ABUSO SEXUAL NO FUTEBOL

Clube paraguaio demite dirigente condenado no Brasil por abuso sexual

Após denúncia do EL PAÍS, Club Atlético 3 de Febrero alega que não sabia de condenação imposta pela Justiça brasileira ao gerente de futebol

José Alzir, à direita, em encontro com dirigente da Federação Paraguaia de Futebol.
José Alzir, à direita, em encontro com dirigente da Federação Paraguaia de Futebol.

Mais informações

José Alzir Flor da Silva não é mais gerente de futebol do Club Atlético 3 de Febrero. Na noite desta quinta-feira, o time que disputa a primeira divisão do Paraguai emitiu um comunicado sobre o desligamento do dirigente. Segundo a nota assinada pelo presidente Antonio Aranda, a direção não sabia do processo que José Alzir respondia no Brasil nem da condenação a nove anos de prisão por abuso sexual de três garotos na época em que era coordenador das categorias de base do Grêmio. Ele foi contratado, de acordo com cartolas paraguaios, pela On Line S/A, empresa de gerenciamento esportivo do piloto brasileiro de automobilismo, Odair dos Santos, que administra as categorias de base do clube.

A diretoria do 3 de Febrero informa que a On Line S/A demitiu José Alzir no fim da tarde de quarta-feira, assim que se inteirou da sentença envolvendo o referido dirigente por meio de reportagem do EL PAÍS, ressaltando que, até o momento, o clube não tem conhecimento de denúncias de seus jogadores contra o agora ex-funcionário.

Considerado foragido da Justiça brasileira, José Alzir Flor da Silva foi localizado pela reportagem do EL PAÍS em Ciudad del Este, na fronteira entre Brasil e Paraguai, a serviço do 3 de Febrero. Pela equipe paraguaia, exerceu inicialmente a função de coordenador das categorias de base e, desde o ano passado, ocupava o cargo de gerente de futebol. Em 2010, ele havia sido demitido do Grêmio por justa causa após ser acusado de molestar jogadores com menos de 14 anos. Respondeu ao processo em liberdade e acabou condenado em segunda instância a nove anos de reclusão em regime fechado.

José Alzir cuidava da base do clube.
José Alzir cuidava da base do clube.

De acordo com o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, a 1ª Vara de Execuções Criminais de Porto Alegre expediu um mandado de prisão contra José Alzir em 22 de setembro de 2016. Porém, o órgão judiciário não soube explicar por que a ordem de detenção definitiva ainda está em aberto. A Polícia Civil do Estado não retornou ao pedido de esclarecimento da reportagem.

O dirigente de 55 anos chegou ao Paraguai em 2012, com a missão de continuar revelando jovens talentos para o futebol local. Ao longo de mais de 20 anos a serviço do Grêmio, passaram por seu crivo nomes como os goleiros Cássio e Marcelo Grohe, o zagueiro Léo, que joga no Cruzeiro, o meia Anderson, ex-Manchester United, e Ronaldinho Gaúcho, ídolo no Barcelona.