Maduro modifica fuso horário para economizar energia na Venezuela

Presidente anuncia mudança de hora e feriado para enfrentar a crise energética que atinge o país

Empregado atrás da porta de uma loja fechada em Caracas.AFP / QUALITY (reuters_live)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou nesta quinta-feira a modificação do fuso horário do país, a partir de 1 de maio, para economizar energia frente à crise energética. “Temos que nos adaptar na revolução para que a mudança (climática) afete o menos possível a qualidade de vida e a felicidade de nosso povo. Estamos enfrentando este fenômeno da seca que é quase uma tragédia ambiental”, afirmou.

Mais informações

O mandatário não deu detalhes sobre a mudança de hora na Venezuela. Além disso, incorporou a segunda-feira ao feriado que começa nesta sexta e termina na próxima terça – Dia da Declaração da Independência de 1810 – para “reforçar” a diminuição do consumo de energia. Os próximos cinco dias não serão úteis neste país que enfrenta uma de suas piores crises econômicas. “Prolongamos o feriado por economia de eletricidade, para não afetar a vida das pessoas”, afirmou.

Oito dias antes, Maduro ordenou que o setor público não trabalhasse nas sextas-feiras nos meses de abril e maio. No início do ano, o Executivo reduziu a jornada de trabalho de 40 para 36 horas para poupar energia. Na Semana Santa, também foram suspensas todas as atividades para reduzir o consumo. Embora Freddy Brito, vice-ministro para o Desenvolvimento do Setor e da Indústria Elétrica, tenha dito que esta última medida não obteve os resultados esperados, o Governo afirmou que ela retardou a queda no nível de água da represa de Guri, principal Hidrelétrica do país.

A crise energética provocou aumento do número de cortes de energia na Venezuela. Segundo o Comitê de Afetados por Apagões deste país, houve mais de 8.250 interrupções do serviço elétrico entre janeiro e março. Os especialistas preveem um iminente colapso nas termelétricas que pode deixar grande parte da Venezuela no escuro.

O setor empresarial questionou as reduções das jornadas de trabalho por considerar que essa receita produz importantes perdas econômicas para o país. O Governo diz que a crise se deve ao fenômeno meteorológico El Niño e apela a medidas de emergência, enquanto a oposição culpa o Executivo pela gestão inadequada do sistema elétrico.

No entanto, muitos especialistas haviam sugerido ao Governo a modificação do horário como um recurso para paliar a crise de energia. Esta não seria a primeira vez que a Venezuela ajusta a hora para economizar luz. Em 2007, o então presidente Hugo Chávez havia decretado uma mudança: a Venezuela atrasou em meia hora seu relógio, a -4:30 GMT, deixando o país num fuso horário exclusivo que não coincide com o de nenhum outro país do mundo. Essa diferença horária chegou inclusive a provocar um pequeno incidente diplomático com os Estados Unidos, segundo revelaram documentos do Wikileaks.

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: