VINICIUS JR

Vinicius Junior, o garoto do Flamengo que encantou o Real Madrid

Clube espanhol anuncia contratação e vai desembolsar 165 milhões de reais pelo atacante de 16 anos

Vinícius Jr. só deve ir para Madri em 2019.
Vinícius Jr. só deve ir para Madri em 2019.Gilvan de Souza (Diviulgação)

Ao fim do Sul-americano disputado em março, no Chile, o atacante de 16 anos mostrou que seu talento vai além de dribles e chapéus. Terminou como artilheiro e melhor jogador da competição, em que o Brasil sagrou-se campeão com uma goleada de 5 x 0 sobre os donos da casa. O desempenho chamou a atenção de clubes europeus e, antes mesmo de estrear no time principal do Flamengo, Vinicius Junior já estava negociado com o Real Madrid por 45 milhões de euros (165 milhões de reais). Pelo acordo, anunciado oficialmente nesta terça-feira, o atacante só pode iniciar os trabalhos em Valdebebas a partir do segundo semestre do ano que vem, já que o regulamento da Fifa impede a transferência internacional de jogadores com menos de 18 anos. A princípio, ele deve ficar na equipe carioca até julho de 2019. O negócio é semelhante ao de Philippe Coutinho, que também foi vendido aos 16 anos pelo Vasco, rival do Flamengo, à Internazionale de Milão, mas deixou o Brasil ao completar 18 anos. Há uma diferença gritante, porém, nos valores de cada venda. Coutinho custou “somente” 3,8 milhões de euros.

MAIS INFORMAÇÕES

Para concretizar a operação, o Flamengo renovou o contrato com o atacante por mais cinco anos e promoveu sua estreia na equipe principal há menos de duas semanas, na abertura do Campeonato Brasileiro. A negociação desperta duas questões. O que leva um clube a desembolsar tamanha fortuna por um jogador que disputou menos de 25 minutos em duas partidas oficiais como profissional? Vinicius Junior é um craque ou apenas mais uma promessa hipervalorizada do Flamengo? Para o técnico Gilmar Popoca, que comandou o atacante nas categorias de base rubro-negras desde os 12 anos, ele tem, de fato, um talento raro. Mas ainda precisa ser lapidado, como qualquer garoto da mesma idade. “Vinicius é um menino com muito potencial. Demonstra tranquilidade dentro e fora de campo e consegue assimilar bem as orientações táticas. Mas tem que ter cuidado para que as expectativas não se transformem em um peso em suas costas. O jogo dele é de drible e velocidade. Ao subir de categoria, ele vai ter de simplificar cada vez mais as jogadas. E isso só se aprende com o tempo”, afirma o ex-treinador do garoto.

Vinicius Jr. exibe seus troféus no Sul-americano sub-20.
Vinicius Jr. exibe seus troféus no Sul-americano sub-20.

Já a resposta à primeira pergunta tem relação com Neymar e sua transferência para o Barcelona. Em 2006, com 14 anos recém-completados, o craque visitou o centro de treinamentos de Valdebebas, bateu bola com Ronaldo e Roberto Carlos e viu dois jogos do Real Madrid no Santiago Bernabéu. No entanto, em meio à troca de gestão, o clube merengue optou por não investir quase meio milhão de euros em um jogador tão jovem, que sete anos depois seria vendido ao maior rival por quase 90 milhões de euros. Dessa vez, o Real se mostrou decidido a não correr o risco de perder mais um craque potencial. Além do alto investimento, a diretoria de Florentino Pérez, que havia conduzido as primeiras conversas por Neymar, contratou um seguro para evitar prejuízos caso o atacante se lesione antes da mudança para a Espanha. Wagner Ribeiro, empresário que levou Neymar para Valdebebas em 2006, intermediou os contatos entre a diretoria madridista e o staff de Vinicius Junior, que tem 10% de seus direitos econômicos vinculados à Traffic Sports. Ribeiro também foi o responsável por levar ao Real o atacante Robinho, que hoje é uma referência para o jovem do Flamengo.

A segunda transferência mais cara do Brasil

1. Neymar (Santos/Barcelona, 2013) - 88,4 milhões de euros (323 milhões de reais)

2. Vinícius Jr. (Flamengo/Real Madrid, 2017) - 45 milhões de euros (165 milhões de reais)

3. Lucas (São Paulo/Paris Saint-Germain, 2013) - 40 milhões de euros (147 milhões de reais)

4. Gabriel Jesus (Palmeiras/Manchester City, 2016) - 32 milhões de euros (118 milhões de reais)

5. Oscar (Internacional/Chelsea, 2012) - 32 milhões de euros (118 milhões de reais)

Embora mantenha amizade com Neymar pelas redes sociais, Vinicius tem como ídolo outro jogador revelado pelo Santos, que defendeu o Real Madrid de 2005 a 2008. Em sua estreia oficial pelo Flamengo, Robinho estava em campo pela equipe adversária, o Atlético Mineiro. No fim da partida, o garoto recebeu de presente a camisa do ídolo e saiu de campo duplamente realizado. Embora apressada pela negociação nos bastidores, sua primeira partida profissional aconteceu mais cedo que as de Robinho e Neymar, que só debutaram pelo Santos aos 17 anos. O estilo de jogo também é semelhante ao deles. Vinicius se sente mais à vontade atuando pelas pontas, preferencialmente no lado esquerdo do ataque, e não raro recorre à habilidade para superar seus marcadores – antes de subir ao profissional, já foi repreendido no Flamengo por abusar dos dribles em algumas partidas. “É preciso deixar claro que o Vinícius ainda é uma promessa, não um jogador consagrado como Neymar”, afirma Carlos Amadeu, técnico da seleção brasileira sub-17.

Todavia, a torcida do Flamengo trata Vinicius Junior como uma realidade e com status de ídolo. Quando está no banco de reservas, ele é o nome mais pedido pelos torcedores rubro-negros nas arquibancadas. Zé Ricardo, técnico do time principal, dizia, no começo do ano, que era contrário à ideia de “queimar etapas” ao promover o atacante de maneira precoce. Não teve alternativa após a investida do Real e sua consequente renovação de contrato. Dirigentes do clube justificam que apenas aceleraram um processo natural. Antes de ir para Madri, Vinicius terá tempo para justificar a idolatria em um clube que, desde o surgimento de Adriano Imperador, há quase duas décadas, não faz um craque de renome em casa.

Empolgaram, mas não vingaram

Flamengo acumula promessas frustradas na base

Maycon Santana. Surgiu como fenômeno da internet em 2007, aos 14 anos, e foi contratado após um vídeo em que aparece fazendo malabarismos com a bola viralizar no Youtube. Acabou dispensado em 2011.

Adryan. Meia habilidoso, chegou a ser chamado de "novo Zico" na Gávea, mas nunca deslanchou no time principal. Passou por Cagliari, Leeds e Nantes e voltou ao Flamengo no início deste ano. Porém, não fez nenhuma partida oficial.

Mattheus Oliveira. Filho de Bebeto, ex-jogador rubro-negro e da seleção brasileira, foi revelado na mesma geração de Adryan. Com poucas chances no profissional, acabou indo para o Estoril, de Portugal, e acaba de fechar contrato com o Sporting.

Diego Maurício. Comparado ao marfinense Drogba, disputou o Sul-americano sub-20 pela seleção ao lado de Neymar, Lucas e Casemiro, mas não alcançou o mesmo sucesso dos colegas. Atualmente joga no Gangwon, da Coreia do Sul.

Arquivado Em: