Eleições Estados Unidos

Clinton se adianta a Trump e divulga detalhes sobre sua saúde para dissipar dúvidas

Trump participa do programa de televisão Doctor Oz, que o avaliou como estando com um “leve sobrepeso”

Clinton retoma sua campanha nesta quinta-feira após três dias de repouso.Andrew Harnik

Como havia prometido depois de passar mal durante a cerimônia de comemoração do 11 de Setembro, a candidata democrata à Casa Branca, Hillary Clinton, divulgou nesta quarta-feira mais informações sobre o seu estado de saúde. Um boletim escrito por Lisa Bardack, sua médica pessoal, afirma que a candidata contraiu “uma pneumonia bacteriana leve, não contagiosa”. A candidata democrata, assim, se adianta ao republicano Donald Trump, que participou do polêmico programa de televisão Doctor Oz. Esse programa deve ir ao ar nesta quinta-feira, mas algumas pessoas que participaram da sua gravação revelaram que, entre outros assuntos, abordou-se o sobrepeso do candidato republicano. Nesta mesma quinta-feira, Clinton está retomando sua campanha.

Mais informações

Com uma candidata perto de completar 69 anos e um candidato de 70, a saúde ocupa um lugar que raramente chegou a ocupar em campanhas eleitorais anteriores dos EUA. A conta-gotas, Clinton e Trump começam a divulgar mais informações sobre seu estado de saúde.

A campanha de Clinton divulgou um texto da médica Bardack em que esta relata detalhadamente a situação de sua paciente. É o segundo boletim médico divulgado nesta campanha; o primeiro o foi em julho de 2015. Trump, por sua vez, tem evitado, até o momento, revelar detalhes sobre o seu estado de saúde, bem como não divulgou os dados de sua situação fiscal, ao contrário de Clinton.

Embora tenha sido diagnosticada com pneumonia na sexta-feira passada, Clinton só tornou pública a doença no domingo, depois de ter sido obrigada a deixar no meio a cerimônia em homenagem ao 11 de Setembro, em Nova York. O texto de Bardack relata como a pneumonia foi detectada e afirma que a candidata está se recuperando bem graças aos antibióticos e ao repouso. Clinton tem de tomar o antibiótico Levaquin por 10 dias, segundo o texto. Sua saúde melhorou desde domingo, quando decidiu fazer alguns dias de repouso.

O texto destaca que Clinton se encontra em “excelentes condições mentais” e que está apta a atuar como presidenta dos Estados Unidos. Ele também revela os medicamentos que está tomando, seu nível de pressão arterial e frequência cardíaca, entre outros detalhes.

O objetivo é dissipar as dúvidas que surgiram sobre a saúde da candidata e foram motivo para todo tipo de especulações e teses, algumas delas propagadas pela campanha de Trump.

Clinton foi várias vezes acusada de falta de transparência, mas também é verdade que a intensidade dos refletores dirigidos a ela faz com que, como disse o coordenador de sua campanha, Robby Mook, se conheçam mais detalhes sobre a sua vida privada, incluindo a saúde, do que sobre a maioria dos políticos, inclusive Trump.

Nesta mesma quarta-feira, no programa popular Doctor Mehmet Oz, Trump tirou do bolso do paletó duas folhas com os resultados do check-up médico a que se submeteu na semana passada. É o estilo de Trump: transformar a divulgação de uma informação médica em um reality show. Oz é um médico criticado por alguns colegas de profissão por divulgar na televisão métodos por vezes pouco científicos.

O programa foi gravado sem autorização para que a imprensa participasse, razão pela qual não se conhecem detalhes sobre os resultados desse check-up, que teriam sido avaliados pelo próprio Oz diante das câmeras.

Um boletim médico divulgado anteriormente por Trump era um texto contendo erros gramaticais, escrito às pressas por seu médico pessoal, Harold Bornstein. No mesmo estilo hiperbólico de seu paciente, o médico afirmava que, se Trump ganhasse as eleições de novembro, seria o presidente mais saudável da história.

Resta a ver qual o grau de precisão contido nas páginas lidas por Oz. Várias fontes que presenciaram a gravação do programa revelaram detalhes a jornalistas, alguns deles contraditórios. Trump, que tem 1,89 metro de altura, toma um medicamento para diminuir o colesterol e pesa 236 libras (107 quilos), de acordo com testemunhas citadas pelo The New York Times (versões anteriores situavam o seu peso em torno de 267 libras, ou 121 quilos). Segundo fontes da campanha de Trump, também citadas pelo Times, Oz avaliou que o candidato está com um “leve sobrepeso”.

Mais informações

O mais visto em ...

Top 50