Avaliação de Bolsonaro melhora e supera percepção negativa, aponta pesquisa

Levantamento CNT/MDA feito na semana passada se encerrou em meio à queda do ex-secretário da Cultura que fez alusão nazista

Bolsonaro deixa Palácio do Planalto.
Bolsonaro deixa Palácio do Planalto.ADRIANO MACHADO (Reuters)

Levantamento encomendado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) ao Instituto de Pesquisa MDA mostra que a aprovação ao presidente Jair Bolsonaro subiu, assim como a percepção positiva sobre seu Governo. De acordo com a pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 34,5% da amostragem de 2.002 pessoas entrevistadas em 137 municípios de 25 Estados avaliam a gestão federal como ótima ou boa, enquanto 47,8% aprovam o desempenho pessoal do presidente. Por outro lado, a reprovação tanto do Governo quanto a Bolsonaro também caiu, registrando índices de 31% e 47%, respectivamente.

Segundo os dados do estudo, Bolsonaro volta a experimentar um percentual maior de avaliação positiva que negativa, tal qual no início de seu Governo. Em fevereiro de 2019, 57,5% aprovavam o presidente, contra 28,8% que exibiam insatisfação. Na última versão da pesquisa, em agosto, sua reprovação havia atingido o ápice, com 53,7%, número semelhante ao de Dilma Rousseff no começo de 2015, ano em que o processo de impeachment foi acolhido pelo Congresso Nacional.

A notícia sobre a recuperação de Bolsonaro aparece num momento em que o Governo lida com o episódio que provocou a demissão do então secretário de Cultura, Roberto Alvim, por causa de um vídeo inspirado em falas do ministro da propaganda nazista, Joseph Goebbels. O levantamento, porém, não capta toda a reação do caso: as entrevistas foram realizadas entre 15 e 18 de janeiro. Alvim foi demitido na última sexta-feira, dia 17.

Mais informações
Secretário da Cultura de Bolsonaro imita fala de nazista Goebbels e é demitido
Bolsonaro acelera deterioração da democracia no Brasil
Eleitor de Bolsonaro posa com uma bandeira do Brasil diante do ensaio do esquema de segurança da posse.
Votaram em Bolsonaro e começaram 2019 otimistas. Voltamos a eles para saber o que pensam agora

O vídeo de Alvim provocou rechaço generalizado e ampla repercussão nas redes. De acordo com Andrei Roman, diretor-executivo do Atlas Político, que presta consultoria com pesquisas de opinião atualizadase em tempo real, a rejeição ao Governo Bolsonaro aumentou cerca de 5 pontos percentuais após a repercussão negativa do vídeo. “Isso revela uma volatilidade cada vez maior da avaliação do presidente e do Governo em função de eventos específicos”, diz Roman.

Expectativas econômicas

O levantamento da CNT/MDA ainda aponta que 36,2% dos entrevistados dizem acreditar que o Brasil melhorou após um ano de Governo Bolsonaro. Já 37,4% acham que a situação permanece inalterada, e outros 25% opinam que piorou. Entre os que enxergam um país melhor, 48,7% destacam a economia como maior evolução durante seu mandato e 46,8% entendem que a corrupção diminuiu em relação aos últimos Governos —um percepção positiva apesar de o filho do presidente, senador Flávio Bolsonaro, está sendo investigado sob suspeita de lavagem de dinheiro e apropriação indevida de parte dos salários de servidores no Rio.

Além da aprovação, a pesquisa também mediu as intenções de voto para a corrida presidencial em 2022. Em sondagem espontânea, Bolsonaro (sem partido) lidera com 29,1%, seguido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 17%, e Ciro Gomes (PDT), que soma 3,5% das intenções. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, aparece com 2,4%, à frente de Fernando Haddad (PT), com 2,3%, João Amoêdo (NOVO), com 1,1%, e do apresentador Luciano Huck, mencionado por 0,5% dos entrevistados.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS