Seleccione Edição
Login

Álbum da Copa da Rússia tem 21 erros a mais que edição anterior

Seleções divulgaram listas finais de convocados em 4 de junho; livro de 2018 tem 92 erros, contra 71 de 2014

Capa do álbum da Copa do Mundo Rússia 2018.
Capa do álbum da Copa do Mundo Rússia 2018. Divulgação Panini

Com as listas de todas as 32 seleções que disputarão a Copa do Mundo da Rússia 2018 completas, também já estão definidos os erros nas figurinhas do álbum da Copa, que a cada quatro anos aposta com antecedência em quem serão os convocados de cada equipe. Nesta edição, foram 92 erros no livro ilustrativo (2,8 por time, em média), 21 a mais do que o número em 2014. Somando os escolhidos de Brasil, Argentina, Alemanha, Espanha, França, Portugal, Bélgica e Inglaterra, as oito principais seleções do torneio, são 26 erros, uma média de mais de três figurinhas equivocadas por equipe favorita.

Quem mais enganou a publicação da Panini foi o treinador Didier Deschamps, da França. Presentes no álbum, os laterais Digne e Kurzawa, o zagueiro Koscielny, o meia Rabiot e os atacantes Lacazette e Martial não foram chamados para a Copa. Digne, Lacazette, Martial e Rabiot ainda foram indicados para a lista de 12 suplentes, mas o último se negou a fazer parte desta, causando polêmica na França. Rabiot foi preterido pelos meio-campistas Kanté, Matuidi, N’Zonzi, Pogba e Tolisso. Sem nenhum erro na edição de 2006 do álbum, os franceses viram a publicação se equivocar com Benzema em 2010 e Ribéry em 2014.

Atrás da França estão Portugal, Argentina e Inglaterra, todos com quatro erros. Nos portugueses, o lateral Eliseu, os volantes Danilo e André Gomes e o atacante Nani foram convocados pela Panini, mas não chamados pelo treinador Fernando Santos. Sampaoli deixou de lado o goleiro Romero, o zagueiro Funes Mori, o meia Enzo Pérez e o atacante Icardi, todos com figurinha no álbum. Por fim, o goleiro Hart, o lateral Bertrand e os meias Oxlade-Chamberlain e Lallana estão apenas na seleção inglesa do livro ilustrado.

Talvez as duas ausências mais polêmicas, Sané e Nainggolan, que fizeram grande temporada no Manchester City e na Roma, respectivamente, ganharam suas figurinhas da Panini. No entanto, Joachim Löw, da Alemanha, e Roberto Martínez, da Bélgica, não convocaram os dois jogadores. Na seleção alemã, Can (Liverpool) e Götze (Borussia Dortmund) também se tornaram 'erros' da Panini. Na Espanha, ainda, Vitolo e Morata estão no álbum, mas não na Copa.

Com a seleção brasileira, a Panini quase repetiu seu melhor desempenho, obtido em 2014 quando apenas Robinho estava na seleção do álbum e não no Mundial. Giuliano tinha tudo para ser o único erro da publicação em 2018, mas Daniel Alves, com lesão no joelho, se tornou desfalque de Tite e equívoco no livro ilustrado às vésperas da convocação decisiva. Em 2010, foram três erros: André Santos, Ronaldinho e Adriano; em 2006, mais três: Roque Júnior, Renato e Júlio Baptista.

Assim como vitimaram nomes como Beckham, Ballack, Ribéry, Thiago Alcântara, Walcott e Reus em Copas anteriores, as lesões voltaram a ser responsáveis em casos que a Panini não tinha como adivinhar. Além de Dani Alves no Brasil, Danilo, de Portugal, Koscielny, da França, Romero, da Argentina, e Chamberlain, da Inglaterra, se tornaram equívocos após sofrerem lesões no fim da temporada e não conseguirem se recuperar a tempo para a disputa do Mundial.

MAIS INFORMAÇÕES