Em discurso relâmpago em Davos, Bolsonaro promete negócios “sem ideologia”

Fala na abertura do Fórum Econômico na Suíça durou menos de dez minutos. "Não queremos uma América bolivariana", disse ele, que deixou temas polêmicos de fora

Jair Bolsonaro entra no palco para seu discurso, que durou menos de dez minutos.
Jair Bolsonaro entra no palco para seu discurso, que durou menos de dez minutos.Markus Schreiber (AP)
Mais informações

Em um discurso relâmpago, o presidente Jair Bolsonaro abriu o Fórum Econômico Mundial de Davos 2019, o encontro anual de líderes mundiais e investidores que começou nesta terça-feira e vai até sexta, 25 de janeiro, na Suíça. Em um pronunciamento que durou menos de dez minutos, Bolsonaro voltou a afirmar que seu Governo não terá viés ideológico, falou sobre como o Brasil deve incentivar o agronegócio levando em conta o meio ambiente e destacou que pretende diminuir a carga tributária do país. "Tenham certeza de que, até o final do meu mandato, nossa equipe econômica, liderada pelo ministro Paulo Guedes, nos colocará no ranking dos 50 melhores países para se fazer negócios", afirmou.

Bolsonaro discursaria inicialmente por 45 minutos, mas a fala do presidente brasileiro à elite econômica mundial foi mais curta que o previsto. É a primeira vez que o Brasil abre o Fórum de Davos, mas é a quinta vez que um presidente brasileiro participa do encontro das principais economias do mundo.

O discurso de Bolsonaro, minuto a minuto, no Fórum de Davos:

Los mensajes de este tema están ordenados a la inversa, del más antiguo al más reciente.
Marina Novaes

Bom dia! O presidente Jair Bolsonaro abre o Fórum Econômico Mundial de Davos. Com as ausências de Donald Trump e outros líderes internacionais de peso, o ultradireitista tem o desafio de suavizar sua imagem perante os demais líderes mundiais. http://cort.as/-E6V5

Marina Novaes
Marina Novaes
O discurso de Bolsonaro está marcado para as 12h30, no horário de Brasília. Ele é o primeiro presidente brasileiro a abrir o Fórum de Davos.
Marina Novaes
Marina Novaes
Embora seja o primeiro a discursar na abertura de Davos, Bolsonaro é o quinto presidente do Brasil a participar do evento. Já participaram de Davos durante os seus mandatos os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (1998), Luiz Inácio Lula da Silva (2003, 2005 e 2007), Dilma Rousseff (2014) e Michel Temer (2018).
Marina Novaes
Talita Bedinelli

Davos esvaziada de grandes líderes recebe Bolsonaro como um astro da nova política, explica a correspondente do EL PAÍS que está no local, Alicia González. O Brasil envia neste ano ao a delegação mais numerosa da região, com 34 dirigentes políticos e empresariais http://cort.as/-E6W_

Talita Bedinelli
Heloísa Mendonça

Em seu discurso, que deve ocorrer em poucos minutos, Bolsonaro prometeu destacar o "agronegócio do Brasil, sem questões ideológicas" e sem preconceitos, não excluindo possibilidades de negociações com a China. A reforma da Previdência não deve ser detalhada no encontro da elite financeira mundial em Davos

Heloísa Mendonça
Heloísa Mendonça

"Me sinto muito honrado de me dirigir a uma plateia tão seleta. Hoje em dia o Brasil precisa de vocês", diz Bolsonaro ao iniciar o seu discurso em Davos. "Assumi o Brasil em uma profunda crise ética, moral e econômica... Pela primeira vez, um presidente montou uma equipe de ministros qualificados. Gozamos de credibilidade para fazer as reformas que precisamos", diz.

 

 

Heloísa Mendonça
Heloísa Mendonça

Bolsonaro afirma que o Brasil é uma economia ainda  muito fechada ao mercado internacional, e um dos objetivos do seu governo é mudar isso.

Heloísa Mendonça
Heloísa Mendonça

"Vamos resgatar nossos valores e abrir a economia. Queremos aprofundar nossas relações comerciais, queremos parceiros com tecnologia", diz o presidente em Davos.

Heloísa Mendonça
Heloísa Mendonça

Bolsonaro defendou ainda que a meta do Governo é compatibilizar defesa ambiental com o desenvolvimento econômico.

Heloísa Mendonça
Heloísa Mendonça

Bolsonaro fala agora sobre o combate à corrupção e afirma que precisará do Parlamento para essa batalha.

Heloísa Mendonça
Heloísa Mendonça

"No tocante do Mercosul algo será aperfeiçoado, já conversei inclusive com o presidente da Argentina, Maurício Macri.Estamos preocupados sim em fazer uma América do Sul grande, mas não queremos uma América bolivariana", diz Bolsonaro. "A esquerda não prevalecerá nessa região", completou.

Heloísa Mendonça
Heloísa Mendonça

Durante sua fala, o presidente foi enfático em dizer que não quer um governo com viés ideológico, tocou também na questão ambiental e afirmou que pretende diminuir a carga tributária do país. "Tenham certeza de que, até o final do meu mandato, nossa equipe econômica, liderada pelo ministro Paulo Guedes, nos colocará no ranking dos 50 melhores países para se fazer negócios".

Heloísa Mendonça
Heloísa Mendonça

Sobre o combate à corrupção e à lavagem de dinheiro,  Bolsonaro afirmou que o ministro da Justiça Sérgio Moro é o  "homem certo" para assumir essa função.

Heloísa Mendonça
Heloísa Mendonça

O presidente destacou que o meio ambiente precisa estar casado com o desenvolvimento.  A agricultura ocupa menos de 9% do território, e a pecuário 20%. Nós damos exemplo para o mundo na preservação ambiental", afirmou. 

Heloísa Mendonça
Heloísa Mendonça

No discurso em Davos, que durou 8 minutos, Bolsonaro não deu detalhes, como esperado, sobre a reforma da Previdência.

Heloísa Mendonça
Heloísa Mendonça

O chanceler Ernesto Araújo,  de visão antiglobalista, destacou em seu Twitter a fala de Bolsonaro, em discurso em Davos, sobre a meta de abrir a economia.

Heloísa Mendonça

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: