Copa América

Sem Messi, Argentina vence o Chile por 2 a 1 na Copa América

Seleção chilena estava completa mas não conseguiu superar os argentinos

Di María comemora o primeiro gol.
Di María comemora o primeiro gol.D. F. / EFE

Na reedição da final da Copa América do ano passado, a Argentina venceu o Chile por 2 a 1 na estreia das equipes no torneio especial de Centenário. Os gols saíram apenas no segundo tempo e deixaram o time treinador por Tata Martino com três pontos no grupo D ao lado do Panamá, que venceu a Bolívia por 2 a 0. Messi, recuperando-se de lesão, ficou fora. Di María foi o melhor em campo mesmo passando por um momento pessoal delicado. Ele marcou o primeiro gol e homenageou a avó, que morreu na segunda, erguendo uma camiseta com a inscrição "Vó, sentirei muito sua falta". Em entrevista no fim do jogo, o camisa 7 chorou muito ao explicar que quis ficar nos Estados Unidos e jogar hoje para homenageá-la. "É muito difícil sobretudo por minha mãe e meus tios. Eu quis jogar porque era um orgulho para ela que eu estivesse na seleção. Eu pedi para a minha mãe para jogar porque sabia que poderia homenageá-la".

O jogo

A Argentina começou melhor. Pressionando a saída de bola do Chile com sete jogadores no campo de ataque, o time de Tata Martino foi pra cima e demorou apenas dois minutos para chegar com perigo. Di María cruzou na área chilena, Gaitán desviou de cabeça e mandou a bola no travessão de Bravo. A postura ofensiva da Argentina continuou durante todo o primeiro tempo, mas o Chile, com Vidal, Sánchez e Vargas no ataque, equilibrou o duelo. E foi de Sánchez a melhor chance, aos 29 minutos. Ele aproveitou erro de Funes Mori na saída de bola, dominou na entrada da área e chutou colocado para grande defesa de Romero, no reflexo.

No segundo tempo, o Chile apertou logo no início, mas faltou pontaria nas três finalizações do time nos dois primeiros minutos. Um vacilo de Aranguiz aos seis minutos, porém, deixou o time chileno em desvantagem. O volante perdeu a bola na intermediária para Banega, que avançou e lançou Di María na área. O camisa 7 bateu bateu e Bravo aceitou: 1 a 0. Aos 13 saiu o segundo. Di María tocou para Banega chutar e ampliar o placar. O Chile caiu muito fisicamente depois do segundo gol e a Argentina teve mais duas chances de marcar, com Higuaí e Rojo. No final, aos 47 minutos, Fuenzalida aproveitou saída errada do gol de Romero em cruzamento na área e diminuiu para o Chile.

A vitória por 2 a 1, sem Messi, contra o atual campeão da Copa América completo, com Sánchez e Vidal, mostra que a Argentina é o favorito para a conquista do título. Ao Chile cabe vencer Bolívia e Panamá para não ser eliminado na primeira fase do torneio.

Veja como contamos Argentina 2x1 Chile no minuto a minuto:

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete