Polícia Federal cumpre mandados nos gabinetes do deputado Eduardo da Fonte e do senador Ciro Nogueira

Operação apura suposto crime de obstrução de Justiça por parte dos parlamentares

O deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), à esquerda, e o senador Ciro Nogueira (PP-PI)
O deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), à esquerda, e o senador Ciro Nogueira (PP-PI)Montagem (Agência Brasil)
Mais informações

A Polícia Federal cumpre, na manhã desta terça-feira, dia 24, mandados de busca na Câmara dos Deputados e no Senado. Os principais alvos da ação, que foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato, são o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE) e o presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PP-PI). Também há mandados sendo cumpridos na casa dos parlamentares.

A operação, deflagrada em conjunto com a Procuradoria Geral da República (PGR), apura suposto crime de obstrução de Justiça. De acordo com o Ministério Público Federal, a suspeita era de que Ciro Nogueira e Eduardo da Fonte tentavam comprar o silêncio de um ex-assessor que tem colaborado com as investigações. O ex-deputado Márcio Junqueira seria o intermediador dos parlamentares. Ele foi preso na operação desta manhã em Brasília.

Conforme as informações da Procuradoria-Geral da República, o trio ofereceu a esse colaborador da Justiça o pagamento de despesas pessoais e propôs que ele mudasse o teor de depoimento que incriminaria os alvos da operação de hoje. Sem sucesso, passaram a ameaçá-lo. Além de Brasília, as buscas ocorreram em Teresina (PI), Recife (PE) e Boa Vista (RR).

Em nota, a defesa do senador Ciro Nogueira afirma que ele se encontra fora do Brasil, sem especificar em qual país, e diz que ainda não foi possível contatá-lo. O texto, assinado pelo advogado Kakay, diz ainda que a defesa desconhece as razões da determinação judicial do ministro Fachin. "É certo que o senador sempre se colocou à disposição do Poder Judiciário, prestando depoimentos sempre que necessário e, inclusive, já foi alvo de busca e apreensão. Continuará a agir o senador como o principal interessado no esclarecimento dos fatos", completa a nota. Procurada, a assessoria do deputado Eduardo da Fonte ainda não se manifestou.

Entrega de dinheiro

O senador Ciro Nogueira é alvo de um inquérito que investiga supostos repasses de R$ 1,6 milhão da Odebrecht para suas campanhas em 2010 e 2014 ao Senado. Ele foi citado por dois motoristas da Transnacional, empresa investigada pela Lava Jato, que disseram à Polícia Federal ter entregue grandes quantias de dinheiro no apartamento de um assessor do senador, em São Paulo.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: