Referendo sobre a Independência da Catalunha

Assange leva a sério piada de site satírico sobre seu apoio ao referendo da Catalunha

Reação dele parece uma brincadeira do site satírico espanhol 'El Mundo Today', mas não é

Montagem própria
Montagem própria

O site satírico espanhol El Mundo Today está fazendo uma cobertura esplêndida do conflito catalão, com notícias (de humor, claro) como “O tenente-coronel Antonio Tejero [autor de uma tentativa de golpe de Estado em 1981] pergunta se pode ajudar em algo” e “Um guarda civil está há duas horas escalando uma torre humana [uma tradição catalã] para deter um membro do Governo”.

O El Mundo Today também está seguindo o conflito no Twitter, onde ironizou o envolvimento de Julian Assange no debate, após ele publicar mensagens de apoio ao referendo separatista marcado para 1º. de outubro. Durante a noite de quarta-feira, o site publicou que o fundador do Wikileaks havia começado “a tuítar palavras aleatórias em catalão para apoiar os manifestantes”. O falso tuíte de Assange incluía um conhecido trava-línguas catalão, supostamente impronunciável para os falantes do castelhano (“Setze jutges d’un jutjat mengen fetge d’un penjat”, ou seja, “dezesseis juízes de um tribunal comem fígado de um enforcado”), e as palavras fuet (um embutido), Barça, collons (colhões) e renoi (caramba).

Assange acreditou no tuíte e respondeu: “Falso. El Mundo, o estúpido. Today, amanhã, sempre”. Apagou sua resposta, mas as capturas de tela vêm sendo compartilhadas desde então. O El Mundo Today também apagou a sua, em que dizia “Què t’empatolles, marrec”, algo como “Que maluquice você está dizendo, menino”.

A resposta de Assange não é outra montagem do El Mundo Today, mas bem poderia ser. Outro tuíteiro lhe avisou de que se trata de um veículo satírico, ao que o australiano respondeu com um: “Entendo a brincadeira. Mas é difícil diferenciar do [jornal espanhol] El Mundo real, que frequentemente é tremendamente estúpido”.

Assange entrou de cabeça no debate sobre o referendo da Catalunha. De cabeça no Twitter, claro, já que desde junho de 2012 vive refugiado na embaixada do Equador em Londres, depois que um tribunal britânico aprovou sua extradição para a Suécia, onde deveria responder por duas acusações de crimes sexuais. A investigação terminou em maio, mas um mandado de prisão continua em vigor no Reino Unido, devido à sua recusa em se apresentar para depor.

Não é o primeiro erro que comete: em 10 de setembro, tuítou que a Catalunha não toleraria o abuso para sempre, “como Pancho Sánchez”. No Twitter, não ficou claro se ele se referia a Pancho Villa ou a Sancho Pança. Ou se estava se confundindo com o líder do Partido Socialista espanhol, Pedro Sánchez. Também naquela ocasião, Assange apagou o seu tuíte.

Também escreveu nessa rede que a Espanha “poderia bloquear toda a Internet”, coisa que na prática seria impossível, e se envolveu em uma áspera polêmica com o escritor Arturo Pérez-Reverte, que o chamou de “perfeito idiota”.

Apesar desses deslizes, muitos partidários do referendo receberam com satisfação seu apoio à consulta e seu rechaço à reação do Governo de Rajoy.

Espanha perdeu a Catalunha esta noite.

Arquivado Em: