Ao Vivo

Notícias sobre a covid-19 | Brasil ultrapassa 550.000 mortes pelo coronavírus

Rio retomará na quarta aplicação da primeira dose contra covid-19. Queiroga afirma que Brasil deve diminuir intervalo entre doses da Pfizer de três meses para três semanas. França aprova lei que regulamenta um certificado de saúde para acessar maioria dos estabelecimentos

Homem faz teste de PCR  em Seul, na Coreia do Sul.
Homem faz teste de PCR em Seul, na Coreia do Sul.Ahn Young-joon / AP
São Paulo / Brasília - 27 jul 2021 - 02:56 UTC

Aviso aos leitores: o EL PAÍS mantém abertas as informações essenciais sobre o coronavírus durante a crise. Se você quer apoiar nosso jornalismo, clique aqui para assinar. Para receber gratuitamente nossa newsletter de segunda à sábado ―com reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as informações mais importantes do dia no seu e-mail―, inscreva-se aqui.

O Brasil ultrapassou 550.000 mortes na pandemia de coronavírus. A marca é atingida no momento em que ao menos sete capitais suspenderam a aplicação da primeira dose da vacina contra a covid-19 devido à falta de imunizantes. No Rio, a Prefeitura deve retomar essa etapa da imunização na quarta, com a chegada de novas doses do Ministério da Saúde. Além disso, o ministro Marcelo Queiroga pode anunciar nos próximos dias a redução do intervalo entre as doses da vacina da Pfizer de três meses para três semanas, acelerando a conclusão das aplicações necessárias contra a doença nos locais onde há estoques disponíveis. O Senado francês aprovou definitivamente no domingo o projeto de lei que regulamenta o uso de um certificado de saúde para acessar a maioria dos estabelecimentos públicos e exige a vacinação contra a covid-19 dos profissionais de saúde.

Siga ao vivo as notícias mais importantes do dia:


Arquivado Em:

Mais informações

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50