Seleccione Edição
Login
Casas voadoras, um retrato de Paris em formato de balão

Casas voadoras, um retrato de Paris em formato de balão

10 fotos

Uma história clandestina em um quarto de hotel. Um circo antes de começar a funcionar. Imigrantes em busca de seu futuro. Imaginar o passado de habitantes que poderiam viver nessas casas em uma boêmia Paris. Um voo maravilhoso pelo mundo de realidades e sonhos criado pelo artista francês Laurent Chéhère

  • Natureza morta. De longe pode parecer a Arca de Noé abarrotada de animais vivos. Mas, na realidade, representa a tristeza de vê-los conservados para sempre em uma antiga taxidermia.
    1Natureza morta. De longe pode parecer a Arca de Noé abarrotada de animais vivos. Mas, na realidade, representa a tristeza de vê-los conservados para sempre em uma antiga taxidermia.
  • A caravana. À direita, alguns verão um estilo de vida boêmio, mas é a casa de pessoas que não são bem-vindas no que chamamos sociedade moderna.
    2A caravana. À direita, alguns verão um estilo de vida boêmio, mas é a casa de pessoas que não são bem-vindas no que chamamos sociedade moderna.
  • Doutor Pierre. Traços do retrato sereno do médico Pierre-Alphonse Mussot sobrevivem ao passar do tempo nos muros deste edifício que lembram seu sucesso. Fundou em 1837 uma companhia de destilação de álcool de menta e fabricação de pasta de dentes com coral vermelho e cortiça de quinina.
    3Doutor Pierre. Traços do retrato sereno do médico Pierre-Alphonse Mussot sobrevivem ao passar do tempo nos muros deste edifício que lembram seu sucesso. Fundou em 1837 uma companhia de destilação de álcool de menta e fabricação de pasta de dentes com coral vermelho e cortiça de quinina.
  • Amanhecer. Em que pensará a garota do apartamento do terceiro andar deste hotel?
    4Amanhecer. Em que pensará a garota do apartamento do terceiro andar deste hotel?
  • O circo. Seu nome, Zampano, como o protagonista do filme 'A estrada da vida', de Fellini, faz com que se imagine o cineasta no interior dando ordens por um megafone para que comece o trabalho.
    5O circo. Seu nome, Zampano, como o protagonista do filme 'A estrada da vida', de Fellini, faz com que se imagine o cineasta no interior dando ordens por um megafone para que comece o trabalho.
  • A grande ilusão. Uma aparente tranquilidade até se descobrir a metáfora sobre a tragédia de quem cruza o Mediterrâneo cheio de esperança.
    6A grande ilusão. Uma aparente tranquilidade até se descobrir a metáfora sobre a tragédia de quem cruza o Mediterrâneo cheio de esperança.
  • Não está bem! Nesta página, casas públicas e uma hamburgueria compartilham o edifício. A criança se aproxima da janela. Espera que sua mãe lhe leve um menu de comida rápida. Segundo o fotógrafo, ela pensa que isso lhe fará feliz.
    7Não está bem! Nesta página, casas públicas e uma hamburgueria compartilham o edifício. A criança se aproxima da janela. Espera que sua mãe lhe leve um menu de comida rápida. Segundo o fotógrafo, ela pensa que isso lhe fará feliz.
  • Fim de partida. Os carros de batida eram o local de reunião de jovens punk que buscavam a atenção das garotas embaixo das luzes de neon.
    8Fim de partida. Os carros de batida eram o local de reunião de jovens punk que buscavam a atenção das garotas embaixo das luzes de neon.
  • Nova vida. Desta imagem, seu autor só diz “Renascença”.
    9Nova vida. Desta imagem, seu autor só diz “Renascença”.
  • A vida é bela. Quem vive nesta acolhedora casa? Um casal de aposentados talvez?
    10A vida é bela. Quem vive nesta acolhedora casa? Um casal de aposentados talvez?