Presa no México Brenda Delgado, a mulher mais procurada pelo FBI

Única mulher da lista de fugitivos mais importantes estava escondida em Torreón, no Norte

Brenda Delgado
Brenda Delgado

O nome de Brenda Delgado não ficou nem 48 horas na lista dos mais procurados pelo FBI. Autoridades do México anunciaram nesta sexta-feira que a mulher, suspeita de ter encomendado o assassinato de outra mulher em Dallas (Texas, EUA) por ciúme, foi presa em Torreón (Coahuila), no Norte do país.

O FBI, que oferecia 100.000 dólares (cerca de 360.000 reais) para quem denunciasse seu paradeiro, tinha certeza de que Delgado, nascida no México e naturalizada norte-americana, estava escondida do outro lado da fronteira. Os agentes mexicanos a procuraram em regiões nas quais tem amigos e familiares, como San Luis Potosí, Nuevo León, Estado do México e até na capital do país. Finalmente a encontraram em Torreón, cidade fundada há um século no deserto, ao redor de uma estação de trem. Seus moradores sofreram nos últimos cinco anos com o fogo cruzado entre os grupos rivais de traficantes de drogas Los Zetas e cartel de Sinaloa.

O crime aconteceu em Dallas em setembro do ano passado. Os investigadores afirmam que a mexicana mandou assassinar a dentista Kendra Hatcher, que tinha se tornado o novo par de seu ex-noivo. Para isso contratou um matador de aluguel, Kristopher Love, que a executou a sangue frio num estacionamento. Uma garota chamada Krystal Cortes o ajudou a fugir de carro do local. Os dois já estavam presos, e só faltava capturar Delgado para encerrar um caso particularmente doloroso. A vítima era muito estimada por seus colegas por tratar gratuitamente de crianças sem recursos.

A mexicana não vai encarar o castigo máximo. No Texas, onde a pena de morte é aplicada em casos como o seu, Delgado poderia ter esse destino se tivesse sido presa nos Estados Unidos. Mas o México impõe como condição para a extradição para o outro lado do rio Bravo que o sistema judicial norte-americano não aplique uma pena não prevista no seu próprio território.

“Quero apenas que a tragam de volta e que ela pague pelo que fez”, disse a mãe a meios de comunicação texanos antes de saber de sua prisão. A Interpol levou Delgado, de 33 anos, para a Cidade do México, onde foi posta no presídio feminino de Santa Marta Acatitla. Logo será enviada aos Estados Unidos, onde a espera todo o peso da Justiça.

Arquivado Em: