Cerimônia de abertura Jogos Paralímpicos Rio 2016

Findado com a ascensão de Clodoaldo Silva, evento colocou inclusão em pauta e foi sucesso de público

Clodoaldo Silva acende a pira olímpica.
Clodoaldo Silva acende a pira olímpica.Marcelo Sayão (EFE)

Uma enorme escadaria separava Clodoaldo Silva e sua cadeira de rodas da pira olímpica no Maracanã. Foi então que se formou diante do nadador brasileiro, dono de seis ouros, cinco pratas e seis bronzes, uma rampa e o Tubarão conseguiu levar a tocha ao alto para dar início oficialmente à décima quinta edição dos Jogos Paralímpicos, no Rio de Janeiro. Foi o ponto alto de uma cerimônia fiel à sua proposta: emocionar o público e ressaltar a importância de acessibilidade e inclusão.

Se na abertura da Rio 2016 a cidade venceu com louvor o desafio de preparar uma festa à altura dos Jogos, desta vez o teste era provar que podiam manter um espetáculo de qualidade, que atraísse o público ao estádio, às duas TVs que transmitira (a Globo não o fez), às redes. Numa competição cujo tema é superação, a festa, guardadas as diferenças da abertura principal, respondeu aos desafios: o Maracanã lotou e a cerimônia entrou no topo dos trending topics mundiais do Twitter.

O maestro João Carlos Martins tocou ao piano o hino nacional brasileiro e comoveu o público que, em alguns momentos, pôde se aproximar da experiência e percepção dos deficientes. Como na abertura da Rio 2016, o presidente Michel Temer fez um discurso-relâmpago, mas de novo não conseguiu evitar as vaias do público.

Veja como foi cobertura do evento ao vivo.

Guilherme Padin
Após a apresentação de Seu Jorge, é encerrada a cerimônia de abertura da Paralimpíada Rio 2016. Acompanhe os Jogos Paralímpicos no EL País Brasil: http://cort.as/lGgp
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Entenda um pouco melhor o trabalho dos guias nos esportes paralímpicos: http://cort.as/lGgX
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Durante seu discurso, Nuzman foi interrompido pela reação do público, que, em sua maioria, o vaiou após citar governo brasileiro. Foto: Buda Mendes/Getty Images
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Ao som de Ë vamos à luta" e "É preciso saber viver", Seu Jorge se apresenta no Maracanã!
Guilherme Padin
Guilherme Padin
O belo espetáculo protagonizado por Amy Purdy, atleta de snowboard, e Kuka, o braço automotivo. Foto: Sergio Moraes/Reuters
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Seis ouros, cinco pratas e dois bronzes. A história fala por si só. Um dos maiores medalhistas brasileiros, Clodaldo Silva acende a pira!
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Clodaldo Silva, o "Tubarão", terá a honra de acender a pira paralímpica.
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Linda cena no Maracanã! Durante o caminho, a ex-atleta Márcia Malsar caiu enquanto levava a chama. No entanto, muito aplaudida pelo público, levantou-se com a ajuda de voluntários e encerrou seu trajeto.
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Neste momento, a chama paralímpica está sendo levada à pira por diversos atletas e ex-atletas paralímpicos.
Guilherme Padin
Guilherme Padin
A tag #CerimoniaDeAbertura chegou ao primeiro lugar nos trending topics mundiais. O mundo inteiro acompanha a bela festa realizada no Maracanã.
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Amy Purdy realiza apresentação que envolve a relação entre o ser humanoe a máquina.
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Guilherme Padin
O nadador brasileiro Phelipe Rodrigues faz o juramento paralímpico em nome de todos os atletas.
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Com imagens de Paralimpíadas anteriores, o hino paralímpico é tocado no Maracanã.
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Guilherme Padin
Neste momento, a bandeira paralímpica é carregada por crianças com deficiência acompanhadas de seus pais.
Guilherme Padin
Regras

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS