara da Justiça Federal em Curitiba —que foi responsável pela Operação Lava Jato— e visam aprofundar as investigações acerca de práticas criminosas cometidas na antiga Diretoria de Abastecimento da empresa.

Segundo a PF, um "dirigente de uma empreiteira nacional" afirmou em delação premiada que foram realizados pagamentos de vantagem indevida para o então diretor de Abastecimento da estatal e para "agente político que havia sido responsável pela sua indicação para aquele cargo dentro estatal".

"Os recursos seriam então destinados para o custeio de despesas pessoais do diretor da estatal, a exemplo de benfeitorias que teriam sido realizadas em seu apartamento", divulgou a PF em nota. 

Ainda de acordo com a PF, a investigação recebeu esse nome "por conta da aparente banalidade e perspectiva de impunidade com que crimes teriam sido praticados nas mais diversas esferas hierárquicas da empresa vítima".

Daniela Mercier

Empresas farmacêuticas e países ricos entregam apenas um sétimo das doses prometidas aos países mais pobres

Empresas farmacêuticas e países ricos estão entregando apenas um sétimo das doses prometidas para os países mais pobres, de acordo com o relatório "Uma dose de realidade" publicado nesta quinta-feira pela People's Vaccine Alliance. Das 1,8 bilhões de vacinas covid-19 prometidas pelos países ricos, apenas 261 milhões foram entregues até o momento, diz o relatório. Além disso, as empresas farmacêuticas ocidentais entregaram apenas 12% das doses destinadas à Covax, a iniciativa de acesso justo para as vacinas covid-19.

Os Estados Unidos forneceram a maior parte das doses (quase 177 milhões), mas isto representa apenas 16% das 1,1 bilhões de doses prometidas. (Europa Press)

Daniela Mercier

Braço da OMS nas Américas estuda teste para detectar a covid-19 e a gripe ao mesmo tempo

A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS, braço da OMS nas Américas) anunciou que está trabalhando com a principal agência de saúde pública dos Estados Unidos para desenvolver um teste diagnóstico para detectar a covid-19 e a gripe ao mesmo tempo, o que otimizaria a vigilância para estas doenças. "Junto com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA em Atlanta, a OPAS está trabalhando para implementar um novo protocolo de teste PCR para detectar simultaneamente a covid-19 e a gripe a partir da mesma amostra", disse a diretora da OPAS, Carissa Etienne, na quarta-feira.

Etienne disse que ao integrar a detecção de covid-19 com a vigilância de outros vírus respiratórios, como a gripe que causa a gripe, os países podem monitorar as doenças de uma maneira "mais eficiente e sustentável". Em todo o mundo, as epidemias anuais de influenza causam cerca de três a cinco milhões de casos graves e 290.000 a 650.000 mortes, de acordo com a organização.

A dirigente aformou que os casos de coronavírus e mortes diminuíram em todas as regiões, exceto no Caribe, embora ele tenha notado o aumento de novas infecções na Bolívia e Venezuela, mais hospitalizações no leste do Canadá e um aumento das mortes no México. A situação mais grave na região é em países caribenhos como a República Dominicana e Barbados, que relataram saltos de mais de 40% em novos casos na semana passada. Porto Rico, Trinidad e Tobago e Martinica também relataram um número crescente de infecções. (AFP)

Daniela Mercier

Bom dia! Retomamos a nossa cobertura da pandemia de coronavírus e a crise política do Brasil. Siga com a gente nesta quinta

 

Lucas de Arouca

Nossa cobertura fica por aqui. Não deixe de acompanhar nossas últimas reportagens sobre o relatório final da CPI da Pandemia. Voltamos amanhã com estas e outras notícias. Boa noite!

 

 

 

Lucas de Arouca

Brasil registra 373 novas mortes por covid-19 nesta quarta-feira

Segundo o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, o Brasil registrou nesta quarta-feira (20) 373 novas mortes por covid-19, chegando a um total de 604.228 óbitos em decorrência do vírus desde março de 2020.

Lucas de Arouca

Fiocruz entrega mais 2,1 milhões de doses da vacina de covid-19

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) entregou ao Ministério da Saúde nesta quarta-feira mais 2,1 milhões de doses da vacina contra a covid-19. Com a entrega, a Fiocruz alcançou a marca de 113,8 milhões de imunizantes repassados ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), de um total de 200 milhões de doses previstas para 2021.

Lucas de Arouca

Paulo Guedes diz que governo usará 30 bilhões de reais fora do teto para Auxílio Brasil

O Auxílio Brasil, programa que pretende substituir o Bolsa Família e pagará um benefício de 400 reais, poderá ser financiado com cerca de 30 bilhões de reais fora do teto de gastos, disse nesta quarta-feira o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Durante evento virtual, Guedes confirmou parte do pagamento do benefício fora da regra fiscal e disse que o movimento não seria necessário se o Senado tivesse aprovado a reforma do Imposto de Renda. Segundo ele, o benefício é temporário e necessário para atender às famílias mais pobres, afetadas pela inflação. Segundo ele, o governo deve pedir um “waiver” (perdão temporário) do teto de gastos para tornar viável o novo programa social.

“Como nós queremos essa camada de proteção para os mais frágeis, nós pediríamos que isso viesse como um waiver, para atenuar o impacto socioeconômico da pandemia. Estamos ainda finalizando, vendo se conseguimos compatibilizar isso”, declarou. (Com Agência Brasil)

Lucas de Arouca

O “coro demoníaco” de Bolsonaro durante a pandemia se traduz em nove crimes ou 68 anos de prisão

Segundo o primogênito do presidente, Flávio Bolsonaro, o mandatário deve ter dado uma gargalhada ao saber do relatório da CPI da Pandemia. Documento deve ser votado no dia 26

Lucas de Arouca
Lucas de Arouca

Relatório da CPI liga os pontos da política anticiência que devastou o país na pandemia

Bolsonaro é acusado de 9 violações graves, incluindo o crime contra a humanidade que pode embasar nova denúncia contra Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional

Lucas de Arouca
Lucas de Arouca

Investigado na CPI da Pandemia, Ricardo Barros nega acusações e ameaça processar senadores que votarem a favor de relatório final da Comissão

O líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), investigado no âmbito do caso Covaxin, usou as redes sociais para mais uma vez rechaçar as acusações contra seu nome, prometendo processar o relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL). Barros disse que fará o mesmo contra todos os parlamentares que votarem a favor do parecer final da Comissão.

Lucas de Arouca
Elida Oliveira

Bolsonaro critica relatório da CPI e diz que não tem 'culpa de absolutamente nada'

No dia em que o Senado apresentou o relatório final da CPI da Pandemia, que apurou ações do governo no enfrentamento à covid-19, o presidente Jair Bolsonaro viajou para o Nordeste para inaugurar obras.

Durante um discurso, Bolsonaro criticou o trabalho dos senadores e disse que não tem culpa de "absolutamente nada", segundo o jornal Folha de S.Paulo.

"Como seria bom se aquela CPI tivesse fazendo algo de produtivo para nosso Brasil", afirmou o presidente. "Tomaram tempo de nosso ministro da Saúde, de servidores, de pessoas humildes e de empresários."

"Nada produziram, a não ser o ódio e o rancor entre alguns de nós. Mas sabemos que não temos culpa de absolutamente nada, fizemos a coisa certa desde o primeiro momento", declarou no interior do Ceará.

O relatório final da CPI da Pandemia propõe o indiciamento de duas empresas e 66 pessoas, entre elas o presidente Bolsonaro, os filhos Flávio e Carlos, e ministros como Queiroga, Onyx, Wagner Rosário, Braga Netto.

Elida Oliveira
Daniela Mercier

Responsabilidade dos senadores não termina no dia 26 e PGR será a primeira a receber relatório, diz Randolfe 

Em entrevista após a leitura do relatório final da CPI da Pandemia, o vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), diz que a sensação é de responsabilidade cumprida, mas que ela não termina no dia 26, dia em que o texto será votado. Ele afirmou ainda que a Procuradoria-Geral da República será o primeiro órgão competende a receber o relatório. 

Daniela Mercier
Elida Oliveira

Brasil viveu ‘experimentos macabros’ conduzidos pela ‘catedral da morte’

Renan Calheiros finalizou a leitura do relatório definindo as ações do governo federal na pandemia como “experimentos macabros”. Para ele, o Brasil se tornou uma “necrópole aterradora”.

O texto deve ir a votação na próxima terça-feira, dia 26.

“A CPI foi responsável por expor ao país e ao mundo experimentos macabros com seres humanos. Um, patrocinado pelo poder público, em Manaus, e outros dois privados, mas incensados pelo presidente da República e seus filhos: a Prevent Senior, e o caso da proxalutamida, que matou mais de 200 pessoas”, afirmou Renan.

“Esse trabalho coletivo silenciou, senhores senadores, um coro demoníaco vindo de uma catedral da morte, sediada pelo governo federal. Geraram uma necrópole aterradora, marcada pelo desprezo à vida, pelo escárnio com a dor de mais de 600 mil famílias, pela insensibilidade e indiferença humanitária. Categorias que resvalam na insanidade, na psicopatia que marcam comportamentos primitivos do ogro e dos bárbaros”, classificou.

Para ele, as ações do governo na pandemia resultaram em mortes, fome e crise econômica. “Isso se traduz nas mortes, mas também na fome, desemprego, volta da inflação e indigência. O que testemunhamos foi uma tropa de jagunços institucionais de instintos primitivos em estado anímico de matar. Foi tudo muito lamentável”, finalizou o relator.

Elida Oliveira


Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: