Os secundaristas tomam a palavra. A saga, em vídeos

Estudantes de São Paulo ocupam a Assembleia Legislativa para que se investigue a máfia da merenda

Estudantes na Assembleia Legislativa de SP.
Estudantes na Assembleia Legislativa de SP. Rovena Rosa (Agência Brasil)

Eles são jovens e decidiram que os mais velhos não estão cumprindo seu papel. Já ocuparam escolas para exigir que uma reorganização escolar, que diminuiria salas de aula e superlotaria as que ficassem, fosse suspensa. Conseguiram. Agora, querem que a Assembleia Legislativa de São Paulo investigue a chamada "máfia da merenda", que, segundo denúncias, desviou verba que serviria para a alimentação dos estudantes nas escolas estaduais. Um dos suspeitos de envolvimento é, justamente, o presidente da Assembleia, o deputado Fernando Capez (PSDB), aliado do governador Geraldo Alckmin. Por isso, o processo não foi para frente.

Nesta última quarta-feira, eles entraram no prédio da Assembleia. E dizem que não vão sair de lá enquanto não conseguirem as assinaturas necessárias para instalar a CPI da merenda.

AGORA: Estudantes secundaristas ocupam o prédio da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP), na região do Pq. Ibirapuera, com o objetivo de instaurar a CPI da Merenda.

Gepostet von UBES - União Brasileira dos Estudantes Secundaristas am Dienstag, 3. Mai 2016

Assumiram o microfone do plenário e fizeram sua própria votação para instaurar a investigação. Deixaram claro que não estão ali para votar por "Deus ou pela família", como os deputados que pediram a saída de Dilma Rousseff no mês passado.

Estudantes votam SIM pela CPI da merenda! Durante ocupação dos estudantes paulistas na Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP), que começou na tarde desta terça-feira (03/05), secundaristas satirizam votação pelo impeachment e realizam votação pela instauração da CPI da merenda.󾭞🏾✊🏾󾥬

Gepostet von UBES - União Brasileira dos Estudantes Secundaristas am Dienstag, 3. Mai 2016

E mostraram que não vão levar desaforo para casa, como essa estudante, que peitou o deputado Coronel Telhada, da bancada da bala.

Segundo eles, até agora já conseguiram reverter o voto de um deputado. Ainda faltam sete para que a CPI seja aberta.

Mas, se restou alguma dúvida sobre o que os estudantes querem, eles mandam o recado em ritmo de Funk, para ajudar.