A pandemia do coronavírus

AO VIVO | Na ONU, Bolsonaro culpa índios por fogo na Amazônia e omite que fazendeiros são suspeitos

Presidente brasileiro acusa a mídia de politizar a pandemia, afirma que parcelas do auxílio emergencial somaram “1.000 dólares” para cada família e insiste que país sofre com “desinformação”

São Paulo / Brasília - 22 sep 2020 - 15:20 UTC

Mais informações

O presidente Jair Bolsonaro abriu a 75ª edição da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas —o Brasil é tradicionalmente o primeiro a fazer o pronunciamento na sessão de líderes mundiais. Pela primeira vez, o evento ocorre de forma virtual, em razão da pandemia de coronavírus, e o discurso foi gravado. Assim como em 2019, quando discursou pela primeira vez na ONU, Bolsonaro deve falar sobre a Amazônia, região que vem sofrendo incêndios e desmatamento sem precedentes. O presidente afirmou que o Brasil é “vítima de uma das mais brutais campanhas de desinformação” e culpou “o caboclo e o índio” pelos incêndios florestais, omitindo as suspeitas que recaem sobre fazendeiros. Enquanto isso, o Brasil soma, nesta segunda-feira, 137.272 mortes e mais de 4,5 milhões de infectados pela covid-19, de acordo com o Ministério da Saúde.

Veja os destaques da cobertura desta terça:

  • Bolsonaro culpa índios por fogo na Amazônia e omite que fazendeiros são suspeitos.
  • 16 áreas não atingidas por restrições em Madri ultrapassam 1.000 infecções por 100.000 habitantes.
  • Brasil soma 137.272 mortes por covid-19 e mais de 4,5 milhões de casos.

Acompanhe a cobertura ao vivo, em tempo real:


Mais informações