A trajetória do furacão

Estados Unidos começam a retirar moradores antes da chegada do furacão Matthew

Mais de dois milhões de pessoas vivem em regiões que podem ser afetadas a partir do dia 6 de outubro

Moradores da costa leste da Flórida se preparam para a chegada do furacão Matthew. B. Weaver / AFP (atlas)

Regiões costeiras dos Estados da Flórida, Geórgia e Carolina do Norte e do Sul, nos Estados Unidos, começaram a retirar moradores das áreas que podem ser afetadas pela chegada do poderoso furacão Matthew, que se espera se aproxime da costa leste da Flórida na tarde de quinta-feira, dia 6 de outubro. Seus efeitos, porém, podem começar a ser sentidos horas antes. Evacuações obrigatórias em alguns condados, no momento voluntárias em outros, já afetam 1,5 milhões de pessoas que residem na região. Em sua passagem pelo Caribe, o Matthew já causou a morte de pelo menos 26 pessoas e provocou a maior crise humanitária no Haiti desde o terremoto de 2010, segundo informou a Organização das Nações Unidas (ONU).

Segundo o Centro Nacional de Furacões (CNH, em sua sigla em inglês) de Miami, acredita-se que o Matthew avançará “muito perto da costa leste da península da Flórida” a partir de quinta-feira e até a noite de sexta, dia 7 de outubro. No fim do dia 5, quarta-feira, o CNH prognosticou que nas 24 a 36 horas seguintes ele se “reforçaria”, e por isso prevê-se que em sua chegada à Flórida o furacão alcance de novo a categoria 4 de um máximo de 5 na escala Saffir-Simpson, ou seja, com ventos entre 210 e 249 quilômetros por hora.

Mais de dois milhões de pessoas que vivem em regiões que podem ser atingidas por um furacão que já causou estragos no Haiti, Cuba e, na quarta-feira, dia 5, nas Bahamas, terão de ser evacuadas. O presidente Barack Obama instou a população que pode ser afetada a não desconsiderar a ameaça, que é “séria”, e que dê ouvidos às ordens de evacuação das autoridades locais. As notificações já começaram.

Mais informações

Na Flórida, que está sob alerta de furacão e tormenta tropical, o governador, Rick Scott, determinou que sejam iniciados os preparativos para evacuar regiões da costa leste do Estado onde residem 1,5 milhões de pessoas.

“Temos de estar preparados para ser alcançados por um furacão catastrófico”, advertiu na entrevista coletiva. O Matthew, destacou, poderia provocar “uma destruição em massa como não ocorre em anos”.

Em alguns condados da Flórida, como os de Palm Beach ou Breavard, tiveram início as evacuações obrigatórias, enquanto em outros continua sendo uma opção voluntária, apesar de haver a possibilidade de se impor a saída à força dos moradores nas próximas horas. Só em Palm Beach mais de 150.000 pessoas receberam nas últimas horas uma ordem de evacuação obrigatória, informa a agência Efe.

Um total de 12 condados está em zona de evacuação, incluído Miami-Dade, onde ainda só está vigente a evacuação voluntária para pessoas que moram em residências frágeis como trailers e similares. Scott ativou também 2.500 membros da Guarda Nacional para que ajudem nos preparativos e na reação diante da chegada do Matthew, que também provocou o fechamento de muitas escolas na quinta-feira, dia 6.

O furacão Matthew avançava pelas Bahamas no dia anterior, com ventos máximos de 185 quilômetros por hora, o que faz dele um furacão de categoria 3. No entanto, segundo o CNH, a projeção é a de que torne a se intensificar “com o avanço da noite e na quinta-feira”, quando começará a se aproximar da costa norte-americana.

Em uma declaração, também a governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley, determinou na última quarta-feira o início da evacuação obrigatória das regiões costeiras da histórica cidade de Charleston e de Beaufort. A medida, que será ampliada, afeta mais de um milhão de pessoas, segundo a agência France Presse.

“Peço a todos que rezem por seus concidadãos e que continuem cuidando de seus vizinhos. E que tomem as precauções”, disse Haley na coletiva de imprensa, ao explicar as evacuações e as medidas de precaução tomadas, como a manutenção de rotas de fuga abertas para as regiões mais afetadas.

Na Geórgia, as evacuações são voluntárias até o momento e só valem para seis condados litorâneos, mas o governador, Nathan Deal, determinou a declaração de estado de emergência para um total de 30 condados. “Peço aos residentes das regiões afetadas que mantenham a calma, estejam preparados e tomem decisões informadas e responsáveis enquanto continuamos vigiando a rota do furacão Matthew”, disse Deal. Seu colega da Carolina do Norte, Pat McCrory, solicitou por sua vez a Obama uma declaração federal de calamidade para agilizar a ajuda em função da previsão de fortes chuvas devido ao Matthew naquele Estado.

A Força Aérea norte-americana começou o traslado de seus aviões de suas bases na Flórida, Virgínia e Carolina do Norte, a partir da previsão dos efeitos do furacão Matthew. Também estão fechando partes da Base Conjunta de Charleston, na Carolina do Sul, destacou a agência AFP.