Pandemia de Coronavírus

Últimas notícias sobre o coronavírus e a crise no Governo Bolsonaro

Ministério da Saúde confirma mais 653 mortes na pandemia e total de óbitos chega a 22.666. Casos já são 363.211 em todo o país. EUA proíbem entrada de passageiros vindos do Brasil. América Latina concentra mais da metade dos infectados no mundo, com 657.000 casos. A repercussão do vídeo da reunião ministerial com Bolsonaro, que teve sigilo quebrado pelo ministro do STF Celso de Mello. Acompanhe as últimas notícias

Um homem escava uma vala comum em Manaus, no dia 19 de maio.
Um homem escava uma vala comum em Manaus, no dia 19 de maio.Lucas Silva/dpa / Europa Press
São Paulo , Brasília , Madri - 25 may 2020 - 01:47 UTC


Mais informações

Brasil confirmou mais 653 mortes pela pandemia do novo coronavírus nas últimas 24 horas e total de óbitos chegou a 22.666. Também neste domingo, os EUA proibiram a entrada de passageiros vindos do país, que já acumula 363.211 casos confirmados. O Brasil já é o segundo país com maior número de infectados no mundo, só atrás dos EUA. Os números brasileiros ajudam a América Latina a concentrar mais da metade dos infectados no globo, com 657.000 casos confirmados. Enquanto isso, a crise brasileira segue dupla. Neste domingo, o presidente Jair Bolsonaro voltou a participar de manifestações públicas ignorando as medidas contra aglomeração social e aumentou o tom das críticas contra o Supremo Tribunal Federal, que na sexta quebrou o sigilo do vídeo da reunião ministerial do Governo em 22 de abril, um dos elementos de investigação no inquérito que apura se Bolsonaro agiu para interferir na Polícia Federal.

Veja os destaques da cobertura:

  • Brasil confirma mais 653 mortes e total de óbitos chega a 22.666. Casos já são 363.211, fazendo do país o segundo com mais infecções no mundo. 149.911 pessoas são consideradas recuperadas
  • Estado de São Paulo contabiliza mais de 6.000 mortos
  • Espanha autoriza volta do turismo estrangeiro em julho e reinício do campeonato espanhol no mês que vem.
  • “Eu estou armando o povo porque não quero uma ditadura. Quero todo mundo armado. Povo armado jamais será escravizado”, diz o presidente, na reunião.



Acompanhe as principais notícias sobre o coronavírus e a crise política:


No EL PAÍS, dezenas de jornalistas trabalham para levar a você as informações apuradas com mais cuidado e para cumprir sua missão de serviço público. Se quiser apoiar nosso jornalismo e ter acesso ilimitado, pode fazê-lo aqui por 1 euro no primeiro mês e 10 euros a partir do mês seguinte, sem compromisso de permanência.

Inscreva-se

Mais informações