Donald Trump nega ter assediado várias mulheres que define como “horríveis”

Candidato pergunta por que não há mais mulheres que apareçam dizendo o mesmo do presidente Obama

O candidato republicano em Greensboro, Carolina do Norte.
O candidato republicano em Greensboro, Carolina do Norte.SARA D. DAVIS (AFP)
Mais informações

Qual é a melhor defesa quando um candidato é acusado de ter agredido sexualmente uma mulher? Se o acusado é Donald Trump, a resposta é que a reclamante “nunca seria sua primeira opção”.

Durante um comício realizado na sexta-feira em Greensboro (Carolina do Norte), o magnata qualificou as alegações de numerosas mulheres que nos últimos dias contaram os episódios em que as agrediu como “uma ficção total”

 O aspirante republicano chamou Jessica Leeds, que o acusa de ter-lhe tocado os seios durante um voo nos anos 80, de “essa mulher horrível”. “Acreditem, ela não seria minha primeira opção”, afirmou o candidato.

Falando de Natasha Stoynoff, a repórter da revista People que diz ter sido agredida antes de entrevistar Trump em Nova York, o empresário pediu a seus seguidores que checassem o perfil de Stoynoff no Facebook..

“Vocês entenderão”, disse ele. “Olhem. Olhem para ela. Vejam suas palavras e me digam o que pensam. Acho que não”, declarou durante outro comício.

E prosseguindo com o ataque como estratégia de defesa, Trump decidiu mencionar também o presidente Obama. “Por que não há mulheres que apareçam e digam as mesmas falsidades que dizem sobre mim, mas sobre ele? Poderiam dizer isso de qualquer um”, afirmou o republicano na sexta-feira. “Vou lhes dizer uma coisa. Ele que tenha cuidado porque podem dizer isso de qualquer um. De qualquer um.”

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: