Atentado em Nice

Autor do ataque em Nice era um motorista de caminhões tunisiano com ficha policial por crimes comuns

Terrorista deveria ter devolvido no dia 13 o caminhão que alugou numa localidade próxima

O caminhão de grande porte que investiu contra a multidão em Nice.
O caminhão de grande porte que investiu contra a multidão em Nice.ERIC GAILLARD / REUTERS

O autor do atentado de Nice foi identificado como Mohamed Lahouaiej Bouhlel, de 31 anos, nascido na localidade tunisiana de Msaken, segundo informaram a EL PAÍS fontes policiais. O terrorista tinha alugado o caminhão que investiu contra a multidão na comuna francesa de St. Laurent du Var, não muito longe de Nice, e deveria ter devolvido o veículo no dia 13, véspera do atentado, segundo os dados do contrato feito com a empresa Via Location.

Mais informações

Bouhlel estava em processo de separação de sua esposa, que mora na Tunísia. O Ministério do Interior da França informou a identidade do autor do atentado de Nice, que ontem deixou pelo menos 84 mortos e centenas d feridos – cerca de 50 em estado crítico –, antes de ser abatido a tiros pela polícia. Trata-se de um condutor de caminhões. Os documentos encontrados no veículo pertenciam ao principal suspeito. A polícia comprovou sua identidade mediante impressões digitais.

O homem tinha antecedentes por crimes comuns, entre eles violência doméstica, mas não por vínculos com grupos terroristas, informaram jornais franceses citandos fontes da investigação. A última condenação que teve foi em março, devido a uma discussão violenta no trânsito.

Nenhum grupo reivindicou ainda a autoria do atentado, investigado por promotores antiterrorismo da França. O motorista do caminhão, alugado dias atrás na localidade de St. Laurent du Var, segundo fontes da investigação citadas pelo jornal Le Figaro, foi abatido a tiros pela polícia dentro do veículo. No caminhão foram encontrados vários fuzis falsos e uma granada inutilizada, segundo informaram fontes policiais à agência France Presse. O Ministério do Interior informou apenas que foi encontrada uma pistola.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete
O mais visto em ...Top 50