Notícias sobre a covid-19 e a crise no Brasil

Mundo já registra mais de 4,8 milhões de óbitos pelo coronavírus, segundo dados coletados pela Universidade Johns Hopkins. No Brasil, foram 603.152. Nos próximos dias, a farmacêutica MSD pedirá à Anvisa autorização de uso emergencial para o antiviral molnupiravir no tratamento de pacientes com quadros leves e moderados de covid-19

Membros da Associação de Vítimas e Famílias de Vítimas da Covid-19 (AVICO) colocam 600 bandeiras brancas em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, em homenagem aos 600.000 mortos durante a pandemia no Brasil.
Membros da Associação de Vítimas e Famílias de Vítimas da Covid-19 (AVICO) colocam 600 bandeiras brancas em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, em homenagem aos 600.000 mortos durante a pandemia no Brasil.EVARISTO SA (AFP)
São Paulo / Brasília -

Aviso aos leitores: o EL PAÍS mantém abertas as informações essenciais sobre o coronavírus durante a crise. Se você quer apoiar nosso jornalismo, clique aqui para assinar. Para receber gratuitamente nossa newsletter de segunda à sábado ―com reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as informações mais importantes do dia no seu e-mail―, inscreva-se aqui.

Neste sábado, o Brasil ultrapassou a marca dos 603.000 mortos por coronavírus. No mundo todo, já foram 4,8 milhões de óbitos pela doença, segundo dados coletados pela Universidade Johns Hopkins, que monitora a evolução da pandemia. Nos próximos dias, a farmacêutica MSD (Merck Sharp & Dohme) pedirá à  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorização de uso emergencial para o antiviral molnupiravir no tratamento de pacientes com quadros leves e moderados de covid-19, informa O Globo. Na semana passada, a MSD já havia pedido o aval para o primeiro o uso do antiviral nos Estados Unidos.

Acompanhe as últimas notícias:

Afonso Benites

Encerramos por hoje a cobertura das principais notícias sobre a pandemia de covid-19. Até amanhã.

Afonso Benites

Brasil supera a marca de 603.000 mortos por covid-19

O Brasil ultrapassou a marca dos 603.000 mortos por coronavírus. Dados do Ministério da Saúde apontam que nas últimas 24 horas, 483 pessoas morreram de covid-19 no país. Dessa forma, o número de mortos chega aos 603.152. No mesmo período houve ainda 11.250 novos casos, o que eleva o número de infectados para 21,6 milhões.

Afonso Benites

240,2 milhões de infecções e 4,8 milhões de mortes no mundo devido à pandemia

A pandemia de coronavírus já causou 240,2 milhões de infecções e 4,8 milhões de mortes no mundo desde que os primeiros casos foram detectados no início de 2020, segundo dados coletados pela Universidade Johns Hopkins, que monitora a evolução da pandemia no mundo. Os Estados Unidos continuam sendo o país mais afetado pela doença, com 44,9 milhões de casos e 724.105 mortes. É seguido pela Índia, com 34 milhões de infecções e quase 451.980 mortes; e o Brasil com 21,6 milhões de infecções e quase 602.669 mortes.

Afonso Benites

Rússia ultrapassa 1.000 mortes por coronavírus pela primeira vez em um único dia

A Rússia ultrapassou 1.000 mortes por dia por coronavírus pela primeira vez neste sábado. O país registrou nas últimas 24 horas um total de 1.002 mortes e 33.208 infecções que o aproximam do total de oito milhões de afetados com 7,98 milhões de positivos registrados. O número total de mortos é de 222.315 pessoas, de acordo com o balanço do centro operacional nacional de luta contra a covid-19, coletado pela agência oficial de notícias russa Sputnik. Moscou continua a ser a região com mais mortes diárias, 72 no último dia, seguida de São Petersburgo, com 67. A capital também acumula o maior número de positivos diários: 6.545. (EP)

Joana Oliveira

Farmacêutica MSD pedirá à Anvisa autorização de uso emergencial de medicamento para a covid-19

A farmacêutica MSD (Merck Sharp & Dohme) pedirá à  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nos próximos dias autorização de uso emergencial para o antiviral molnupiravir no tratamento de pacientes com quadros leves e moderados de covid-19, informa O Globo. 

Na semana passada, a MSD já pediu aval para o primeiro o uso do antiviral nos Estados Unidos, baseando-se no estudo que mostra que o molnupiravir reduziu em aproximadamente 50% os riscos de internação e mortes. O resultado foi tão expressivo que o estudo de fase 3, realizado em mais de 100 países,  foi interrompido, já que não seria ético continuar a dar placebo às pessoas sabendo que o remédio é eficaz.   

No Brasil, a Fiocruz realiza uma ampliação desse estudo, para verificar o uso profilático pós-exposição do medicamento, a chamada PEP, e informou na sexta-feira que mantém “conversas avançadas” com a MSD para definir um modelo de cooperação técnica com o objetivo de produzir o antiviral em solo brasileiro. 

Joana Oliveira

Rio de Janeiro conclui neste sábado mutirão de segunda dose da vacinação em massa contra a covid-19 no Complexo da Maré

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a Secretaria Municipal de Saúde do Rio concluem neste sábado o projeto de imunização de todos os adultos do Complexo da Maré, com a segunda dose da vacina contra covid-19. Na primeira fase, realizada no início de agosto, 37.000 pessoas receberam a primeira dose do imunizante, o que equivale a 96% da população com mais de 18 anos na comunidade.

O mutirão, aos moldes do que foi feito em outros locais como as ilhas Grande e de Paquetá, no Rio de Janeiro, busca estudar os efeitos da vacinação em massa na comunidade. Segundo a Fiocruz, cerca de 8.000 das 37.000 pessoas imunizadas estão sendo monitoradas para que se conheça os efeitos da vacina.

O estudo da Fiocruz na Maré medirá a efetividade da vacina AstraZeneca, monitorará a circulação de variantes da covid-19 entre os moradores, a ocorrência de casos entre pessoas vacinadas, possíveis efeitos adversos da vacina e o nível de proteção de crianças e adolescentes não vacinados.

Além de completar o ciclo de vacinação nos adultos, o mutirão, iniciado na última quinta-feira e que será concluído hoje, também prevê aplicar a primeira dose nos adolescentes com 12 anos ou mais que ainda não foram vacinados.

Joana Oliveira

São Paulo realiza neste sábado mutirão para segunda dose da vacina contra covid-19

O Governo de São Paulo promove neste sábado uma mobilização para aplicar a segunda dose de vacina contra a covid-19, com o objetivo de aumentar a cobertura vacinal no Estado, onde 4,1 milhões de pessoas estão com o calendário de imunização atrasado. Pessoas que ainda não receberam a segunda dose dos imunizantes Coronavac, Astrazeneca ou Pfizer podem receber a vacina em cerca de 5.000 postos de saúde espalhados em 645 municípios, das 7h às 19h. 

Também poderão ser vacinados com a terceira dose os idosos que já completaram o esquema vacinal há pelo menos seis meses. Até o momento, já foram aplicadas cerca de 70 milhões de doses de imunizantes em São Paulo, que ultrapassou a meta de 90% de cobertura entre pessoas com idade acima de 45 anos.

Joana Oliveira

Bom dia! Retomamos a cobertura sobre a pandemia de covid-19 no mundo e a política no Brasil. 

Lucas de Arouca

Nossa cobertura fica por aqui. Obrigado pela companhia e um ótimo final de semana. Siga acompanhando as notícias.

Lucas de Arouca
Lucas de Arouca

Brasil registra 570 mortes por covid-19 nesta sexta-feira

O boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde nesta sexta-feira aponta que o Brasil registrou nas últimas 24 horas 570 mortes em decorrência da covid-19, totalizando 602.699 óbitos desde o início da crise sanitária, em março de 2020. Mesmo assim, o momento é de baixa nos números na pandemia, com a semana apresentando a menor média móvel de mortes desde abril do ano passado.

A querda na curva de contágios e óbitos é reflexo do avanço da vacinação contra o coronavírus. Até aqui, mais de 103 milhões de brasileiros já completaram o esquema vacinal; o número de cidadãos com ao menos uma dose supera 150 milhões.

Lucas de Arouca
Lucas de Arouca

Governo Bolsonaro faz postagem sobre 1.000 dias de gestão, mas texto só tinha palavras genéricas "lorem ipsum"

O Governo Federal cometeu um erro nesta sexta-feira e publicou um texto apenas com palavras "lorem ipsum", trechos genéricos em latim para preencher documentos vazios. A postagem tinha como objetivo fazer menção aos 1.000 dias de gestão do presidente Jair Bolsonaro. A postagem foi rapidamente apagada.

 

Lucas de Arouca
Lucas de Arouca

Ministério da Saúde reduz intervalo entre aplicações da Astrazeneca de 12 para 8 semanas

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta sexta-feira que o intervalo entre a primeira a segunda doses da vacina contra covid-19 da Astrazeneca será reduzido de 12 para 8 semanas, parte de uma logística adotada para acelerar o ciclo vacinal e reduzir o avanço das contaminações. O ministro aproveitou o tuíte para incentivar a busca pela vacina: "só assim você garante a máxima proteção contra o vírus", disse.

Lucas de Arouca
Lucas de Arouca

MPF entende como válida a exigência de vacinação contra covid-19 para permanência em locais de uso coletivo

Dias depois do presidente Jair Bolsonaro ser impedido de assistir a um jogo pelo Campeonato Brasileiro por não estar vacinado contra a covid-19, outras instituições vão pelo caminho contrário. Esta semana, o procurador-geral da República, Augusto Aras, em parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF) defendeu a criação de normas restritivas à população, com o objetivo de conter o avanço da pandemia de covid-19.

Entre as medidas que são entendidas como válidas pela PGR estão a exigência da vacinação para aqueles que desejarem acessar e permanecer em estabelecimentos e locais de uso coletivo. Segundo Aras, os decretos de municípios do Rio de Janeiro que vão por esse caminho estão "de acordo com jurisprudência do STF".

Por toda a América Latina e o mundo, vários países têm passado a exigir comprovação de vacinação para garantir a volta segura à normalidade.

Lucas de Arouca
Lucas de Arouca

Uruguai anuncia fim da obrigatoriedade do uso de máscara em lugares abertos

Com um dos mais avançados calendários de vacinação contra a covid-19 –que já mantêm a pandemia sob controle há várias semanas– o Uruguai já avança no vim de algumas restrições. Entre elas, o uso de máscara. Durante a semana, o Governo do presidente Luis Lacalle Pou definiu que máscaras faciais não são mais obrigatórias em lugares públicos. Até 15 de outubro, o país de 3,5 milhões de habitantes já havia vacinado quase 75% de sua população com as duas doses.

Lucas de Arouca
Lucas de Arouca

População residente em área indígena e quilombola supera 2,2 milhões

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima em 1.108.970 pessoas residentes em localidades indígenas e 1.133.106 moram em quilombos no Brasil. A publicação Dimensionamento emergencial de população residente em áreas indígenas e quilombolas para ações de enfrentamento à pandemia provocada pelo novo coronavírus foi produzida em caráter de urgência em 2020 a pedido do Ministério da Saúde, com o objetivo de planejar a imunização de grupos vulneráveis contra a covid-19.

Utilizando uma combinação de dados do Censo 2010 com a versão mais atualizada da Base Territorial, que estima o número de domicílios ocupados, o estudo levou em consideração áreas já mapeadas no planejamento do próximo Censo, a ser realizado em 2022.

“Muito do que foi divulgado só foi possível graças ao planejamento do próximo Censo, com o mapeamento e a criação de uma base territorial que contempla a autodeclaração das comunidades quilombolas. Isso é inédito”, disse, em nota, a analista responsável pelo Projeto de Povos e Comunidades Tradicionais do IBGE, Marta Antunes. (Agência Brasil)

Lucas de Arouca
Daniela Mercier

CPI define nomes de depoentes finais, na segunda 

A CPI da Pandemia aprovou requerimentos para a convocação de mais testemunhas a serem ouvidas nesta reta final de trabalho. A votação dos nomes foi feita numa rápida reunião remota na manhã desta sexta-feira.  

Os pedidos partiram do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Conforme o vice-presidente do colegiado, será ouvido na manhã de segunda-feira (18) o integrante do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Nelson Mussolini; à tarde, será a vez de pessoas que perderam entes queridos para a pandemia. A apresentação do voto do relator Renan Calheiros (MDB-AL) está mantida para o dia 19 de outubro. 

A CPI ainda pretende esclarecer se houve algum tipo de pressão ou interferência do governo na decisão tomada pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias do Sistema Único de Saúde (Conitec) de adiar a análise de um estudo sobre o tratamento medicamentoso ambulatorial de pacientes com covid-19. (Agência Senado)

Daniela Mercier
Daniela Mercier

Estados Unidos vão liberar entrada de estrangeiros vacinados em 8 de novembro

Os Estados Unidos reabrirão suas fronteiras terrestres e aéreas aos viajantes internacionais totalmente vacinados a partir de 8 de novembro, disse a Casa Branca na sexta-feira. Estas restrições de viagem, implementadas ainda na gestão do ex-presidente Donald Trump (2017-2021), estavam em vigor desde o início da pandemia em 2020 e foram mantidas pelo atual presidente Joe Biden, que veio para a Casa Branca em janeiro deste ano.

"A nova política de viagens dos EUA que exige vacinação para viajantes estrangeiros para os EUA começará em 8 de novembro. Este anúncio e data se aplicam tanto a viagens internacionais aéreas quanto terrestres", disse Kevin Munoz, porta-voz da Casa Branca, em uma mensagem em sua conta oficial no Twitter. (Efe)

Daniela Mercier
Daniela Mercier

CPI da Pandemia aprova novas convocações de depoimentos 

A CPI da Pandemia aprovou nesta sexta-feira quatro novas convocações de depoimentos, que serão realizados na segunda-feita —véspera da apresentação do relatório final da comissão. 

Foram aprovadas pela CPI as convocações de Carlos Eduardo Menezes de Rezende, representante da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS); Nelson Mussolini, representante do Conselho Nacional de Saúde (CNS); Elton da Silva Chaves, representante do  Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems); e Luiz Claudio Lemos Correa, representante do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Os nomes citados acima fazem parte da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), que teria sido pressionada por aliados do Governo a adiar a análise de um relatório condenando o uso do chamado "kit covid", de "tratamento precoce" da doença.

Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor do requerimento, explicou que nem todos os convocados serão necessariamente ouvidos, já que o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), decidiu realizar apenas mais uma oitiva. 

A CPI cogitou convocar apenas pneumologista Carlos Carvalho, coordenador da Conitec, mas, em contato com a cúpula da CPI, ele não garantiu que apresentaria à comissão o relatório supostamente retirado da pauta da reunião da entidade. Por isso, Randolfe requereu a convocação de outros nomes da Conitec, em substituição eventual a Carvalho. (Agência Senado)

Daniela Mercier
Daniela Mercier

CPI da Pandemia se reúne nesta sexta para decidir se ouve familiares de vítimas e médico

A CPI da Pandemia tem reunião deliberativa remota às 10h desta sexta-feira (15) para votar dois requerimentos. Um para realização de audiência pública com o objetivo de ouvir relato de familiares de vítimas da covid-19 e outro para convocação do médico pneumologista Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho —autor de um trabalho técnico que condena o uso de substâncias sem eficácia contra a doença. Ambos os requerimentos partiram do vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). (Agência Senado)

 

Daniela Mercier
Daniela Mercier

Bill Clinton é internado por infecção urinária 

O ex-presidente americano Bill Clinton foi internado na terça-feira em um hospital em Irvine, Califórnia, com uma infecção do trato urinário, relatou a CNN. Clinton, de 75 anos, foi admitido na unidade de terapia intensiva, principalmente por privacidade, de acordo com médicos que tratavam do ex-presidente no Irvine Medical Center, na Califórnia. A condição do ex-presidente democrata (1993-2001) não está relacionada nem com a covid-19 nem com seus problemas cardíacos anteriores.

De acordo com a declaração emitida pela equipe médica, Clinton "foi admitido na UTI para um acompanhamento rigoroso e recebeu antibióticos e fluidos intravenosos". Clinton permanece no hospital para "monitoramento contínuo", de acordo com a Dra. Lisa Bardack, médica pessoal da família de Clinton. "Após dois dias de tratamento, sua contagem de glóbulos brancos está diminuindo e ela está respondendo bem aos antibióticos", disseram os médicos. "Esperamos que ela volte para casa em breve", concluíram. Segundo o porta-voz de Clinton, Angel Urena, o ex-presidente está "melhorando" e "de bom humor".

As informações são da repórter Yolanda Monge, de Washington. 

 

Daniela Mercier


Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: