Acidente aéreo Chapecoense

O que se sabe até agora sobre o avião da Chapecoense

Avião saiu de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, rumo à Colômbia para a final da Copa Sul-Americana

Equipe de resgate atende atende o jornalista Rafael Henze. LUIS EDUARDO NORIEGA A. (EFE) | EPV

A avião do acidente

O avião do acidente é um Avro Regional Jet 85,  da companhia Lamia, venezuelana de origem que opera na Bolívia, que transportava a delegação da Chapecoense que se dirigia a Medellín, na Colômbia, para disputar nesta quarta-feira a primeira partida da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional. A companhia frequentemente transporta equipes de futebol.

Quem eram os passageiros e tripulantes

Havia 77 pessoas a bordo, sendo 72 passageiros e 9 tripulantes: 45 eram da delegação da Chapecoense, que disputariam a final da Copa Sul-Americana, 20 eram jornalistas e três, convidados. Segundo informações oficiais da Aeronáutica colombiana, ao menos seis pessoas foram resgatadas com vida até o momento, de acordo com as autoridades da Aeronáutica colombianas. Ao todo, 71 pessoas morreram.

Onde foi a tragédia

O acidente aconteceu nas imediações de uma montanha chamada El Gordo, na jurisdição do município de La Unión, no departamento de Antioquia (noroeste da Colômbia). O local é próximo do aeroporto José María Córdova de Medellín, situado no município vizinho de Rionegro.

O percurso do time

A equipe da Chapecoense saiu do Brasil pelo aeroporto de Guarulhos às 15h15 em um voo comum da Boliviana de Aviación rumo a Santa Cruz de La Sierra. De lá, embarcou no voo da Lamia para Medellín. A ideia inicial era que a equipe embarcaria direto no voo da Lamia de Guarulhos para a Colômbia, mas a operação não foi permitida pela Anac, a agência responsável brasileira, porque "o acordo com a Bolívia, país originário da companhia aérea, não prevê operações como a solicitada", informou por nota a ANAC.

As causas do acidente estão sendo investigadas

De acordo com a conta de Twitter ligada ao aeroporto de Medellín, a tripulação do Avro Regional Jet 85 se comunicou com a torre por volta das 22h (horário da Colômbia) reportando falhas elétricas. Um áudio relevado nesta quarta-feira mostra que o piloto também mencionou que estava sem combustível. No caminho do voo, foi reportado mau tempo. Colômbia já localizou as duas caixas-pretas do local e as está analisando.

Autonomia do avião

Outros aspectos estão sendo levantados por especialistas da área. Segundo a consultoria alemã para dados de acidentes aéreos JACDEC, a distância entre os aeroportos de Santa Cruz de la Sierra e Olaya Herrera, em Medellín, é de 2.975 quilômetros, e até o aeroporto internacional de Medellín é de 2.965 quilômetros. O alcance oficial máximo de uma aeronave Avro RJ85, como a da Lamia, é de 2.965 quilômetros, ou seja, bastante justo para essa viagem. Para distâncias maiores, a aeronave precisaria necessariamente reabastecer.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete