Atropelamento em Barcelona

Atropelamento em Barcelona: atentado terrorista deixa vários mortos e feridos

Incidente aconteceu no calçadão La Rambla, uma famosa área turística da capital Catalã

Pedestres deixam região do atentado
Pedestres deixam região do atentadoJOSEP LAGO (AFP)

MAIS INFORMAÇÕES

Uma van atropelou várias pessoas em calçadão turístico de Barcelona, conhecido como La Rambla, na tarde desta quinta-feira. Segundo vários depoimentos, confirmados pela Polícia Catalã, um motorista subiu pela via, fechada apenas para pedestre, atropelando as pessoas que estavam no local. Ao menos 13 pessoas morreram e mais de 80 ficaram feridas, segundo confirmaram as autoridades, mas as informações ainda estão sendo atualizadas conforme novas notícias surgem sobre o caso. As autoridades tratam atropelamento como um atentado terrorista e a agência de notícias utilizada pelo grupo AMAQ, ligado ao Estado Islâmico, assumiu a autoria. Acompanhe as últimas notícias, em tempo real, sobre o atentado em Barcelona aqui.

O Governo da Catalunha (chamado de Generalitat) determinou o fechamento dos transportes públicos no centro de Barcelona. Ao menos uma dezena de equipes do Serviço de Emergência foi deslocado para a famosa via turística, e neste momento, atendem aos feridos. A via está agora isolada e todos os estabelecimentos comerciais que contornam o local foram esvaziados.

Fontes policiais afirmaram que o motorista da van abandonou o veículo a pé após o atropelamento. Eles acreditam que o autor (ou autores) do ataque se entrincheiraram no bairro do Raval de Barcelona, que termina na Rambla.

O calçadão foi isolado, bem como suas principais ruas adjacentes: Pelai, Ronda Universitat e Plaza de Catalunya. La Rambla, uma das artérias mais movimentadas da capital Catalã, está fechada em cerca de 300 metros de seu trecho de cerca de 1,2 quilômetros de comprimento. A Polícia Local está alertando as pessoas a deixar a área.

Além dos estabelecimentos comerciais e restaurantes, também foram fechados metrô, ônibus e  ferrovias. Durante o incidente, houve episódios de pânico e correria dos pedestres.

A polícia militar da Catalunha, Los Mossos d'Esquadra, abriu uma operação especial antiterrorista para tentar prender o agressor.

Arquivado Em: