OPERAÇÃO LAVA JATO

Lula é acusado de ser “maestro de orquestra criminosa” pela Lava Jato

Para procuradores, petista é "comandante máximo" de esquema de desvios em estatal Ex-presidente nega irregularidades e diz que força-tarefa e juiz Sérgio Moro são parciais

Lula em São Paulo.
Lula em São Paulo.MIGUEL SCHINCARIOL / AFP

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi denunciado pela força-tarefa do Ministério Público Federal, baseada em Curitiba, no âmbito da Operação Lava Jato. O ex-mandatário é suspeito de ter recebido vantagens indevidas da empreiteira OAS por meio de um apartamento tríplex no Guarujá e de receber "dissimuladamente" 3,7 milhões da empresa provenientes supostamente de propinas. A defesa de Lula voltou a negar a propriedade do triplex e diz que as acusações mais gerais são inconsistentes.

Mais informações

Em entrevista coletiva para explicar o caso, o procurador Deltan Dallagnol usou diferentes metáforas e gráficos tipo Power Point  para dizer que Lula não só se beneficiou no caso do apartamento do litoral como era o "comandante máximo" do esquema de corrupção da Petrobras, "verdadeiro maestro dessa orquestra criminosa", para onde todos os vértices -que incluem a indicação de cargos-chave- convergiam. A trama foi responsável por bilhões de prejuízo na estatal, segundo a investigação. 

Se o juiz Sergio Moro, responsável pela Lava Jato na primeira instância, acatar a acusação feita pela Procuradoria de que Lula cometeu crime de corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro, o petista se tornará réu. Ele pode ser preso caso sejam considerado culpados ou se o magistrado entender que está tentando atrapalhar as investigações. Em julho, o ex-presidente se tornou réu pela primeira vez por consequência da Lava Jato, quando a Justiça Federal do Distrito Federal, responsável por caso correlato, acatou a denúncia por supostamente tentar obstruir as investigações.

Além de Lula e da sua mulher, Maria Letícia, os outros denunciados desta são o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, o arquiteto Paulo Gordilho e quatro ex-membros da OAS o ex-presidente José Adelmário Pinheiro (conhecido como Léo), o ex-executivo Agenor Franklin Magalhães Medeiros, além dos ex-funcionários Fábio Hori Yonamine e Roberto Moreira Ferreira.

Na época do indiciamento do casal Lula, a PF entendeu que eles receberam “vantagens ilícitas, por parte da OAS, em valores que alcançaram 2,4 milhões de reais referentes às obras de reforma no apartamento 164-A do Edifício Solaris, bem como no custeio de armazenamento de bens do casal”. Lula teria recebido vantagens junto à Granero Transportes LTDA, que armazenou os pertences do ex-presidente entre os anos de 2011 e 2016. Conforme as investigações, o imóvel entregue a Lula foi adquirido pela OAS e recebeu benfeitorias da empreiteira, envolvida no esquema de corrupção da Petrobras. A polícia acusa o ex-presidente de ser o verdadeiro dono do imóvel.

Lula acusa Lava Jato de parcialidade

Nesta segunda-feira, a defesa de Lula repetiu que as acusações da força-tarefa da Lava Jato são inconsistentes e que não apresentaram provas dos crimes que atribuem ao petista, como o de ser "comandante máximo" do esquema de corrupção na Petrobras. Os advogados de Lula repetiram que o ex-presidente nem a sua mulher são proprietários do triplex do Guarujá.  Em várias oportunidades, a defesa acusou os procuradores da Lava Jato e o juiz Sérgio Moro de serem parciais ao investigar e tomar decisões relativas a seu caso. Até agora, a Justiça não acolheu esses apelos.

Desde 30 de janeiro de 2016, Lula tornou públicos os documentos que PROVAM que ele não é o dono de nenhum apartamento no...

Gepostet von Lula am Mittwoch, 14. September 2016

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete