Seleccione Edição
Login

O artista do povo

O carioca Wallace Pato transforma as ruas das periferias do Rio em museu a céu aberto. Veja algumas de suas obras

  • Os grafites de Wallace Pato estão espalhados pelas ruas do Rio de Janeiro, sobretudo em bairros e comunidades da periferia. Ele diz querer levar a arte para aqueles que não tem acesso a ela. Na foto, uma obra de Pato no bairro de Ramos, na zona norte do Rio.
    1Os grafites de Wallace Pato estão espalhados pelas ruas do Rio de Janeiro, sobretudo em bairros e comunidades da periferia. Ele diz querer levar a arte para aqueles que não tem acesso a ela. Na foto, uma obra de Pato no bairro de Ramos, na zona norte do Rio.
  • Seus grafites retratam o povo nordestino, que emigrou em massa para o Rio de Janeiro em busca de uma melhor qualidade de vida. Pato abrange em seu trabalho a temática do trabalho, da música, dos deslocamentos, das questões sociais... Pretende das voz aos que não marginalizados pela sociedade.
    2Seus grafites retratam o povo nordestino, que emigrou em massa para o Rio de Janeiro em busca de uma melhor qualidade de vida. Pato abrange em seu trabalho a temática do trabalho, da música, dos deslocamentos, das questões sociais... Pretende das voz aos que não marginalizados pela sociedade.
  • Com esta obra, Pato queria transmitir amor para as pessoas que passam pela rua. Na foto, uma mulher com carrinho de compras fala e gesticula em frente à pintura, como se estivesse conversando com o casal retratado. "Muitas pessoas se sentem identificadas", explica Pato.
    3Com esta obra, Pato queria transmitir amor para as pessoas que passam pela rua. Na foto, uma mulher com carrinho de compras fala e gesticula em frente à pintura, como se estivesse conversando com o casal retratado. "Muitas pessoas se sentem identificadas", explica Pato.
  • Já neste grafite, Pato retrata 'seu' Bras, um "nordestino arretado" que era seu vizinho. "Ele era seresteiro e sabia tocar de tudo. Era um gênio", diz o artista. A família cedeu a foto e outro vizinho cedeu a parede de sua casa para que a obra fosse feita.
    4Já neste grafite, Pato retrata 'seu' Bras, um "nordestino arretado" que era seu vizinho. "Ele era seresteiro e sabia tocar de tudo. Era um gênio", diz o artista. A família cedeu a foto e outro vizinho cedeu a parede de sua casa para que a obra fosse feita.
  • Em uma rua de Ramos, Pato faz os primeiros traços de uma nova pintura. Ele olha para a foto que vai copiar em seu smartphone ao mesmo tempo que rabisca com a mão direita na parede.
    5Em uma rua de Ramos, Pato faz os primeiros traços de uma nova pintura. Ele olha para a foto que vai copiar em seu smartphone ao mesmo tempo que rabisca com a mão direita na parede.
  • Pato só precisa de três baldes de tinta com as cores primárias (amarelo, vermelho e azul) e um pincel para conseguir as cores e efeitos que busca. Enquanto pinta, são muitos os que se aproximam para ver o seu trabalho.
    6Pato só precisa de três baldes de tinta com as cores primárias (amarelo, vermelho e azul) e um pincel para conseguir as cores e efeitos que busca. Enquanto pinta, são muitos os que se aproximam para ver o seu trabalho.
  • Wallace Pato olha para a foto em seu smartphone enquanto pinta.
    7Wallace Pato olha para a foto em seu smartphone enquanto pinta.
  • Em questão de minutos, as silhuetas de uma família sentada em uma carroça começa a tomar forma.
    8Em questão de minutos, as silhuetas de uma família sentada em uma carroça começa a tomar forma.
  • Resultado final da pintura feita por Wallace Pato.
    9Resultado final da pintura feita por Wallace Pato.