Seleccione Edição
Login

15 Famosos que confessaram ser viciados em sexo

Hugh Jackman, Lindsay Lohan, Britney Spears ... Assim divulgaram seu problema e tentaram superar

  • vício em sexo
    1Hugh Grant Diagnóstico. Hugh Grant (Londres, 1960) estava chegando ao auge em 1995, graças a sucessos como Quatro Casamentos e um Funeral e Razão e Sensibilidade, nos quais interpretava o amável galã de olhos azuis. Em sua vida privada, estava há oito anos com a atriz e “top model” Liz Hurley. Por isso, foi uma surpresa ao ser preso fazendo sexo oral em seu carro com uma prostituta. Além da raiva monumental de sua namorada, este evento causou um escândalo mundial que afetou sua carreira e o obrigou a confessar seu vício em sexo. Tratamento. Depois de se desculpar publicamente em um programa de televisão, Grant foi perdoado por sua namorada com a condição de que fizesse um teste de HIV. Assim, pouco a pouco, o ator recuperou seu prestígio. Mas ele logo voltou aos seus antigos hábitos. Mudou de namorada (estava com Jemima Khan) e foi surpreendido novamente alternando com prostitutas. É como disse Divine Brown, a ex-prostituta com quem ele foi pego em 95: “Hugh não pode controlar seus impulsos, por isso nunca será fiel”. Getty
  • vício em sexo
    2Britney Spears Diagnóstico. Se acreditarmos na indiscreta biografia publicada por seu ex-guarda-costas, Britney Spears (Mississippi, 1981) tinha “um enorme apetite sexual” e nas turnês se enchia de álcool e drogas para mergulhar em banheiras de hidromassagem e camas redondas onde fazia de tudo: “Sexo com mulheres, trios, orgias...”. O ex-funcionário garante que a estrela chegou a assediá-lo sexualmente, e ela mesma admite no documentário I Am Britney Jean seus excessos amorosos. Seu ex-namorado Kevin Federline confirmou esta tese. Tratamento. No início de janeiro de 2007, Britney anunciou com grande alarde que tinha tomado uma decisão drástica para moderar seu apetite: nada de sexo por seis meses. Mas menos de um mês depois já tinha quebrado a promessa. Atualmente, a cantora ainda está lutando com seu vício que, segundo ela, está associada a uma desordem bipolar com picos de euforia que a empurram à ninfomania. Para evitar tentações, proibiu os dançarinos de sua turnê de fazerem sexo e beberem álcool. Getty
  • vício em sexo
    3David Duchovny Diagnóstico. O ator ganhou fama interpretando o fleumático Agente do FBI de Arquivo X, mas sua personalidade está mais perto de seu outro papel mais conhecido: o do escritor de Californication, que suaviza sua frustração com sexo. A diferença é que Duchovny (Nova York, 1960) prefere o sexo virtual ao real: segundo disse, sempre foi fiel à sua esposa, mas não pode controlar o impulso de navegar por sites pornográficos. Tratamento. “Acabo de entrar voluntariamente em uma clínica para tratar meu vício em sexo. Peço respeito pela minha esposa e meus filhos enquanto enfrentamos o problema como uma família”. Foram as palavras de Duchovny em agosto de 2008. Embora, segundo sua própria confissão, tenha se curado de seu transtorno, já era tarde demais, e não conseguiu salvar seu casamento. Getty
  • vício em sexo
    4Ozzy Osbourne Diagnóstico. Casado com sua esposa, Sharon, desde 1982, parecia que o cantor do Black Sabbath tinha um dos relacionamentos mais sólidos do mundo do rock. Mas as aparências enganam. Ozzy Osbourne (Birmingham, Reino Unido, 1948) não só foi infiel a sua mulher com inúmeras outras, como também manteve uma relação paralela de quatro anos (segundo ele, “puramente sexual”) com sua cabeleireira, 30 anos mais jovem. Quando foi descoberto, Sharon o abandonou. Tratamento. Em agosto de 2016, Ozzy admitiu: “Estou há seis anos tratando minha dependência do sexo, e torná-la pública serve para que eu leve a terapia a sério”. Essas declarações serviram para que sua mulher voltasse para ele. “Não imagino a vida sem ele, apesar de ele ser um cachorro. Mas ele vai pagar pelo que me fez”, disse Sharon, de maneira prática. Atualmente, Ozzy continua com a terapia e pediu perdão tanto a sua esposa como a todas as mulheres com quem esteve apenas para satisfazer sua luxúria. Getty
  • vício em sexo
    5Lindsay Lohan Diagnóstico. A vida de Lindsay Lohan (Nova York, 1986) sempre caminhou de mãos dadas com os excessos. A atriz gosta de viver intensamente. Em relação ao sexo, um ex-namorado, Riley Giles, revelou em uma entrevista: “Definitivamente, Lindsay é ninfomaníaca. É uma selvagem na cama. Fazíamos sexo várias vezes ao dia, e à noite queria mais. Era insaciável. E com todos os caras acontecia o mesmo”. Tratamento. Lindsay lutou contra a sua dependência de drogas se internando em centros de desintoxicação. No entanto, parece que a falta de drogas aumentava ainda mais sua hiper sexualidade. Segundo fontes de um centro de reabilitação no Utah, a atriz não parava de paquerar outros pacientes e “tinha frequentes sonhos eróticos com antigos namorados, como Calum Best, Wilmer Valderrama e Jared Leto”. Seus psicólogos a puseram em tratamento para que ela entendesse que estava substituindo um vício pelo outro. Ao sair do centro, teve envolvimentos com várias mulheres, apesar de ter esclarecido que não é lésbica nem bissexual, apenas uma hétero em busca de novas experiências. Os últimos rumores garantem que ela se converteu ao islamismo. Será uma nova terapia para sair de seu vicioso círculo? Getty
  • vício em sexo
    6Michael Douglas Diagnóstico. “Sim, sou viciado em sexo”. Michael Douglas (Nova Jersey, 1944) foi um dos primeiros que se declarou dependente de sexo. Não representou nenhum trauma, já que a especialidade de Douglas eram precisamente os ‘thrillers’ de alta voltagem erótica, como Atração Fatal e Instinto Selvagem, onde seus personagens eram dominados por obscuros objetos do desejo. Já em 2000, sua esposa, Diandra Luker, se separou dele por causa de suas constantes infidelidades. E aí Douglas desmoronou. Dizem que seu apetite sexual era tão intenso que precisava desafogar durante as filmagens, nos descansos entre as cenas. Tratamento. Douglas foi internado em várias ocasiões em clínicas especializadas para lugar contra seu transtorno. Até que em 2013 chocou o mundo ao revelar que sofria de câncer de garganta e que a culpa era sua “adoração por praticar o sexo oral”. Segundo hipóteses médicas, o detonador de sua doença pode ser o HPV, o papilomavírus humano, que em muitas ocasiões está associado à prática do sexo oral. Felizmente, atualmente o ator está curado, tanto do câncer quanto da dependência de sexo. Getty
  • vício em sexo
    7Rob Lowe Diagnóstico. Nos anos oitenta Rob Lowe (Virginia, 1964) foi, junto com Tom Cruise e Michael J. Fox, um dos atores juvenis da moda. Decorava os cadernos das adolescentes de meio mundo. Mas em 1988 chegou à imprensa um vídeo em que aparecia fazendo um ‘ménage’ com duas garotas, uma delas de apenas 16 anos. Apesar disso, o ator não foi indicado, já que no Estado da Geórgia, a idade mínima de consentimento é 16 anos. Mas sua carreira despencou desde então. Hollywood não o perdoou. Ele confessou seu vício em sexo, e se refugiou no álcool, nas drogas e nos braços de amantes famosas, como a princesa Stephanie, de Mônaco. Tratamento. Quando o vídeo veio à tona, Lowe se internou voluntariamente em uma clínica para superar seu distúrbio sexual. Em 1991, em uma tentativa de sair de suas misérias, se casou com a maquiadora Sheryl Berkoff, com quem teve dois filhos. O ator declarou: “Estou tentando dar a primeira chance à monogamia, já que antes não era minha natureza e não fui capaz de conseguir”. Mas em 2008, voltou a ter problemas quando a babá da família o denunciou por “colocar sua mão dentro de sua calça”. A história se repetiu com outra babá, que o acusou de “conduta sexualmente ofensiva e hostil”. Atualmente, Lowe, de 53 anos, continua com a mãe de seus filhos e garante: “Já não faço as loucuras que fazia quando jovem, por isso tento praticar atividades que extravasem o meu lado selvagem, como esquiar e surfar”. Getty
  •  Diagnóstico.  Não temos notícia da frequência com a qual o inesquecível ator da série  Kung Fu  e do filme  Kill Bill  praticava sexo, mas sabemos que não era algo convencional. Marina Anderson, a quarta de suas cinco esposas, afirma que se divorciou de Carradine (Hollywood, 1936-Bancoc, 2009) por “seu comportamento sexual anormal, que era potencialmente letal, e levou a dificuldades em nossas relações”. Também a dona de uma ‘sex shop’ de Los Angeles comentou que o ator era um de seus clientes mais assíduos.rn Tratamento.  Longe de lutar contra seu vício, Carradine o levou ao limite e acabou morrendo em um acidente sexual: seu cadáver foi encontrado em um luxuoso hotel de Bangcoc, com as mãos atadas sobre a cabeça e pendurado numa barra de um armário: uma corda lhe apertava o pescoço e outra puxava seus genitais. Não era um suicídio nem um assassinato, mas o resultado de uma técnica sexual chamada “asfixia erótica”, que consiste em conter a respiração para multiplicar o prazer, e que ocasiona anualmente a morte de 250 a 1.000 homens somente nos Estados Unidos.
    8David Carradine Diagnóstico. Não temos notícia da frequência com a qual o inesquecível ator da série Kung Fu e do filme Kill Bill praticava sexo, mas sabemos que não era algo convencional. Marina Anderson, a quarta de suas cinco esposas, afirma que se divorciou de Carradine (Hollywood, 1936-Bancoc, 2009) por “seu comportamento sexual anormal, que era potencialmente letal, e levou a dificuldades em nossas relações”. Também a dona de uma ‘sex shop’ de Los Angeles comentou que o ator era um de seus clientes mais assíduos. Tratamento. Longe de lutar contra seu vício, Carradine o levou ao limite e acabou morrendo em um acidente sexual: seu cadáver foi encontrado em um luxuoso hotel de Bangcoc, com as mãos atadas sobre a cabeça e pendurado numa barra de um armário: uma corda lhe apertava o pescoço e outra puxava seus genitais. Não era um suicídio nem um assassinato, mas o resultado de uma técnica sexual chamada “asfixia erótica”, que consiste em conter a respiração para multiplicar o prazer, e que ocasiona anualmente a morte de 250 a 1.000 homens somente nos Estados Unidos. Getty
  • vício em sexo
    9Hugh Jackman Diagnóstico. O ator australiano Hugh Jackman (Sydney, 1968) sempre tenta assombrar seu público com declarações em que se vangloria de sua virilidade e potência. Mas talvez tenha exagerado quando revelou ser capaz de aguentar seis horas fazendo amor sem parar graças ao sexo tântrico, coisa que lhe teria provocado vício em sexo. Tratamento. Renunciou às clínicas e optou por se concentrar em sua mulher e fazer uma espécie de ‘terapia de alcova’. Ele e a mulher, a atriz e produtora Deborra-Lee Furness, estão casados desde 1996. E parecem felizes... Getty
  • vício em sexo
    10Tiger Woods Diagnóstico. Depois de contínuas infidelidades à sua mulher, Tiger Woods (Califórnia, 1975), que em 2009 ainda era considerado ‘o melhor golfista do mundo’, saiu na mídia declarando: “Sou viciado em sexo. Estou profundamente entristecido por minha responsabilidade e meu comportamento egoísta”. Ainda assim, sua esposa o abandonou. E com a nova namorada aconteceu o mesmo: ela o deixou, farta de suas escapadas sexuais com prostitutas de luxo. Tratamento. Os escândalos representaram um momento de baixa na carreira de Tiger. Muitos patrocinadores retiraram seu apoio e ele teve de aguentar que marcas de apetrechos eróticos lançassem preservativos com seu nome. Aparentemente arrependido, o esportista ingressou em uma clínica de Mississippi em 2010, onde era terminantemente proibido manter relações sexuais, bem como fazer uso de qualquer tecnologia. Mas abandonou o local muito antes do término da terapia... Getty
  • vício em sexo
    11Charlie Sheen Diagnóstico. Se há alguém que mereça estar por direito próprio nesta lista é o ator Charlie Sheen (Nova York, 1965). Paladino do excesso e da vida louca, o filho rebelde de Martin Sheen se tornou rico e famoso graças à série Two and a Half Men. Mas dilapidou seu talento e fortuna em intermináveis noites de sexo e drogas. Em sua época mais selvagem chegou a gastar 100.000 dólares (330.000 reais) em uma só noite. Tratamento. Embora se tenha internado em várias clínicas, Sheen chegou a esta conclusão: “Não acredito na desintoxicação, não foi feita para mim, não me serve para nada”. Assim, continuou com suas festas, que fizeram com que acabasse contraindo o vírus da aids. Mas nem assim: confessou ter gastado um milhão e meio de dólares (cerca de 5 milhões de reais) com prostitutas ao longo de 2013, apesar de saber havia meses que era portador do HIV e poderia transmiti-lo a outras pessoas. Agora diz que pretende deixar os vícios e concentrar-se nos filhos. Está nessa... Getty
  • vício em sexo
    12Mel B (Spice Girls) Diagnóstico. Mel B (Leeds, Reino Unido, 1975), integrante das Spice Girls, sempre teve uma vida sexual de excessos. E não ocultava isso. Em muitas ocasiões comentou que “nunca ficava satisfeita”. Christa, uma de suas amantes, afirmou: “Mel é muito pegajosa, muito promíscua e muito desenfreada na cama. Acho que a razão disso é que anseia por uma relação íntima que não consegue, Nunca obtém o suficiente e daí nasce seu vício em sexo”. Tratamento. A cantora não tentou em nenhum momento controlar seus hábitos nem fazer terapia. Quando em uma entrevista lhe perguntaram sobre sua trepidante vida sexual, ela respondeu, irada: “Há pessoas que me chamam de lésbica, bissexual, heterossexual..., mas somente eu sei quem entra em minha cama. Isso é tudo. Tenho uma libido muito forte e preciso de uma vida sexual muito variada”. Getty
  • vício em sexo
    13Dennis Rodman Diagnóstico. Foi um dos melhores jogadores da NBA e também um dos mais mulherengos. Segundo ele mesmo contou, ao longo de seus 55 anos de existência manteve relações sexuais com mais de 2.000 garotas (500 das quais eram prostitutas) e pelo menos duas delas eram famosas: Madonna e Carmen Electra. Dennis Rodman (Nova Jersey, 1961) estava tão ligado em sexo que em certa ocasião telefonou para um programa de rádio, em que seria entrevistado, enquanto se encontrava “em plena atividade com uma garota”, de acordo com suas próprias palavras. Tratamento. Complicado. Rodman é uma bala perdida e sempre se orgulhou de que o sexo ocupa 50% de seu tempo (a outra metade é para o dinheiro), mas jamais reconheceu seu vício. Seu estilo de vida é indômito como o de uma estrela de rock e seus encontros sexuais são tão selvagens que quebrou o pênis em três ocasiões. Getty
  • vício em sexo
    14Robert Downey Jr. Diagnóstico. Durante os anos 90, o protagonista de Homem de Ferro (Nova York, 1965) foi um dos atores mais perseguidos pelos paparazzi por causa de suas malucas peripécias em Los Angeles, repletas de sexo e drogas. Há pouco tempo revelou: “Durante muitos anos estive obcecado por sexo e por meu pênis. Não tenho por que esconder isso”. Nesse tempo também era um homem muito promíscuo. “Não fui nem serei o único. Muitos homens têm fixação em sexo”, acrescentou. Tratamento. Nunca fez. Na verdade, Downey Jr. encarava sua hiper sexualidade quase como uma cura, pois evitava que caísse em vícios muito menos saudáveis, como o álcool e as drogas: “Foi a melhor coisa que pude fazer, ficar ligado em sexo. Lembro desses dias com muita nostalgia”. Dias de vinho e rosas que hoje ficaram para trás, pois graças ao amor superou seu vício: “O sexo já não é um fator que me motive. Agora sou um homem casado e meu casamento é sagrado para mim. Os homens sempre querem sexo, mesmo que tenham namorada. Mas eu não sou mais assim”. Getty
  • vício em sexo
    15Kim Cattrall Diagnóstico. A atriz britânica Kim Cattrall (Liverpool, 1956), popular por seu papel de Samantha na série Sexy in the City, confessou ser multiorgásmica e viciada em sexo. Não à toa, muito antes de rodar a série de sucesso, saiu de sua garganta um dos orgasmos mais escandalosos da história do cinema: o que se escuta por megafone no filme Porky’s. Tratamento. Como terapia sexual, Cattrall chegou a escrever um livro intitulado Satisfação, a Arte do Orgasmo Feminino. Escreveu-o a quatro mãos com o ex-marido, Mark Levinson, com quem rompeu, segundo rumores, por se negar a continuar explorando sua imagem de mulher multiorgásmica em um documentário dirigido por ele. Getty