Malia Obama estudará em Harvard, como seus pais

Casa Branca anuncia a universidade para a qual irá a filha mais velha do presidente dos EUA

O presidente e sua filha Malia em 7 de abril.
O presidente e sua filha Malia em 7 de abril.Jacquelyn Martin (AP)
Mais informações

Malia, a filha mais velha do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, estudará na Universidade de Harvard a partir do ano que vem, depois de tirar um ano sabático, informou neste domingo a Casa Branca. A jovem de 17 anos segue assim os passos de seus pais, já que ambos estudaram na Faculdade de Direito da conceituada universidade.

A notícia foi divulgada por meio de um comunicado do escritório da primeira-dama dos EUA, Michelle Obama, no qual não está especificado o que Malia vai fazer durante o período de descanso que tirará depois de concluir o ensino médio. A agência France Presse explica que os estudantes norte-americanos costumam aproveitar o ano sabático para viajar, trabalhar ou ganhar experiência fora das aulas. Malia Obama começará a estudar em Harvard em setembro de 2017 e a previsão é que obtenha a licenciatura em 2021.

Ao longo do último ano houve muita especulação nos EUA sobre qual universidade a filha mais velha de Obama escolheria. Antes de tomar uma decisão, Malia visitou algumas delas, como a Columbia, em Nova York, a Stanford e a UC Berkeley, na Califórnia. Acabou optando por Harvard, situada em Cambridge (Massachusetts), onde estudaram seus pais.

Barack e Michelle Obama manifestaram sua intenção de continuar vivendo em Washington depois que o presidente concluir seu mandato e deixar a Casa Branca, em janeiro, para que sua filha mais nova, Sasha, possa terminar o ensino médio na mesma escola que cursa atualmente.

Regras

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: