Venezuela

Oposicionista Antonio Ledezma é devolvido à prisão domiciliar na Venezuela

Esposa do prefeito informou pelo Twitter que ele voltou à residência da família

Antonio Ledezma, prefeito de Caracas, numa manifestação em 2014.
Antonio Ledezma, prefeito de Caracas, numa manifestação em 2014.

Antonio Ledezma, prefeito metropolitano de Caracas e um dos principais líderes da oposição venezuelana, foi solto e retornou à sua residência para continuar sob prisão domiciliar, informou sua esposa, Mitzi Capriles, no perfil de Ledezma no Twitter. “Antonio disse ao entrar no apartamento que retorna com a angústia de que Leopoldo e mais de 600 presos políticos permanecem atrás das grades”, acrescentou ela, em referência ao também oposicionista Leopoldo López, que, assim como Ledezma, foi levado preso pelo Sebin (serviço de inteligência do Governo chavista) na madrugada de terça-feira. “Agradecemos ao povo da Venezuela e à comunidade internacional por sua preocupação e grande solidariedade e aos seus leais vizinhos”, acrescentou ela.

Mais informações

Ledezma e López, que até o começo da semana estavam sob prisão domiciliar, voltaram a ser encarcerados na terça-feira porque, segundo o Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela, estavam planejando fugir. “Foi recebida por fontes oficiais de inteligência a informação sobre um plano de fuga de ditos cidadãos, razão pela qual, e dada a urgência do caso, foram ativados os procedimentos de proteção correspondentes”, anunciou o tribunal em nota citada pela agência de notícias EFE. A decisão do tribunal, alinhado com o Governo de Nicolás Maduro, provocou uma forte rejeição internacional.

Suas prisões ocorreram apenas 24 horas depois da eleição de uma Assembleia Nacional Constituinte convocada por Maduro e amplamente rejeitada pelas forças da oposição, que não apresentaram candidatos.