Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Cinco coisas às quais Meghan Markle renunciará para se casar com o príncipe Harry

Para fazer parte da família real, terá que abandonar sua carreira de atriz, reorientar seu trabalho filantrópico e solicitar a nacionalidade britânica

Meghan Markle e príncipe Harry
Meghan Markle, à frente do príncipe Harry, na última sexta-feira, em seu primeiro ato oficial desde o anúncio do casamento. REUTERS

Meghan Markle e o príncipe Harry, da Inglaterra, anunciaram seu casamento na última segunda- feira após pouco mais de um ano de relação. Um novo capítulo na vida de uma mulher que, até agora, era conhecida como atriz e que passará a fazer parte da família real britânica, geralmente chamada pelos seus próprios membros de The Firm, a Empresa. Logo, seus atos e suas palavras serão analisados com lupa pelas equipes do palácio e por milhares de pessoas do mundo inteiro, o que significa uma mudança drástica em sua vida. Estas serão as coisas que deixará para trás depois de se casar com a quinta pessoa na linha de sucessão do trono britânico.

1. A primeira e mais óbvia consequência é que abandonará sua carreira como atriz. Na primeira entrevista para a televisão, concedida pelo casal à BBC, poucas horas depois do anúncio do casamento, Meghan Markle confirmou que irá deixar sua carreira para focar seus esforços no trabalho humanitário. "Será um novo capítulo", anunciou. Claro que, para sempre, haverá as imagens de sua participação em filmes como Lembranças e Quero Matar Meu Chefe, assim como nas séries Cuts, Love, inc., Castle, CSI: Nova York e, principalmente, Suits, a ficção pela qual ficou famosa.

Meghan Markle, em uma imagem da segunda temporada de 'Suits'. ampliar foto
Meghan Markle, em uma imagem da segunda temporada de 'Suits'.

2. Abandonará sua vida no Canadá e nos Estados Unidos. Até agora, Meghan Markle vivia em Toronto, cidade em que trabalhou nos últimos anos, onde é filmada a série de advogados Suits, e também o local escolhido pelo casal para fazer sua primeira aparição pública, no último mês de setembro. Dividia o seu tempo entre Toronto e suas viagens para Los Angeles (Estados Unidos), onde nasceu. Agora, a ex-atriz precisa de visto para residir no Reino Unido, uma vez que esteja casada com o príncipe Harry, no próximo mês de maio. O secretário de comunicações do palácio de Kensington, Jason Knauf, afirmou ao jornal britânico The Times que Markle "cumprirá todos os requisitos de imigração em todos os momentos" e, por isso, é provável que no próximo ano saia do Reino Unido para pedir o visto familiar ao governo de Londres. "Também posso dizer que ela tem a intenção de solicitar a nacionalidade britânica e seguirá o processo vigente para isso, que dura vários anos", afirmou o porta-voz do palácio, acrescentando que a jovem conservará, entretanto, seu passaporte americano. O The Times informa que, uma vez casada com o príncipe Harry, Meghan precisa esperar três anos antes de pedir residência permanente e, em seguida, poderá solicitar a nacionalidade e eventualmente o passaporte britânico, de acordo com a norma vigente. Para isso, terá que ser aprovada em um exame sobre história e cultura britânicas.

3. Além da família e amigos, Meghan Markle despede-se de um de seus animais mais queridos. Segundo informou o secretário de comunicação do príncipe Harry, Jason Knauk, apesar de Guy ter viajado com ela para o Reino Unido, seu outro cachorro, Bogart, ficará nos Estados Unidos. O labrador que adotou há alguns anos já vive com amigos da ex-atriz porque sua idade e estado de saúde não o permite aguentar quilômetros de viagem.

4. O príncipe Harry e Meghan Markle anunciaram que se casarão no próximo mês de maio, na igreja de São Jorge, no castelo de Windsor. Antes desse dia, a californiana será batizada e crismada para fazer parte da igreja anglicana, que permite que pessoas divorciadas voltem a se casar (como o caso da atriz). Embora tenha estudado em um colégio católico quando era criança, não foi criada dessa maneira, seu pai sendo episcopal, e sua mãe, protestante. A imprensa britânica afirma que este é um gesto à grande fé da rainha Elizabeth, pois não seria necessário para que se casasse.

5. Meghan Markle já tem uma ampla trajetória em projetos humanitários. Viajou a Ruanda para uma campanha de água potável com a organização canadense World Vision, milita na entidade das Nações Unidas para a igualdade e o empoderamento das mulheres e é conselheira da caridade One Young World. No entanto, quando fizer parte da família real britânica, os projetos em que se envolverá passarão a ser decididos pelo palácio de Kensington. Logo, é de se esperar que seja a quarta patrona da fundação dos duques de Cambridge e seu futuro marido, uma organização que se concentra em acabar com o estigma das doenças mentais, na educação de jovens e na prevenção da aids e outras doenças de transmissão sexual. Tudo isso para isso para trocar, aos 36 anos, sua vida de atriz pela de duquesa de Sussex, título que provavelmente receberá depois de se casar com o príncipe Harry e com o qual ostentará uma posição da qual dificilmente poderá voltar a expressar opiniões políticas, o que fez em mais de uma ocasião.

Meghan Markle, em uma de suas viagens humanitárias a Ruanda, em imagem compartilhada em Instagram.
Meghan Markle, em uma de suas viagens humanitárias a Ruanda, em imagem compartilhada em Instagram.

MAIS INFORMAÇÕES