Ao Vivo

Notícias sobre a covid-19 e a crise | Pazuello admite agravamento da pandemia: “Precisamos estar preparados”

Com mais de 251.000 mortes, Brasil representa cerca de 10% das vítimas globais de coronavírus. OMS registra a menor número diário de mortes pelo novo coronavírus. Senado brasileiro aprova que Estados, municípios e setor privado podem comprar vacinas por conta própria.

Cidadão mexicanos recebem a vacina da Sinovac na cidade de Ecatepec, no México, nesta quinta-feira.
Cidadão mexicanos recebem a vacina da Sinovac na cidade de Ecatepec, no México, nesta quinta-feira.Xinhua vía Europa Press / Europa Press
São Paulo / Brasília - 26 fev 2021 - 10:37 UTC

Aviso aos leitores: o EL PAÍS mantém abertas as informações essenciais sobre o coronavírus durante a crise. Se você quer apoiar nosso jornalismo, clique aqui para assinar.

O Brasil ultrapassou oficialmente nesta quinta a marca de 250.000 mortes pelo novo coronavírus —cerca de 10% das vítimas de todo o mundo. Segundo os dados divulgados pelo Ministério da Saúde, o país registrou 1.541 novos óbitos e nas últimas 24 horas e acumula 251.498 óbitos desde o início da pandemia. O agravamento da doença no país foi reconhecido pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em reunião com secretários estaduais e municipais. “Hoje o vírus mutado nos dá três vezes mais a contaminação. Precisamos estar alertas e preparados para isso”, declarou. Para combater o vírus, o Senado brasileiro aprovou o projeto de lei que autoriza os Estados, municípios e o setor privado a adquirirem vacinas contra a covid-19 nesta quarta-feira —o texto ainda segue para a Câmara.

As notícias mais importantes do dia:


Mais informações