Mobile World Congress

Mark Zuckerberg: “Todo mundo merece ter acesso à Internet”

Executivo-chefe do Facebook fala no MWC, em Barcelona, sobre seu plano para conectar a humanidade

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, no MWC.
O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, no MWC.Massimiliano Minocri

MAIS INFORMAÇÕES

Calça jeans azul, camiseta cinza e tênis discretos. Apesar de viver rodeado de gravatas, Mark Zuckerberg continua fiel ao seu estilo no Mobile World Congress (MWC) de Barcelona. O fundador do Facebook explicou seu plano para conectar a humanidade à Internet. “Todo mundo merece ter acesso à Internet. Não entendo como ainda podemos estar assim em 2016”, disse. “O Free Basics é nossa primeira ação, mas acredito que é só o começo. Neste ano pela primeira vez nossos drones estarão sobrevoando o mundo. E vamos colocar o primeiro satélite na África”, afirmou. “Cada vez mais pessoas na Internet é um modelo de negócio que funciona” porque, como explicou, a empresa verificou que depois de usar o Free Basics, projeto de acesso gratuito feito pelo Facebook, durante um mês, “os usuários começam a usar serviços pagos. Isso também é bom para as operadoras. Tendo novos clientes, fornecem uma conexão melhor às regiões, fazem com que invistam em infraestrutura”.

O executivo esclareceu algo sobre o mundo das operadoras: “Foi propagado que o 4G é para se usar o celular com maior velocidade e o 5G para conectar objetos. O importante para mim é que esteja disponível para todos, não somente aos que têm dinheiro para pagar por conexões caras”. Zuckerberg disse que o importante, para ele, é ajudar a humanidade a se expressar sobre o que lhe interessa. “Antes era texto, depois fotos e agora é a vez do vídeo. O próximo passo, antes do que esperamos, é mandar o que está ao seu redor, uma vista completa”, disse complementando o vídeo imersivo.

Nas últimas semanas Zuckerberg tem feito testes com a transmissão de vídeos ao vivo. Na noite de domingo, depois do evento da Samsung no MWC, conseguiu mais de 50.000 usuários conectados: “Não vejo como uma concorrência à televisão, apesar de ser possível conseguir uma audiência muito boa, mas como uma forma de aliviar a pressão de contar o que se sabe, tirar uma dúvida, transmitir, falar...”.

Drones com energia solar

Zuckerberg esclareceu que o Aquila, seu programa de drones, será uma realidade em 2016. “Estamos fazendo o segundo. O primeiro funciona com energia solar. Cada voo é de seis a oito meses. O novo possuiu um sistema de comunicação a laser, que fornece um sinal muito mais firme e confiável. Os primeiros testes serão no final do ano”, revelou.

"O importante para mim é que esteja disponível para todos, não somente aos que têm dinheiro para pagar por conexões caras"

O fator mais afetivo esteve presente em toda sua palestra: “Quando dei meus primeiros passos, minha mãe anotou em um caderno com uma caneta. Com minha irmã mais nova, foi uma foto. Quando minha irmã foi mãe, fez um vídeo com seu celular. Acho que eu farei desta forma”. Dentro de nove meses, certamente, sua filha Max já estará andando. “Acho que já estará pronto”, esclareceu. Reconheceu que a maior tendência no Facebook é o vídeo, que também não teria sido possível sem a colaboração das operadoras.

Também contou sobre sua experiência de ser pai: “Faz somente três meses. Não sei, o que mais me surpreende é como essa coisinha pequena é importante, como me preocupo em dar o que ela quer. Mas não acredito que seja o mais importante aos que estão aqui”. Enquanto arrumavam seu microfone contou como gostava de dar banho em sua filha Max. “Eu me pergunto quantas vezes posso dar banho nela durante a semana”.

Inteligência artificial

No começo do ano, o executivo do Facebook explicou que ativaria novamente sua faceta de inventor com a criação de um assistente virtual que o ajudasse com os cuidados de sua casa. “Ainda me falta muito, mais do que as pessoas acreditam. Só quero fazer coisas básicas em casa. Já quase não programo no Facebook. Não quero que todos venham corrigir meus erros de código. Isso é algo para continuar praticando”, reconheceu com modéstia.

“Imagine que exista um detector de câncer de pele somente com a visualização de uma foto. Isso é reconhecimento de padrões e irá salvar muitas vidas”, expôs, para defender a inteligência artificial das muitas críticas que recebe sobre sua periculosidade.

A expectativa criada por Zuckerberg em Barcelona não tem comparação. Quase uma hora antes de sua fala o auditório estava lotado, apesar do acesso ser restrito à imprensa e aos que pagaram mais de 700 euros (3.044 reais) por uma credencial especial do evento. No domingo, sua aparição surpresa no evento da Samsung também despertou muita expectativa.

Arquivado Em: